Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poder da música!

No momento em que estou em frente ao microcomputador, utilizando o teclado para organizar arquivos, preparar artigos, enviar e-mails, estou ouvindo a bonita música de ABBA. São músicas que ficam para sempre, realmente.

            Isso remete minhas lembranças para outras tantas músicas. Já tive oportunidade de escrever neste semanário sobre a vinheta que indicava o início do filme no antigo Cine Central. São lembranças muito agradáveis. Isto criou motivação recente de organizar uma palestra exclusivamente sobre a música, sem preocupações com história das melodias, seus compositores, épocas ou vinculações com filmes, e mesmo nacionalidade, etc. Objetivo foi ouvir música...

            Simplesmente selecionamos em torno de 65 músicas, executando em torno de 30 a 40 segundos por música, para apresentá-las ao público ouvinte em minhas andanças. São diversos estilos que reunimos, desde clássicos, sertanejos, MPB, estrangeiras, de novelas, de filmes, hinos, até vinhetas da TV; até mesmo a famosa música que indicava o início do filme no cinema, acima referido, e mesmo músicas executadas pela saudosa Banda Musical de Augusto Zugliani e Pedro Carrara, Antonio Traversa, Greco, e tanto outros, compuseram o CD.

            Na verdade, preocupei-me somente em colocar músicas conhecidas, que ficaram gravadas na memória musical de nosso povo. Cito alguns exemplos: Hino da Vitória, de Ayrton Senna, Tema de Abertura do Fantástico ou de filmes que marcaram época como Ghost, Os Dez Mandamentos, entre outros.  O mais interessante, porém, é que as músicas que mais fizeram vibrar o público foram:  Rock And Roll Lullabye, de BJ Thomas (tema da novela Selva de Pedra, de 1972); Aquarela do Brasil, com Ray Conniff, e New York,  New York, com Frank Sinatra. Existem outras bem famosas e marcantes, mas fica impossível citar uma a uma aqui, num universo de 65 músicas. Isso sem falar dos grandes clássicos...

            O que desejamos destacar realmente é o poder de sensibilização que a música possui. Ela consegue alcançar o coração, traz alegria, ânimo, coragem, faz superar tristezas e depressões. Ela, a música, marca a nossa vida. Incrível como consegue fazer com que nos movimentemos, que recordemos bons momentos; a música traz estímulo de vida e faz com que sempre a recordemos com entusiasmo.

            Tenho vivido experiências maravilhosas apresentando a palestra em diversas cidades onde estive, sentindo o público recordar-se de momentos de suas vidas quando apresentava, por exemplo, as músicas Carruagem de Fogo ou o tema do filme A Bela e a Fera; impressionante o carinho do público com Roberto Carlos e Roberto Leal. Ou ainda com Mozart, Beethoven, Milionário e José Rico e tantos outros... Percebe o leitor que seleção bem variada... Impossível citar todos.

            Uma música que faço questão de deixar tocar quase que integralmente é a belíssima música do Pe. Zezinho, Amar como Jesus Amou (letra e melodia belíssimas) ou o autor clássico que mais aprecio: Tchaikóvski. Nossa, não me condene, amigo leitor, pela “misturada”  musical. É que música é mesmo algo sensacional. Como não deixar envolver-se pelas alegrias dessa união fabulosa entre instrumentos musicais tão variados, notas musicais e a beleza sempre única da voz humana?

            Por isso, te convido amigo: ouça música. Todo dia. Não deixe de alimentar-se pelas vibrações harmoniosas de uma boa música. Você vai sentir-se outra pessoa, pois as notas lhe alcançarão a sensibilidade.

            Teria muito para dizer aqui, sobre música italiana, francesa, valsas e muito mais, mas meu espaço acabou...
 
 

Orson
Enviado por Orson em 09/02/2006
Código do texto: T109764
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Orson
Matão - São Paulo - Brasil, 56 anos
298 textos (94306 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:44)