Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANA PEREIRA MELO (acróstico)

A inda que a vida me sorrise com hipocrisia
N a lépida candura de uma jovem sorridente
A legre eu deixaria a marca deste meu amor ardente

P arece até que ao mundo vim para amar
E mbriagado no aroma vivo de uma flor
R utilante, mesmo imersa na escuridão
É a flor chamada Ana no meu coração
I gualável somente os vegetais da mesma espécia
R adiante somente o sol em plena primavera
A té o liriuo belo se sente humilhado junto a ela.

M esmo que a vida me sorrise com hipocrisia
E m meu semblante nunca chegaria a dor
L ogo que olhasse para um jardim florido
O nde pudesse a minha flor ficar unido.

OBS: Ela casou com outro e já é avó, mas, depois de tanto
     tempo, ainda hoje eu me recordo, quando nós dois, com
     as fardas dos nossos colégios, nos encontrávamos com
     beijinhos inocentes, escondidos dos transeuntes
     curiosos, diferentes de hoje em dia.
 
José Arnaldo Lisboa Martins
Enviado por José Arnaldo Lisboa Martins em 16/04/2006
Reeditado em 17/04/2006
Código do texto: T140027
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Arnaldo Lisboa Martins
Maceió - Alagoas - Brasil
69 textos (17133 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 20:28)
José Arnaldo Lisboa Martins