CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

RELAÇÕES EXTRA-CONJUGAIS RECOMENDAM-SE.......

Relações extra-conjugais recomendam-se (ei não sou eu quem o diz é a Dr.ª…hahaha)
 A Dra. Lucielle Ostertag do Instituto Italiano das Ciências Sociais conduziu um estudo que demonstrou que os casos extra-conjugais são saudáveis ao casamento. De acordo com o estudo cientifico, quanto mais casos extra-conjugais um casal viver, mais probabilidades têm de ficar juntos e serem felizes para sempre. A Dra. Lucielle Ostertag ate deu alguns conselhos para aqueles que querem tentar ter um flirt

 (OBS: a palavra flirt é aqui usada para designar relacionamentos extra-conjugais... um flirt, é igual a um baixo envolvimento emocional de curta duração entre duas pessoas  que se ligam fisicamente, num acto sexual, podiam não saber o significado da palavra…hhahaha…agora esclarecidos vou continuar )

  para fortalecer o seu casamento. Os conselhos incluem a Regra da Longa Distância: sempre que estiver fora da sua área de residência isso não conta como traição (esta deixo-me sem comentários e olhem que é difícil acreditem …hahahahahaa) não pergunte/ não diga, viva livre de culpas e não se mantenha em contacto com as pessoas com quem enganou o seu cônjuge. Ela diz ainda que casos no estrangeiro são melhores porque é pouco provável que seja apanhado.(Acabo por não perceber porque há tantos divórcios será que estão a haver poucos flirts …)
 Quem se envolve nesse tipo de relacionamento considera essa superficialidade como uma vantagem. O que se deseja é variedade, excitação, mais uma conquista, os flirts são relações que morrem depressa, depois de consumados perdem a graça.(pelo menos era isso que deveria acontecer mas há sempre excepções a regra) A curiosidade pelo desconhecido, a tensão que isso provoca, a indecisão, o suspanse, tudo isso logo se apaga, em geral sem provocar grande perturbação.
Quem se envolve nesse tipo de flirts não encara a infidelidade como um grande mal, algo que possa criar algum drama de consciência, mas sim como uma simples fraqueza, característica de um desejo normal por novidade e variedade. (o flirt para alguns é uma espécie de aspirina para um casamento que não vai muito bem. Diminui a dor, mas não cura nada…hahahahaa)

O dever de uma eterna fidelidade apenas serve para fomentar adultérios quando conseguirem entender isso talvez algo mude....

 Querendo saber mais acerca desta matéria continuei a minha pesquisa com um profundo estudo. Os psicólogos ponderam que nem todos os casos de infidelidade são consequência de relações sentimentais em estado terminal. Às vezes, os flirts surge de uma forma tão inesperada que surpreende até mesmo os envolvidos Segundo recentes pesquisas, cito as desculpas mais frequentes atribuídas à flirts casuais, ou seja, aqueles em que não há envolvimento sentimental:(mas alguem acredita nisto)
 - Excesso de álcool ou drogas.
- Atracão pelo risco, pela aventura.
- Falta de horário fixos.
- Diminuição da atenção emocional entre o casal.
- Permissividade e falta de compromisso na relação.
- No caso dos homens há estudiosos que defendem a causa da infidelidade como uma imposição genética, para assegurar a reprodução e, consequentemente, a sobrevivência da espécie.
- Com relação aos homens muito jovens, existe a cultura de que suas conquistas aumentam seu prestígio como macho.(tenho duvidas até que facha etária se referem a muito jovens…hahahahaha)
- Nos tempos actuais prevalece a teoria de que não existe infidelidade se não se consumar o acto sexual. Assim, encontros íntimos onde haja apenas carícias de todos os tipos, porém sem o acto da penetração, não são infidelidade(será que alguém acredita nisto…)
Continuo muito interessada na minha pesquisa
 Acabo de ler
 “para que o homem aprecie a sua mulher, não há nada melhor do que uma boa dose de outra mulher” escusado será de dizer que foi de autoria masculina …. Mas não deixa de ter a sua graça confesso
  Mais a frente continuando o meu estudo acerca dos flirts deparo-me com “O fardo do casamento é tão pesado que são precisos dois, para carregá-lo, e, por vezes, três” já para não falar de cinco mas isto foi mesmo um aparte….vou continuar…

