Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Projeto Dança de Rua é Cidadania

1. APRESENTAÇÃO

O “Projeto Dança de Rua é Cidadania” nasceu com a meta de estimular a produção cultural de nossa cidade que, apesar de muita diversificada, ainda encontra-se pouco difundida e muito distante da maioria dos nossos munícipes, especialmente no que se refere à prática da "Dança de Rua".

Assim, esperamos que com a implantação desse Projeto possamos difundir num espaço de poucos anos a cultura da “Dança de Rua” entre os estudantes de nosso município, fazendo com que essa arte funcione como um meio de integração social e desenvolvimento humano, contribuíndo para o desenvolvimento de nossa população.

Para tanto, apresentamos algumas informações básicas sobre a histórica da "Dança de Rua" no mundo e em nossa cidade, para depois apresentarmos as ações propriamente ditas desse Projeto.


1.1 CONHECENDO A HISTÓRIA DA DANÇA DE RUA

Hoje a Dança de Rua (do inglês Street Dance) está difundida por todos os lugares, mas pouca gente sabe o que ela é, ou como e onde foi que ela surgiu.

As primeiras manifestações de Dança de Rua surgiram nas grandes cidades dos Estados Unidos na época da grande crise econômica, em 1929, quando muitos músicos e dançarinos que trabalhavam nos cabarés e boates ficaram desempregados e foram parar nas ruas e praças, onde começaram a fazer suas apresentações artísticas e shows.

Na década de 60, a Dança de Rua se popularizou muito quando o cantor James Brown lançou o Funk. Desde então, o Funk ganhou o mundo e atualmente é considerado uma das mais fortes expressões da Dança de Rua.

Um pouco depois do nascimento do Funk, no final dos anos 60 e início dos anos 70, no bairro do Bronx, cidade de Nova Iorque, surgiram os DJ's (deejays) que são considerados os criadores da cultura do Hip Hop, que juntamente como o Funk, expressa a maioria das manifestações da Dança de Rua moderna.

O Hip Hop é uma mistura do Rap da Jamaica, do Graffiti e do Break. O Rap (é uma sigla inglesa que traduzida significa ritmo e poesia) que é a pura expressão da musica-verbal da cultura do Hip Hop. O Graffiti representa a arte plástica, expressa por rabiscos, frases e desenhos coloridos feitos por pessoas conhecidas como graffiteiros. É imporntante diferenciar “pixação” de “graffiti”, pois a “pixação” é um ato criminoso de vandalismo e o “graffiti” é uma prática legal que expressa uma forma de arte urbana. O Break nada mais é do que a dança típica do Hip Hop. Esse ritmo de dança só veio surgir em 1981, se incorporando aos outros elementos da cultura do Hip Hop. Em poucos anos o Break se expandiu para todas as partes do mundo, inclusive chegando ao Brasil, onde acabou incorporando elementos locais, com influencias da Black Music, Rock Nacional, Punk Rock, Samba, Pagode, MPB, e de muitos outros ritmos.

No início, os praticantes do Hip Hop eram conhecidos como pessoas que usavam roupas coloridas, óculos escuros, tênis de botinha, luvas, bonés e um enorme rádio gravador no ombro, mostrando os passos da Break Dance nas praças e esquinas das grandes cidades. Mais tarde, a cultura do Hip Hop acabou evoluindo bastante, agregando diversos valores e elementos novos, tornando-se uma cultura bem mais complexa.

Hoje, a Dança de Rua, através do Funk e da cultura do Hip Hop são os mais significativos meios que a periferia das grandes cidades tem para expressar suas angústias, dificuldades, necessidades e sonhos.


1.2 A DANÇA DE RUA EM GURUPI

As primeiras ações de Dança de Rua em Gurupi iniciaram em 1998 com o “Grupo de Dança de Rua A Nova Geração”, coordenado pelos adolescentes Antônio Santos Assunção, Alessandro Santos Assunção, Ebersson Gomes dos Santos e Marconi Assunção, todos alunos da Escola Municipal Antônio de Almeida Veras.

Em 1999, esse Grupo participou do 1º Festival SESI de Dança do Estado do Tocantins, em Palmas, que ocorreu no Centro Cultural Fernanda Montenegro. Nesse evento, além desses representantes de Gurupi estiveram presentes também diversos dançarinos de todas as partes do Estado.

