CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

O AVANÇO TECNOLÓGICO E A EXPLORAÇÃO MINERAL - DESENVOLVIMENTO OU DEGRADAÇÃO AMBIENTAL


Todos os dias novas tecnologias tem surgido para beneficiar a humanidade, sabe-se que é preciso para um país, buscar sempre meios de vida, onde o cidadão tenha uma vida digna, diminuindo o índice de pobreza entre seu povo, mesmo assim estudos variados são necessários para que o homem analisem as suas formas de exploração.
Em um um mundo onde as pessoas vivem da exploração, é preocupante a situação dos explorados, entre tais podemos citar humanos, fauna flora, digo: O Meio Ambiente. Todos os momentos estamos percebendo, pessoas que estão com problemas de saúde, financeiros, alem de outros, mesmo assim, apesar de estarmos presenciando uma imensa degradação ambiental, o homem continua avançando, a nova tecnologia que está a disposição, nem sempre estão a disposição de todos.
O homem, utiliza da tecnologia avançada para buscar mais riquezas, mais poder, e deixa de utilizar todas essas conquistas, para o beneficio e conforto da população, se esta tecnologia é utilizada para o beneficio do homem ele tem que pagar um preço que nem sempre está ao seu alcance.
O nosso objetivo é fazer uma analise do avanço tecnológico para exploração mineral e os problemas de degradação ambiental causados por essas atividades. Sabemos o quanto é complexo fazer uma analise dessa proporção, mas esperamos chegar a uma conclusão positiva que possa ajudar estudiosos que optam por planejar ações relacionadas com a exploração mineral.
Para fazermos esta analise, um trabalho de campo na empresa Titânio Goiás, estudos de alguns artigos e também estudo de legislação, alguns livros sobre o assunto ou relacionado, também foi objetos de estudo durante a realização do presente artigo.
Os estudos realizados durante as analises sobre mineração e recuperação de áreas degradadas, teve muita importância, para a formação cientifica do grupo, as vezes as opniões, adquiridas no dia a dia sem um estudo prévio, acaba generalizando determinados pontos de vista, o que faz propagar interesses de grupos, que direta ou indiretamente tem interesse na atividade em determinada região.
A radicalização quando se trata de algo tão importante para um determinado grupo exige de nós profissionais da área, uma perícia detalhada, ao analisar os avanços e retrocessos que podem causar um estudo mineralógico e a degradação ambiental.
A empresa Titânio Goiás é sem dúvida alvo de  nossos estudos, pois foi a primeira empresa a ser observada pelo grupo, observamos durante um dia de estudo nas áreas exploradas pela empresa e gostamos muito de conhecer como é o funcionamento da empresa no Município de Santa Barbara de Goiás.
Podemos dizer que existe possibilidades de uma empresa de extração mineral realizar suas atividades explorar o subsolo, e cumprir a legislação em vigor, mas por outro lado, pode-se dizer que não há exploração sem degradação, na própria empresa existe consciência que a exploração mineral causa degradação, e que há um prejuízo ambiental no ato da exploração.
Apesar da exploração causar degradação os impactos podem ser minimizados e com o tempo, podem ser extintos, para isso é preciso seriedade da empresa, profissionalismo por parte dos funcionários responsáveis pela recuperação das áreas, e um estudo minucioso dos tipos de vegetação adequado para a recuperação da área depois da retirada do minério.
Nem sempre, empresas que fazem a exploração mineral no solo e subsolo, preocupam com a recuperação do solo e subsolo, é preciso de um estudo sério, analisar o tipo de solo que existe no local, para que a recuperação seja feita de forma que com o tempo a área  seja recuperada e volte a ser produtiva novamente.
Fizemos uma visita também na empresa Prometálica, mas essa visita foi feita quando o local estava abandonado, pela então empresa Metago, ficou claro que houve um abandono por parte dos governos, que após analisar o processo de exploração abandonou a mina e toda infraestrutura que foi construída no local, aqui fizemos um estudo que pode ser considerado importante para nosso estudo.
Durante a nossa experiencia na antiga empresa observamos que o gasto feito para montar uma infra estrutura foi muito grande, e o avanço da tecnologia foi responsável pelo funcionamento da Empresa Prometálica na cidade de Americano do Brasil, isso porque no período que a empresa Metago funcionava no local apesar do alto investimento a tecnologia da época não era suficiente para exploração no local, com a nova tecnologia os estudos mineralógicos ficaram mais exatos podendo ser avaliados mais próximo da realidade, a quantidade de minérios e a capacidade de retorno financeiro que determinada mina poderá oferecer a empresa.
  Quanto a recuperação de áreas pela antiga empresa Metago, não foi possível avaliar, pois só encontramos uma área abandonada, casas velhas destruídas por vândalos e um galpão que foi aberto para que pudéssemos ver antigas amostras de rochas retiradas do subsolo da área explorada pela empresa.
Quanto ao novo projeto, a Mina da Empresa Prometálica não tivemos acesso aos dados da empresa mas em audiência pública foi apresentado um projeto de recuperação que utilizará o solo local após a retirada do minério será devolvido  após a exploração da área.
Na verdade se conclui que não é possível desenvolvimento sem exploração, apesar de ser possível, utilizar o desenvolvimento tecnológico, para avançarmos, desenvolver o nosso país, e recuperar os estragos causados pela exploração ao meio ambiente, para que isso aconteça, o homem explorador, precisa conter a ganância e abrir mão de parte dos lucros, vivendo em equilíbrio com o meio onde vive, garantindo as futuras gerações a possibilidade de conhecer um pouco da natureza.
     
José Carlos Ribeiro
Enviado por José Carlos Ribeiro em 13/08/2008
Código do texto: T1126372
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
José Carlos Ribeiro
Anicuns - Goiás - Brasil, 45 anos
114 textos (146457 leituras)
2 e-livros (121 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/08/14 06:49)