Em todo caso, afirmam os estudiosos do assunto, os "infiéis" que se baseiam em desculpas, como as citadas, para justificarem suas aventuras, devem estar atentos, principalmente se forem casados ou se tiverem uma relação estável, às consequências previsíveis e imprevisíveis de seus casos aparentemente inconsequentes.
 Muitas vezes, a infidelidade, por mais inocente que possa parecer, pode destruir um relacionamento de sólidas estruturas, mesmo contra a vontade de quem trai. É preciso estar consciente dos riscos que envolvem a infidelidade, justificável ou não…(sim ao que parece há infidelidades justificadas...agora já estou muito mais descansada...hahaha)
Acabo de constatar O adultério é a forma natural de ser do homem!
mas mesmo com esta constatação tão evidente vou continuar com as desculpas mais frequentes mas desta vez com muitas conclusões…bem pessoais…
Algumas destas incluem insatisfação com a relação matrimonial, vazio emocional, necessidade de variedade sexual, incapacidade em resistir a novas oportunidades sexuais, não estar mais apaixonado, crescimento desigual quer em termos culturais como sociais.....
 A perda do alto nível de paixão e desejo que existe no início do relacionamento pode resultar em tédio ou evoluir para um sentimento de apatia em relação com o parceiro. Combinado com todos os outros stress e complexidades de um relacionamento de longo prazo…
 tais como problemas financeiros, problemas com os filhos, mudanças de emprego, mudanças de status, etc., a perda de paixão pode levar a um desejo de redescobrir… com o início de um novo flirt…
 Assim sendo, o que leva aos flirts, pode não ser o desejo de experimentar um novo e proibido relacionamento sexual, mas a necessidade de re-experimentar o nível intenso de paixão e a sensação de estar apaixonado e tudo que isto implica. Portanto, casos extraconjugais podem ser o resultado de uma incapacidade em manter um relacionamento emocional satisfatório com um mesmo parceiro por um longo período de tempo e não devido a uma necessidade natural de variedade sexual…bem as coisa que eu digo as vezes ate fico surpreendida comigo mesma…hahahahaha
 Possivelmente a nossa necessidade (quando falo “nossa” refiro me ao sere humano só para que não suscitar duvidas a terceiros….) por experiências emocionais intensas leve-nos a desejar a redescobrir estes sentimentos que ocorrem no início de um novo flirt. Seja isto a nova expectativa de que a paixão permaneça ou a nossa ineptidão em manter a paixão a longo prazo, a perda disto parece ser o principal factor que leva a iniciar um novo flirt....
 Uma vez iniciado, o alto nível de paixão experimentado em um flirt parece ser um poderoso componente na manutenção do mesmo.
Se o relacionamento interpessoal for satisfatório para ambos, e a paixão for ainda uma parte integrante do flirt, a necessidade de experimentar parcerias novas ou diversificadas pode não existir…(ao chegar a esta conclusão questiono o porquê de vários, múltiplos flirts ao mesmo tempo…hahaha de que lado esta a insatisfação …peço desculpa mas neste momento e ao chegar a tal conclusão não consigo parar de rir…já recomposta continuo )
As respostas a minha pesquisa indicam claramente de que a falta de  sentimentos pelo parceiro é o que levam a envolver em flirts. Especificamente, muitas pessoas relatam sentirem-se indesejados, ignorados, sexualmente frustrados e não desejados por seus parceiros.
O não estar mais apaixonados pelos seus parceiros e a falta de intimidade que uma vez tiveram. Em quase todos os casos os membros casados que tem um flirt relataram que se sentem mais vivos, mais sexualmente desejados e mais apreciados por suas amantes do que por suas mulheres
Na realidade, a minha pesquisa indica que casos extraconjugais baseados somente no desejo sexual por um novo parceiro sexual representa uma pequena percentagem do número total de casos. Portanto, parece que o atractivo do flirt não são as novas experiências sexuais, nem se deve a uma inabilidade biológica de permanecer monógamo, mas há falta de preenchimento emocional dentro do relacionamento existente.(por vezes consigo ser tão clara)
Isto indica que o desejo por uma nova experiência sexual não é o motivo inicial para a busca de flirts, tal só acontece quando há uma quebra da relação emocional. Apenas então, depois de haver um desgaste do relacionamento conjugal, inclusive perda da paixão, falta de intimidade e perda da satisfação emocional e sexual, o parceiro sexual insatisfeito procura por um novo amante para atender suas necessidades. ido a procura do tal flirt
Isto não significa que a experiência da paixão sexual dentro o flirt não seja parte da força impulsionadora que mantém o flirt É possível que os padrões de comportamento que levam a um flirt possam ser muito diferentes dos padrões que o mantém. Isto na verdade, é o que me parece ser verdadeiro.
Mas esta é a minha mera opinião os demais devem de gostar da opinião da DRª Lucielle Ostertag torna se mais conveniente para as suas relações -extra conjugais hahahahaah  ou flirt........
nokas
nokas
Enviado por nokas em 04/03/2009
Reeditado em 05/03/2009
Código do texto: T1469784

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
nokas
Portugal, 32 anos
99 textos (17953 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/08/14 21:15)