Nesse mesmo ano, o “Grupo de Dança A Nova Geração” alugou uma Van para participar do 11º Festival de Dança do Triângulo Mineiro, em Uberlândia. Participar desse evento foi uma grande motivação para todos, o que fez que, ao retornarem para Gurupi, esse Grupo de Dança crescesse ainda mais.

Nos dois anos seguintes (2000 e 2001), eles retornaram novamente para Uberlândia onde participaram da 12º e 13º edições do “Festival de Dança do Triângulo Mineiro”, sendo coroados por duas vezes consecutivas com o “Prêmio Estímulo”.

No início de 2003, surgiu um novo Grupo de Dança na “Capital da amizade”, o Grupo de Dança denominado “Os Mensageiros de Rua”, liderado pelo dançarino Eberson Gomes dos Santos.

Em abril de 2003, a Associação Roda Vida, sob a coordenação da Vereadora Neuza Helena realizou o “Festival de Dança de Rua da Fundação Roda Viva”, que teve grande repercussão junto à comunidade gurupiense. Desde então, a Fundação Roda Viva só tem ampliado seus trabalhos e parcerias.

Em novembro de 2003, aconteceu o “1º Festival de Dança de Rua de Gurupi”, como uma ação dentro da programação da “8ª edição do Concurso Benjamin Rodrigues de Poesia Falada”. Esse evento aconteceu na Feira da Amizade, sob organização da Fundação Cultural de Gurupi, contando com a parceria da Secretaria Municipal de Educação e Desporto (SEMED), da UNIRG, da Academia Gurupiense de Letras (AGL), entre outros.

Em 2004, as ações do “Grupo A Nova Geração” foram paralizadas, surgindo daí inúmeros outros Grupos de Dança de Rua.

Desde essa época, o “Grupo Mensageiros de Rua”, sob a direção de Eberson Gomes dos Santos tem dado continuidade ao legado dos pioneiros da Dança de Rua de Gurupi, especialmente daqueles primeiros dançarinos do “Grupo A Nova Geração”.

Em 2005, o “Grupo Mensageiros de Rua” participou do 1º Festival de Dança do Estado do Tocantins, em Palmas, que foi promovido pela Fundação Cultural do Estado.

Desde fevereiro de 2007, o dançarino Eberson Gomes dos Santos deixou o “Mensageiros de Rua” e iniciou através do seu novo “Grupo de Dança de Rua Mensageiros de Deus” um trabalho social com cerca de 100 crianças e adolescentes em três Setores da cidade, São José, Bela Vista e Jardim Tocantins.

Nesse trabalho que é realizado, principalmente, nos finais de semana e feriados, o dançarino Eberson Santos procura passar através da aulas de dança inúmeros exemplos de cidadania e valores éticos e religiosos. Esses encontros são recheados de diversão e atividades lúdicas, onde ele repassa de forma simples e numa linguagem acessível ao jovens a importancia do respeito ao próximo, o valor da família, o amor a Deus, e a necessidade dos estudos para o sucesso na vida.

A proposta desse “Projeto Dança de Rua é Cidadania” se inspira nos trabalhos que já vêm sendo executados pelo “Grupo de Dança de Rua Mensageiros de Deus”.


2. OBJETIVOS

Os objetivos do “Projeto Dança de Rua é Cidadania” são muito amplos e, conforme acreditamos, serão alcançados ao longo de alguns anos, após muito trabalho e empenho dos seus idealizados, contando é claro com o apoio de nossos parceiros. Esses objetivos são:


- Difundir a prática da “Dança de Rua” no nosso municipio;

- Utilizar a “Dança de Rua” como uma forma de integração social e familiar;

- Promover espetáculos de “Dança de Rua” como uma atividade cultural para crianças e adolexcentes nas Escolas Municipais, Estaduais e Particulares;

- Criar e incorporar o “Espetáculo de Dança de Rua” no calendário cultural do nosso município.



3. PARCEIROS DO “PROJETO DANÇA DE RUA É CIDADANIA”

O “Projeto Dança de Rua é Cidadania” contará com a parceria das seguintes entidades:

Fundação Cultural de Gurupi

A Fundação Cultural de Gurupi é composta pelo Centro Cultural Mauro Cunha, Cine Teatro (em implantação) e a Biblioteca Pública Municipal Professora Deusina Martins Ribeiro, com acervo de 10.360 livros. No Centro Cultural Mauro Cunha existe um amplo salão para a realização de feiras, palestras, seminários, conferências, exposições de fotografias, artesanatos e artes plásticas, lançamento de livros, apresentações cênicas, de dança e musicais, dentre outros eventos. Como órgão de assessoramento da Fundação Cultural de Gurupi está em plena atividade o Conselho Municipal de Cultura.

