Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

In natura

 
Um sistema perfeito. Assim define os defensores da Natureza a tudo o que nela se protagoniza. É uma seqüência de acontecimentos, nada sobrevive ao acaso. Cada ser vivo tem sua função definida. Plantas e animais seguem o mesmo ritual de nascer, crescer, reproduzir e morrer. A visão poética se apega ao lirismo ignorando a luta que se trava entre os subtipos. É uma batalha sangrenta entre si e na superação das intempéries climáticas. É algo necessário aos “adolescentes” para que se tornem fortes e hábeis. Dos minúsculos plânctons aos bisões e rinocerontes, têm-se em comum os instintos de sobrevivência e da procriação. Sob a luz do velho sol, castas variadas se renovam e se distribuem por toda a terra. Nas águas, as algas e os micros organismos despoluem os rios e mares. Pequenas aves e animais rasteiros são “semeadores” desordenados. Têm-se os “acasaladores”: vespas, borboletas, beija-flores, agentes da fecundação entre as plantas. “Lixeiros”, na pele dos urubus e carnívoros de pequeno e médio porte, cuja ação é transformar as matérias orgânicas, do estado de decomposição, em insumos absorvíveis pela terra e, por fim, os predadores: grupo que contêm o avanço desordenado dos frágeis, velhos e deficientes. Não dependem de vestimentas - são nus-, nem do ouro ou dos brilhantes ocultos na terra, mas da vida farta que se faz sobre ela. Nem todos praticam o “beijo de língua” mas alguns são adeptos da felação e do incesto; o sexo é um mero instrumento de perpetuação da espécie. São nômades guiando-se pelo clima e as fontes alimentares. Fazem seus abrigos nas árvores, nas tocas ou mesmo ao relento. São livres, mas, ao mesmo tempo, sujeitos à ação impiedosa dos predadores. Práticos, poucos grupos preservam os idosos (Morrem na meia idade, nos combates) e nem os inválidos; (são, naturalmente, abatidos nos primeiros dias de vida) o que faz deles uma sociedade completa formada por fortes e férteis; sendo a maioria “jovens” vigorosos, “crianças” bem protegidas e conscientes dos riscos que têm que enfrentar. Suas atitudes mostram que cada grupo conhece o seu destino e se empenha na única missão dos seres vivos que é reciclar tudo o que é excessivo no sistema. São o que são: - animais- e isso basta! Dentre eles, porém, impõem-se à raça “sapiens”; seres providos de forma física favorável e imaginação ilimitada, mas perdem-se entre tantas possibilidades e assimilam o lado animalesco cultuado no underground das aglomerações em que vivem. Em sua sede de grandeza, transformam o sistema que, na ótica poética é perfeita, em inferno; e, nele, ainda vivem para serem deuses.

A Notícia.   out.2001.
 

 

 
Ciro do Valle
Enviado por Ciro do Valle em 06/04/2006
Código do texto: T134823
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ciro do Valle
Salesópolis - São Paulo - Brasil
99 textos (5150 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 16:13)
Ciro do Valle