Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

                      O PLANETA ESTUFA
         ( 22/04 DIA DO PLANETA TERRA )



Nosso planeta está doente! A Terra arde em febre e suas feridas são gravíssimas! O desgaste do nosso pequeno e único lar está se agravando com o passar dos anos. Já sabemos ser inevitável o agravamento da degradação ambiental no planeta e que não há como determos eficazmente os conseqüentes danos catastróficos que o efeito estufa PROVOCA E PROVOCARÁ nos anos vindouros.

Muitos ecólogos, ONG's, cientistas, Governos e pessoas comuns já manifestaram suas preocupações a este respeito. Mas, para nossa surpresa, a mais de 15 anos este assunto é ignorado ou deixado de lado através de tratados que engodam os esperançosos e envergonham nossa credulidade no homem.

PARIS - Representantes de 180 países se reuniram em Lyon para decidir como seria colocado em prática o acordo que determina diminuir a emissão dos gases que provocam o efeito estufa.

Como todos temiam... "Muitos países estão esperando para ver que medidas serão adotadas na Holanda antes de ratificar o Protocolo de Kyoto. Se um número suficiente de países não o ratificar, o acordo não entrará em vigor em 2002, como previsto", disse uma autoridade do governo francês." ... E não confirmaram...

O Protocolo de Kyoto obrigaria os países industrializados a diminuir entre 2008 e 2012 sua emissão de gases que provocam o efeito estufa a um nível 5,2% menor que a média de 1990.

Ficou claro a completa e integral discordância mundial sobre a questão meio ambiente (global). Os países mais poluidores e mais ricos boicotaram diplomaticamente suas participações. Mais uma vez, a máquina do progresso que sempre esteve amparada sobre a utilização dos combustíveis fósseis e de processos industriais altamente poluentes, ainda não está interessada no avanço (mesmo que real e possível) nas pesquisas tecnológicas que seriam alternativas e viabilizariam as restrições como no tratado de Kyoto ou aquelas nas quais o caráter impositivo determinaria limites e punições sobre o uso do ouro negro .

Nações como os EUA, por exemplo, gastam milhões para manter a economia interna equilibrada e controlada, obrigando diplomaticamente nações pouco desenvolvidas ou em desenvolvimento a uma espécie de subserviência econômico-governamental que visa engendrar, dentre outras ações, a grande canalização de investimentos com refluxo de capital a juros elevados. Em nosso caso, o processo de infiltração de corporações empresariais estrangeiras na desestatização de nossas empresas representam um fator a mais na equação desequilibrada de nossa economia.

A devassa estrangeira para exploração de recursos naturais como o petróleo, minérios e recursos ambientais diversos e esta falsa abertura de mercado, corrompem muito mais que uma suposta soberania, ela determina e nos condena a uma dependência político-econômica que prioriza compromissos externos e agrava todos os problemas sociais. Este mesmo país, além de avançar para o esgotamento de algumas de suas reservas minerais e naturais, torna-se a motriz deste mesmo processo de vampirismo ambiental junto aos países circunvizinhos. Nos EUA, o que se gasta para manutenção do arsenal nuclear num ano daria para resolver o problema da fome no mundo no mesmo período... E em contrapartida neste mesmo país as desigualdades sociais são latentes e os distúrbios sociopatas acontecem com uma frequência considerável.




Com muita ironia no contexto, urge entender que o ser humano ainda não compreende com exatidão os mecanismos evolutivos do universo que o cerca e não está preparado para dirigir seguramente o seu "passo" . Antigos profetas estavam conscientes de que o figurativo ARMAGEDOM, guerra de Deus contra as nações, estava espelhando-se nas forças da natureza! Nós, os cordeiros, estamos começando a entender que o feedback planetário mostra ser o que observamos no El Ninho, nas novas e violentas nevascas ao norte da Europa e América do Norte, na elevação do nível dos mares, nos terremotos mais frequentes e destrutivos como na Índia, na desertificação de terras antes férteis, nas doenças que assolam os continentes, na escassez de água potável, no aumento da temperatura global e uma centena de outras revoluções naturais que a Providência divina nos devolve gradativamente como um alerta inexorável de suas leis universais... A nós, resta apenas esperar e rezar para que Este mesmo LOGOS nos dê o limite, posto que estamos a beira de um gigantesco rodamoinho que irá nos destruir pelo simples fato de o ignorarmos.

Pense bem! Quem poderá revitalizar as florestas e ozonizar nosso escudo protetor? Quem fará recuar o ar impuro e limpará a água? Quem poderá produzir alimento em solo estéril e alimentar populações logarítmicas?

Dentro de pouco tempo veremos que a falta de víveres se apresentará como realidade mundial, a escassez de água potável não será mais localizada e sim globalizada... E que além do agravamento das tênues relações sociais haverá o aceleramento da extinção de vários nichos de vida. O que mais poderemos fazer a não ser observar tal extinção? Será nossa sábia inércia ou nossa estulta incapacidade?


QUEM SABE...

No primeiro mundo talvez se consiga isolar um seleto grupo de humanos no cativeiro de uma mega estação espacial e esperar que a guerra nuclear limpe o solo do resto de nós ...

Então a estufa e os clones farão sua parte para repovoar o novo céu e a nova terra onde não haverá muito para viver! ( tal sobrevivência terá o milênio mais infernal de todos! )

Talvez consigamos recriar o que o LOGOS, em miríades de miríades de anos, levou para criar...


Mas, no filme da humanidade, só a providência preservou-nos do desastre total... Que venha o buraco negro! E que Deus nos guie por este novo universo, nesta nova odisséia de continuar vivendo...


Mauro Marques Girão
Instituto Terra Brasil



florzinha
Enviado por florzinha em 22/04/2006
Código do texto: T143176
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Socorro Teixeira de Castro ( Flozinha)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
florzinha
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 64 anos
4138 textos (1195079 leituras)
5 e-livros (3402 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 13:04)
florzinha