Secretaria Municipal de Educação e Desporto - SEMED

A Secretaria Municipal de Educação de Gurupi foi criada na Administração do Prefeito Jacinto Nunes da Silva, 1983 a 1988. A primeira Secretária Municipal de Educação de Gurupi foi a professora Irene Rodrigues da Silva. A professora Irene foi sucedida pela professora e vice-prefeita Carmem Lúcia Prudente Vitorino, na primeira administração de Dr. João Lisboa da Cruz, 1989 a 1992. A professora Carmem foi substituída pelo Vereador Roberto José Ribeiro. O professor Roberto foi convocado pela Câmara Municipal e deixou o cargo que foi ocupado pela professora Maria Eide Rodrigues da Silva, , que ficou no cargo até o final do mandado de João Cruz, 31 de dezembro de 1992. No mandato do prefeito Raimundo Aimar Queiroz Barbosa, janeiro de 1993 a 31 de dezembro de 1996, foi Secretária de Educação a professora Maria Botelho, sendo substituída por Helena Lang de Morais. No mandato do prefeito Nânio Tadeu Gonçalves foram Secretárias as professoras Carmem Lúcia Prudente Vitorino e Deusderes Alves Acácio. No Governo de Interventor João Lisboa da Cruz respondeu pela Secretaria de Educação a professora Maria Eide Rodrigues da Silva. Na atual administração de Dr. João Lisboa da Cruz e Dr. Alexandre Tadeu Abdalla é detentora do cargo de Secretária a professora Maria Aparecida Ribeiro Lima Cezar.


4. AÇÕES DO “PROJETO DANÇA DE RUA É CIDADANIA”

As ações desse Projeto estão divididas em duas partes.

A primeira parte, são as aulas teóricas e práticas que serão desenvolvidas no Espaço Cultural Mauro Cunha com a participação de estudantes das Escolas Municipais, Estaduais e Particulares da Cidade.

A segunda etapa será a realização do “1º Festival de Dança de Rua do Sul do Tocantins”, que acontecerá na segunda quinzena do mês de novembro, em comemoração aos 50 anos de emancipação política de Gurupi.

Cada das duas partes do "Projeto Dança de Rua é Cidadania" será apresentada com mais detalhes a seguir.


4.1 AULAS DE DANÇA DE RUA

Aulas de Dança de Rua serão realizados contarão com ensinamento teórico e com atividades práticas.
As aulas serão ministradas todos os dias letivos, cinco vezes por semana, em dois turnos (matutino e vespertino), no Centro Cultural Mauro Cunha, que fica na Avenida Maranhão, entre as Ruas 02 e 03, Centro.

As aulas terão duração de 01 hora para cada turma de estudantes.  O tamanho das turmas será de 20 a 30 alunos.

Cada aula será ministrada por 2 ou 3 instrutores que juntos repassarão informações teóricas e prática, com o uso de equipamento de som do tipo portátil (microsystem). Com o passar do tempo, os melhores alunos poderão ser monitores de outras turmas que estejam iniciando nas aulas de "Dança de Rua". Não há idade, para se começar a praticar a capoeira, mas recomenda-se que a prática inicie aos 6 anos de idade.

Através dessas aula espera-se que haja a integração dos estudantes das diversas Escolas do município, pois se privilegiará as turmas mistas, que contenham alunos de mesma idade, mas que sejma de Escolas diferentes.

Os alunos serão estimulados a participar do “1º Festival de Dança de Rua do Sul do Tocantins” que irá acontecer no mês de novembro, quando a cidade completará 50 anos.


4.2 FESTIVAL DE DANÇA DE RUA

Esse será o “1º Festival de Dança de Rua do Sul do Tocantins”, que acontecerá na segunda quinzena do mês de novembro, em comemoração aos 50 anos de emancipação política de Gurupi.

Esse Festival vai durar 2 (dois) dias, sexta e sábado, e contará com a participação de cerca de 100 dançarinos em diferentes apresentações de Dança de Rua.

Haverá a premiação das melhores apresentações, por faixa etária.

