Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Versos trocados

  Versos trocados

   Ao longo dos séculos, a Mulher foi mantida afastada das decisões em qualquer área da sociedade. Seu valor era ignorado até mesmo dentro do lar, apesar de executar múltiplas tarefas pesadas e fundamentais para o bem estar da família. Não tinha direito de opinar em nenhum nível da comunidade. Só era chamada para servir aos convidados e lavar a louça posteriormente. Sem remuneração. Sem premiação. Sem elogios.

   Através dos tempos foram surgindo figuras aguerridas que se insurgiram contra esta desigualdade definida por aqueles que comandavam o mundo. Eram casos isolados, não contavam nem com o apoio dos filhos. Os homens achavam um absurdo – as filhas, por receio, desconhecimento e temor a dogmas fortemente disseminados, aceitavam caladas a situação de penúria. Até se preparavam para percorrer o caminho de injustiças pelo qual suas mães tropeçaram. Algumas foram executadas de forma violenta em público, para servir de exemplo a outras valentonas que poderiam contestar o sistema.

   Não vamos contar a história da Mulher através dos tempos. Mas vamos destacar o momento atual, aqui, onde vivemos, nesta terra maravilhosa e mal gerenciada pelo homem, que ainda teima em negar o espaço (receio de comparação?) que ela tem direito. Está na hora de permitir que ela demonstre sem restrições do quanto é capaz. E que receba a justa remuneração por isto.
 
   No Brasil, já temos mais de 28 milhões de mulheres no mercado de trabalho (inclusive informal). Só no Rio, mais de 25 % são chefes de família. Já comprovaram sua eficácia em todas as atividades que possamos imaginar, desde a condução de aeronaves, até a limpeza urbana.  Mesmo assim, o ranço que vem do passado ainda lhe traz obstáculos no campo profissional. Em muitas empresas recebem 40 % a menos que um homem, mesmo que trabalhem mais e melhor. E no momento da escolha de um gerente, sua prioridade é reduzida e ela é colocada no fim da fila.

   Os rumos que os homens estão dando aos nossos destinos apontam para desastres profundos em nossa qualidade de vida pela violentação da Natureza. A ânsia desenfreada por lucros rápidos e a competição desumana (que beneficia a menos de 1/100000 da população mundial) estão nos levando ao caos. Se for para adquirir status e aumentar o capital da empresa, os valores morais e familiares são jogados para terceiro plano (saudades do tempo em que ficavam em segundo). Fazem apologia das más ações pela tv e pela Internet. Os bancos alegam que sem o dinheiro dos corruptos, podem quebrar. Preferem a quebra da ética. Rotularam esta degradação de globalização. Estamos recebendo como herança (para não dizer merdança) os seguintes tesouros: camada de ozônio comprometida, florestas devastadas, rios poluídos, lagos secos, espécies em extinção, cidades cercadas por favelas, trânsito caótico, insegurança, deficiência na saúde, educação incompleta, disseminação das drogas, falta de oportunidade para os jovens, desesperança. O que mais ainda existe dentro das mentes pervertidas para nos assombrar?

   Que tipos de herdeiros estamos formando? Como diz o antigo ditado, quem planta, colhe. Em função dos exemplos que são destacados hoje, amanhã não será surpresa que os filhos passem a expulsar os pais de casa assim que eles deixarem de trazer recursos para o lar. Alguns já estão batendo e matando parentes quando lhe negam recursos para seus vícios. Os ídolos atuais das crianças são garotas que rebolam quase sem roupa na tv  e cantores de bandas barulhentas movidas à droga. Os exemplos que recebem dos comportamentos de governantes omissos e submissos ajudam a moldar o caráter de cada jovem que um dia estará galgando postos de administração sem preocupação com sua reputação nem com a conseqüência de seus atos.

   Talvez o sexto sentido feminino tenha se libertado da mordaça e esteja em erupção agora, compondo uma força avassaladora e benéfica a todos nós. Ela está deixando de se lamuriar ao pé do altar junto ao santo favorito. Está vindo à luta com armas que não derramam sangue, mas sim amor e compreensão. Ela se descobriu do manto da docilidade (que se confundia com submissão) e está exibindo sua determinação (que os descontentes chamam de agressividade). Estamos vendo a Mulher invadindo com grande velocidade os postos públicos, áreas da imprensa e gerências das grandes firmas. São os pontos importantes para se alavancar a mudança de estilo de comportamento e de conceitos na educação, a base de sustentação da família e da cidadania.

   Que este movimento seja o fulcro da preservação da sociedade sadia e do planeta.

   Em breve ela não terá de pagar um prato de comida com seus carinhos. Nem terá de caminhar com o rosto coberto um passo atrás do seu “senhor”. Nem ficar apanhando de bêbado dentro do seu lar. A sofrida Natureza (sabiamente feminina) ferida reclama pela ajuda de sua parceira.

   Ainda há tempo para salva-la. Quem não puder (ou não quiser) oferecer-lhe o braço para apoiá-la, que pelo menos não a empurre. Saia da frente que ela saberá caminhar com suas pernas fortes e lindas pelas trilhas da vida para voltar a florir nosso planeta tão devastado pelos machões que só elaboram poemas substituindo palavras doces por termos amargos. Trocam AMOR por penhor; SOLIDÁRIO por bancário; JURAS por juros; CORAÇÃO por correção; VIDA por dí..vida.

Campanha “BOA IDÉIA”: 51% de votos NULOS para excluir os ratos.
Tecle 99 – pressione  na urna.

Referendo de sucesso será o que permitir expurgo no Congresso.

Nós podemos fazer a diferença na verdade do futuro.
Haroldo
Enviado por Haroldo em 14/02/2006
Código do texto: T111711
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Haroldo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 71 anos
678 textos (24813 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:27)
Haroldo