Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Palavras sem sentidos

                   PALAVRAS SEM SENTIDOS
                   (Para minha nova amiga Adriana)

Algumas palavras sem sentidos se formam em minha mente.
Dou vazão à imaginação que voa livre na fantasia;
Remexo nas lembranças procurando não sei o quê.
Imagens desconexas desfilam ante minha perplexidade;
Acelerado bate o coração, inundado de adrenalina, que
No extase da "viagem" me transporta para um horizonte desconhecido,
Aterrisando num porto seguro: Teu olhar!

Fogo, paixão, calmaria e a fumaça do cigarro
Empresta atmosfera de boate ao aposento onde estou;
Rio feliz, como a criança diante de um palhaço.
Relembro nossos momentos intimos, mãos e pernas
Entrelaçadas, respiração ofegante...sussurros...
Isso tudo na penumbra que se tornou cúmplice,
Réu confesso de nosso amar-matinal.
Ah, como é bom te ter e... te ser...

Durmo agora...sonhos misturados...
O telefône me acorda de sobressalto...tua voz???

Não! Não há voz nem nada
Apenas o despertador avisando que é hora de trabalhar!
Sonolência, ônibus, escadas, telefône, fichas de clientes...
Conversas...risadas...almoço...broncas...é o dia.
Impregnando os poros: suor.
Mas esse suor é diferente daquele do meu sonho;
Evoco a memôria: Nada!
Não controlo a ansiedade de esperar a noite que me
Trará teu corpo, teus olhos, tuas mãos e suor...
Oh, como foi bom te conhecer: Meu Sonho!
Pedro Gonzalez
Enviado por Pedro Gonzalez em 04/11/2007
Reeditado em 15/11/2007
Código do texto: T722921
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Gonzalez
Paraguai, 61 anos
188 textos (12169 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 15:01)
Pedro Gonzalez