Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SIMPATIAS, SUPERSTIÇÕES E CRENDICES

----------------------------------------------------------------------------------------------------

Coisas de Nossa Gente

 

As lendas e crendices de nossa gente. São tão incontáveis e lindas por sua cativante ingenuidade, que não consigo conter o desejo de expor a vocês a minha antologia, todas colidas em diversas fontes.

1. SIMPATIAS

Para as moscas mudarem de sua casa, faça em jejum, e, em qualquer sexta-feira pela manhã, o seguinte pedido:

Moscas malvadas,

da sexta pro sábado

estejam mudadas.

Quando beber água de uma fonte, de um poço, ou doutro local qualquer. Diga antes de beber a água:

Aqui passou S. João,

Com uma cruzinha na mão.

Se esta água tiver baba,

Não me chega ao coração.

Quando uma visita está demorando a ir-se embora e começa a aborrecer joga-se umpunhado de sal no fogo. A visita vai-se emboralogo.

Para emagrecer, amarrar na cintura, por baixo das roupas, um cordão bem fininho.

Devemos sair de casa ou entrar em qualquer lugar, sempre com o pé direito, para evitar o azar.

Na hora de acordar, abra os dois olhos ao mesmo tempo para ver, durante o dia, tudo com clareza e não ser enganado por ninguém.

Quando se perde alguma coisa e não se consegue encontrar, toma-se uma palha de milho e damos-se nela trêsnós, com o que se amarra o diabo, e o objeto perdido aparecerá. Mas, depois de encontrá-lo não se deve esquecer-se de desmanchar os nós, se nãotudo de ruim acontecerá na casa.

Queimar chifre de boi e casca de coco no canto da casa, à noite, espanta o capeta.

Ponha um caroço de melancia na testa e, antes que ele caia, faça um desejo.

Se tivermos um gato e formos mudar de casa, é bom passar manteiga em suas patinhas, para que ele não volte para a casa antiga.

Pôr um chifre de boi estrepado na ponta de um pau, no terreiro, espanta o capeta.

Para garantir muito sol no seu dia de seu casamento, dias antes, leve alguns ovos a uma igreja de Santa Clara.

Quando tiver um tremor, é porque a morte passou por perto de você. Diga rápido: Sai morte, que estou bem forte.

Deixar um copo de vidro cheio de sal grosso no canto da sala traz sorte.

2. SUPERSTIÇÕES E CRENDICES

Dois dias antes de se encontrar com a moça desejada, coloque um vaga-lume numa caixa de fósforos, e na hora de fechar prende ai a ponta de um lenço. No dia do encontro, sem que a moça veja, trace três cruzes no ar, atrás dela, com esse lenço. A moça fica perdidamente apaixonada.

Deixar alguém morrer sem vela na mão, a alma fica no escuro, e o demônio leva a alma para as trevas do inferno.

Tirar leite de vaca ou de cabra na Sexta-Feira Santa é pecado. O leite ao sair do úbere da vaca, ou da cabra, vira sangue; e o animal fica inutilizado porque nunca mais se pode ordenhá-lo.

Quando míngua a lua, não comece coisa alguma.

Varrer a casa de noite, espanta a tranquilidade.

Deixar tesoura aberta é sinal de morte.

Não devemos deixar bolsa apoiada no chão se não quisermos perder dinheiro.

Se você colocar a meia do avesso, não se preocupe: é sinal de que uma boa notícia irá chegar. 

Fazer a barba depois da comida produz congestão.

Coceira na mão esquerda é sinal de dinheiro extra.

Coceira na mão direita é sinal de que vai perder muito dinheiro.

Coceira na sola do pé significa viagem ao exterior.

Deve-se usar um galho de pinhão roxo dentro da casa para evitar mau-olhado.

Ver uma borboleta voar dá sorte para o dia.

Ter um elefante de enfeite, sobre um móvel qualquer, sempre com a tromba erguida, e de costas para a porta de entrada, evita a falta de dinheiro.

Se a primeira visita do dia 1º de janeiro for um homem, ela trará felicidade para o ano todo.

Para atrair dinheiro, usar uma peça qualquer do vestuário na cor amarela, essa cor representa o poder do ouro.

Não se deve matar galinha na Sexta-Feira Santa. Quem o fizer, ficará com o braço com que torcer o pescoço da galinha, paralítico, como castigo.

Se duas pessoas enxugarem as mãos, ao mesmo tempo, na mesma toalha ficarão inimigas.

Andar de costas. A mãe morre.

Orelha quente é sinal de que alguém está falando mal de você. Nesse caso, vá dizendo o nome dos suspeitos até a orelha parar de arder. Ou então, morda o dedo mínimo da mão esquerda: a pessoa irá morder a própria língua.

Dar e depois tirar deixa a pessoa corcunda ou aleijada.

Trabalho em dia de domingo não vai para frente.

Não se deve pregar novamente um botão que cai de qualquer peça do vestuário, porque dá azar.

Perder pedra de anel é prenúncio de morte de pessoa da família.

Cuspir no fogo seca o cuspe para sempre.

Quando se empresta um canivete deve-se devolvê-lo aberto para não haver briga.

Beber água com o rosto voltado para o sol. Deixa a boca torta.

Colocar uma nota de dinheiro dentro do sapato atrai riqueza.

Segundo a crença de nossossertanejos, a figueira é planta do diabo. As sextas-feiras não se deve passar porbaixo de figueiras. É tido comocertoque nas figueiras, nesse dia da semana, há reunião de demôniosqueali fazem suasorgias.

Criançaque morre semserbatizadaviraserpente.

Ficar se admirando num espelho quebrado, significa quebrar a própria alma.

• Não presta saltarporcima de criança: elanão crescerá mais.

Quando aparecem manchas brancas nas unhas: vai se ganhar dinheiro. ®Sérgio.

Veja também (clique no link):

Simpatias para Curar Doenças

Superstições, Crendices e Simpatias (2)

Essas três antologias estão reunidas no e-livro: CRENDICES, SUPERSTIÇÕES E SIMPATIAS DE NOSSA GENTE (clique no link para baixá-lo).

____________________

Para copiar este texto: selecione-o e tecle Ctrl + C.

Agradeço a leitura e, antecipadamente, qualquer comentário.

Se você encontrar omissões e erros (inclusive de português), relate-me.

Ricardo Sérgio
Enviado por Ricardo Sérgio em 19/06/2009
Reeditado em 06/05/2010
Código do texto: T1657612

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (" Você deve citar a autoria de Ricardo Sérgio e o site www.ricardosergio.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo Sérgio
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 67 anos
1281 textos (14824768 leituras)
7 e-livros (6192 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/14 13:10)
Ricardo Sérgio



Rádio Poética