Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VÍCIO DE NÓS DOIS!

A vida faz poesia!

Muitas vezes, na beleza de
Uma flor, na graciosidade de borboletas, mas, não
São poucas as facetas que a vida nos traz.
Aos poetas cabem, fazer

Poesias, poemas, edificar sonhos e tudo mais!
Rimas, frases lindas, vadias
E alguns sentimentos deitados em
Folhas de papeis perfumados
Enaltecendo uma dor, imortalizando um amor!
Reina no céu uma estrela, a mais graciosa
Iluminada, a mais bela
De tanto admirar criei costume, parece
Até vício, vivo pensando nela.

É um amor tão grande, tão intenso, tão profundo

O maior amor do mundo!

Minha princesa deixou de ser então apenas MUSA,
A minha musa floresce em amor sincero,
Impreterivelmente eterno, um desses que nem
Os poetas, nem as poesias conseguiriam expressar!
Rostos fitados, olhos molhados, corações abraçados,

Assim fizemos nossas juras de amor,
Mas, a vida tem poesia, tem também as facetas,
O que nunca entenderei. Como poderemos
Rasgar sentimentos tão fortes? Como faremos para mudar nossos

Destinos? Como viver um sem o outro?
A vida é uma estrada de muitas curvas

Muitas vezes, não sabemos o que encontrar a frente, de
Insistentes, seguimos o  nosso caminho
Não se tem como fugir disso!
Homens, mulheres, apaixonados
Amores sinceros, muitas

Vezes são desfeitos, perdidos por
Imperícia do destino, mas, não o nosso amor
Deuses, destinos, haverão de ouvir os gritos,
A perseverança e a força da esperança de nós dois!

paulo cesar coelho
Enviado por paulo cesar coelho em 19/09/2006
Reeditado em 19/07/2008
Código do texto: T244262

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
paulo cesar coelho
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil
2589 textos (470379 leituras)
57 áudios (6064 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 22:20)
paulo cesar coelho

Site do Escritor