Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Alma do Dia-a-dia

A Alma do Dia-a-dia

       Tive muitas oportunidades de ler vários artigos e matérias que falavam do universo da mulher moderna, como ela conseguiu encontrar o caminho para administrar seu tempo entre o trabalho e a família. Como cuidar de sua saúde e beleza, ser mãe e mulher e ainda manter uma vida social ativa.
       Analisando as informações que encontrei, resolvi falar sobre um ponto que considero fundamental para que todo o resto funcione harmonicamente: o equilíbrio.
       Acredito que a mulher sempre foi a alma da família. Mesmo na época em que o patriarca ditava normas e regras e comandava tudo, a mulher, embora mantendo uma postura aparentemente submissa, conseguia com um jeito muito peculiar, manter a estrutura do lar, tomando para si as rédeas em situações de conflito. É bastante comum ver famílias se dissolverem com a morte da matriarca.
       Mas com o passar do tempo, as atribuições femininas foram se ampliando e ganhando novos terrenos; e haja fôlego para enfrentar tudo isso! Queremos sempre que o dia tenha mais de 24 hs.
       Cada mulher acaba encontrando sua própria maneira para chegar a esse equilíbrio. No meu caso, aproveito cada oportunidade para desenvolver meu trabalho e atividades particulares, e, com muito carinho e amor, consegui que minha família percebesse que sou um ser humano falível, com anseios e desejos e com um projeto de realização pessoal.
Quando decidi parar de trabalhar  – sou publicitária – estava plenamente consciente da grande mudança que teria que enfrentar. Mas naquele momento, cuidar pessoalmente de todas as necessidades de meu filho era prioritário. Dois anos depois nasceu minha filha. E assim, há 11 anos não trabalho fora de casa.
       Mas não estar no mercado de trabalho formal nunca significou estar alienada. Estudo muito, escrevo mais ainda e estou sempre antenada ao que se passa no  mundo. Acompanho meus filhos nos estudos, participo da vida profissional de meu marido, cuido da casa e de mim.
Você pode estar pensando: “Ela pensa que é uma super-mulher?”.
       Não! E aí está o segredo. Todos sabem que um dia vou estar cansada, estressada, com dor de cabeça ou simplesmente com preguiça. Posso quebrar um copo, queimar uma comida, esquecer um compromisso.
       Não abro mão de estar conectada ao astral, aos meus mentores e amigos espirituais. E não busco fórmulas ou regras para manter essa sintonia. A vida já é corrida demais e temos que aprender a simplificá-la.  Adoro o mato, a natureza. Se não posso viajar, acordo descalça e vou até o jardim, sentir a energia que brota da terra. Se moro em apartamento, abro a janela e sinto a transmutação que o vento  proporciona.  Se não há vento, busco a energia do sol ou da lua.
       Vejo na mulher os quatro elementos:
       Mulher Amor – Ar
       Mulher Mãe – Terra
       Mulher Fonte de Vida – Água
       Mulher Fêmea - Fogo
       Ao deitar, faço minhas orações, mentalizações positivas, relaxo, respiro. Acendo uma vela ou um incenso.
       Cada minuto é sagrado no sagrado mundo feminino.
       Nunca lutei para ser uma “super-mulher”, e com isso, conquistei um bem maior: ser livre, ser simplesmente MULHER.
 
Rose Elizabeth Mello
Enviado por Rose Elizabeth Mello em 09/05/2006
Código do texto: T152954
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rose Elizabeth Mello
Fortaleza - Ceará - Brasil
29 textos (2600 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:25)
Rose Elizabeth Mello