Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto





UM POETA BRASILEIRO!

Ai meu deus! Quanta saudade do
Grande poeta, do compositor,
E do sambista (Agenor de Oliveira) O “ CARTOLA”
Nos seus versos, brotavam o amor, cantava na vida,
Os seus anseios, desilusões, despedidas doídas...
Rimava, com tudo rimava, brindava sua poesia com sentimentos!

Desde menino (oito anos), tocava cavaquinho,
E compunha suas primeiras melodias.

O menino da mangueira voava,
Lá com outros amigos, mesmo que
Impróprio pra época, coloriu o morro de verde e rosa,
Vestiu a camisa e fundou,
Estação Primeira da Mangueira!
Ia assim o pobre rapaz, voando, ganhando o mundo.
Rindo, muitas vezes respondia... Poeta eu, como pode?
Ainda nem terminei o primário!

O poeta trabalhou como pedreiro, pintor de paredes e lavador de carros,

Coisas que sabia e gostava de fazer (Bicos),
Ainda assim, mestres da cultura mundial (*), subiam o morro,
Rumo as suas poesias,
Turistas aplaudiam a genialidade e a simplicidade do artista.
O (CARTOLA), morreu pobre, porem repleto de poesia! Morreu
Lá no alto dos seus bem vividos, setenta e dois anos de idade. E deixou
Ao mundo, a grandiosidade de sua sabedoria!

EU PARTICIPEI DA MARATONA DE ACRÓSTICOS,
VENHA VOCÊ TAMBÉM!

















paulo cesar coelho
Enviado por paulo cesar coelho em 25/02/2006
Reeditado em 17/11/2008
Código do texto: T116036

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
paulo cesar coelho
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
2587 textos (469660 leituras)
57 áudios (6063 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:28)
paulo cesar coelho

Site do Escritor