Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

manta de retalhos

ONDE MUDO O MUNDO
digo para mim qualquer coisa,
acho que nem escuto: quando
dou conta já estou a escrever
procurando o ritmo cativante
de escrever o ver o crer, ser
o és do es_cre_ver como vejo
o sentir dos sentidos nu modo

mudo movimento-me sempre
para atingir o som do Silêncio!

Cansa-me escrever poesia e com isso... apenas escrever Poesia, fazer poemas. Por esse motivo este meu diário é a "manta de retalhos" de facturar, fracturar... ideias fractais  que vão das palavras ao seu excesso que é também a sua carência, procurando no conjunto um todo onde tudo possa ter lugar
esta exactidão onde o que está a mais é como o lugar da onda guardado pelo mar, o novo amor que chega onde o amor é novo, a definição que define a acção, a acção indefinida onde tudo começa quando qualquer coisa acaba, nem que seja um pensamento
assim procuro em cada momento encontrar o tempo, este tempo que cubro com este texto onde penso e falo de todos os textos peças deste artigo único em variedade de formas, sons e colorido(s)
o masculino escrito na feminina escrita ou vice-versa debaixo desta ma(n)ta ou sobre esta manta...
Francisco Coimbra
Enviado por Francisco Coimbra em 02/02/2006
Código do texto: T107266
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Francisco Coimbra
Portugal
785 textos (310497 leituras)
37 áudios (39566 audições)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:29)
Francisco Coimbra