Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O AMOR É LINDO?

Pode alguém ser melhor – muito melhor do que é – buscando em si a perfeição, aprimorando suas qualidades, cuidando melhor do seu corpo, avançando nos conhecimentos, superando suas próprias limitações para conquistar outro alguém? Pode, pode sim! Mas só se estiver amando, amando muito esse alguém... e for por ele correspondido!

Como dois adolescentes, independente de idade; como dois colegiais, mesmo com pós-graduação; como dois imaturos, apesar de responsáveis; inconseqüentes, apesar de conscientes e ponderados; rindo das adversidades; sorrindo para tudo e todos; cumprimentando desconhecidos e desejando bom dia aos passarinhos; regando e falando com as flores, como se regasse a própria vida – em comunhão perfeita com a natureza; fantasiando o futuro e desprezando o perigo; em tudo vendo esperança: no mundo só paz e amor...

É um caminho sem volta – esse do amor verdadeiro (sentimento que toca fundo o coração); é o puro mel da vida quando as duas metades se encontram; é uma imagem inconfundível – dois transformados um...

A maioria nunca viveu algo assim, porque quando viu não reconheceu e deixou passar pelo vão dos dedos ou reconheceu sem acreditar e por isso o perdeu. Hoje ao vê-lo no semelhante ironiza: - “O amor é lindo!” Considera ridículo o que gostaria de experimentar – sentindo uma pontinha de inveja por algo que nem sabe direito o que é. Mas intui o que seja e seu gene grita em conflito com as raízes da sua própria cultura - que aprisiona seus sentimentos e castra suas iniciativas, frustrando, assim, sua própria expectativa do sonho maior...

O comportamento é atípico e facilmente identificável. Não há como disfarçar, muito menos ignorar. Pode até ser motivo de comentário ou especulação, mas nunca – jamais – de censura. É um estado de graça de quem entrou no Paraíso e dele não quer mais sair.

Quem não o viveu não entende e quem assiste não compreende o paradoxo do amor. Essa é a teoria; na prática, deve ser um pouco pior!... Até porque, quem o vive pode descobrir, depois, que talvez não passe de uma grande, mas temporária ilusão. Tudo depende, é claro, da constituição de cada uma das metades da laranja. No final, o grau de compatibilidade define a questão... ou encerra o ato!

Lourenço Oliveira
Enviado por Lourenço Oliveira em 03/03/2006
Reeditado em 13/12/2009
Código do texto: T118314
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lourenço Oliveira
Salesópolis - São Paulo - Brasil
1277 textos (109610 leituras)
23 e-livros (1394 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 07:02)
Lourenço Oliveira