 A realização desse Festival contará com ampla divulgação nos veículos de comunicação (jornais, rádios, etc.), pois será um momento de valorização e reconhecimento do aprendizado dos alunos, considerando que os mesmos terão a oportunidade de mostrar para toda a sociedade tocantinense os valores da “Dança de Rua”.

Logo a seguir, no item orçamento, estão apresentados os valores das passagens, hospedagem e alimentação do jurados de outras cidades que serão convidados para participarem do “1º Festival de Dança de Rua do Sul do Tocantins.


5. ORÇAMENTO

Para a realização desse “Projeto Dança de Rua é Cidadania” será preciso que os uniformes (calça e camisa) e aparelhos de som (microsystem). Além disso, pretendemos produzir material de divulgação (cartazes, folders, faixas, etc.) para divulgação do “1º Festival de Dança de Rua do Sul do Tocantins”. Por fim, apresentamos os valores referentes a vinda dos convidados (jurados) do Festival. O orçamento do “Projeto Dança de Rua é Cidadania” encontra-se logo abaixo, nos Quadros 1, 2 e 3.

Quadro 1. Orçamento do uniforme dos dançarinos e equipamentos som.

N° -- Itens ---------------------------------------- Valor R$ ----
01 -- 30 camisas ----------------------------------- 300,00 ----
02 -- 30 calças   ----------------------------------- 450,00 ----
03 -- Equipamento de som -------------------------- 150,00 ----
04 -- Material de divulgação (folders, cartazes etc.) -- 700,00 ----
Valor Total ---------------------------------------- 1.600,00 ----


Quadro 2. Orçamento das passagens, hospedagem e alimentação dos jurados convidados.

N° -- Itens ----------------------------------- Valor R$ --------
01 -- 3 passagens para jurados (ida e volta) --- 500,00 ---------
02 -- Hospedagens (3 diárias para 3 jurados) --- 300,00 ---------
03 -- Alimentação (café, almoço e janta) ------- 500,00 --------
Valor Total ------------------------------------ 1.300,00 ------


Quadro 3. Orçamento total do Projeto Dança de Rua é Cidadania.

Nº -- Itens --------------------------------- Valor R$ -------
01 -- Quadro 01 ---------------------------- 1.600,00 ------
02 -- Quadro 02 ---------------------------- 1.300,00 -------
Valor Total --------------------------------- 2.900,00 -------


6. BIBLIOGRAFIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE GURUPI. Secretarias – Educação e Desporto. Acesso em 06 de outubro de 2008. Disponível em: http://www.prefeituradegurupi.com.br/secretarias/educacao.htm

SALERA JÚNIOR, G. 2008. Dança de Rua. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/1082726

SALERA JÚNIOR, G. 2008. Dança de Rua em Gurupi. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/ensaios/1082728

SALERA JÚNIOR, G. 2008. Projeto Capoeira Viva. Gurupi (TO). Disponível em: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1047416

WIKIPÉDIA – A Enciclopédia Livre. Dança de rua. Acesso em: 02 de outubro de 2008. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a_de_Rua

WIKIPÉDIA – A Enciclopédia Livre. Hip Hop. Acesso em: 03 de outubro de 2008. Disponível em:http://pt.wikipedia.org/wiki/Hip_Hop


7. AGRADECIMENTOS

Esse Projeto se inspira no trabalho abnegado do dançarino Eberson Gomes dos Santos do“Grupo de Dança de Rua Mensageiros de Deus” que busca há vários anos difundir a prática da "Dança de Rua" na Capital da Amizade. A ele e à toda sua equipe dedico meus sinceros agradecimentos, desejando que o seu trabalho cresça e se multiplique enormemente nos próximos anos.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Gurupi – TO, Outubro de 2008.

Giovanni Salera Júnior
E-mail: salerajunior@yahoo.com.br

Curriculum Vitae: http://lattes.cnpq.br/9410800331827187

Maiores informações em: http://recantodasletras.com.br/autores/salerajunior
Giovanni Salera Júnior
Enviado por Giovanni Salera Júnior em 06/10/2008
Reeditado em 26/11/2011
Código do texto: T1214454
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Giovanni Salera Júnior
Brasília - Distrito Federal - Brasil
951 textos (1858249 leituras)
107 e-livros (23598 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/14 23:42)
Giovanni Salera Júnior



Rádio Poética