CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Preservação da Natureza

Benedita Azevedo

O ser humano destrói a natureza por ignorância, pois, não sabe os riscos que corremos com a sua destruição, e também, por interesse. Pensam apenas em se dar bem de qualquer jeito, esquecendo-se das conseqüências disso para o futuro, e ainda,  por descaso, achando que não acontecerá nada com ele e sua família, porque, quaisquer que sejam os resultados disso tudo, só acontecerão num futuro longínquo e seus descendentes não sofrerão as consequências.

O pequeno agricultor que vive do cultivo da terra, na maioria das vezes, arrendada, ignora  os efeitos das queimadas. Ele faz o seu roçado, planta os alimentos que consome e leva para o dono da terra o foro [fóru]; no outro ano, aquele lugar é abandonado e faz sua roça em outro pedaço de terra. Derruba a mata, queima  e planta de novo. Nesse processo vai destruindo a floresta na maior inocência. Depois de três ou quatro anos ele volta ao local e derruba a capoeira, como chamam os locais onde foram feitas as roças anteriores. Nesse processo vai destruindo todo eco-sistema. É comum veem-se após a queimada várias espécies de animais mortos.

Além disso, os interessados em explorar os recursos naturais não respeitam as leis, atropelam quantos lhes atravessam o caminho. Corrompem índios, pequenos agricultores, políticos locais e até matam para que seus interesses sejam preservados. Contam com a impunidade reinante em  todos os segmentos de nossa sociedade.

Temos também o descaso e falta de interesse de nossas autoridades, que não levam a sério o que acontece com o meio ambiente. Não é de sua responsabilidade. Praias sujas e poluídas é problema de quem vai tomar banho ou mora por perto. Manguezal destruído não lhes faz falta. Que lhes importa se não houver peixes e crustáceos? Poderão comprar filé mignon e caviar. Os pobres que catem no lixo o que eles rejeitam. Ou que recebam o cheque cidadão 50 reais ou passem o dia todo na fila para comerem por 1 real. Limpeza das encostas, galerias, rios e canais para evitar enchentes, para quê? Se cada um está na sua mansão bem protegido com a família.

No Brasil e no mundo as autoridades se acomodam. Países que destruíram suas florestas, hoje ambicionam a posse da Amazônia, sob a alegação da falta de fiscalização das autoridades dos países onde ela está. E o que fizeram para preservar as suas que foram destruídas? A exploração das riquezas naturais, os interesses na diversidade de nosso eco-sistema  despertam-lhes a ambição e a esperteza. Confesso que tenho receio da acomodação de nossas autoridades.

Por tudo isso, para se preservar a natureza, é fundamental que a educação ambiental comece na família. Que a escola se empenhe em reforçar a necessidade de preservar o meio ambiente evitando jogar lixo nas ruas, encostas, rios e canais. Que as autoridades competentes estejam atentas e desempenhem o seu papel, de cumprir e fazer cumprir as leis de proteção ambiental e que dêem exemplos de ética e moral não se deixando corromper com o dinheiro fácil das propinas.

Praia do Anil, Magé – RJ
28 / 08 / 2005

Benedita Azevedo
Enviado por Benedita Azevedo em 29/03/2009
Reeditado em 16/07/2013
Código do texto: T1512883
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Obras à venda

Sobre a autora
Benedita Azevedo
Magé - Rio de Janeiro - Brasil, 70 anos
785 textos (494322 leituras)
8 e-livros (5564 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/14 16:36)

Site do Escritor