Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Carta a Paulo Renato, Ex-Ministro da Educação – Governo FHC.

Caro Paulo Renato. Li o seu artigo, publicado em 07/06/06 no Estado de São Paulo. Segue minhas ponderações:

Antes de mais nada, gostaria de mencionar que não faço parte de nenhum partido político. Minha análise em relação ao seu artigo, sua Gestão, e os rumos da Educação brasileira são meramente particulares, de um cidadão brasileiro preocupado com o futuro do nosso querido país.

Na minha opinião, no governo FHC, a Área de Educação comandada pelo senhor, obteve avanços significativos no que diz respeito à quase totalidade de crianças com até 14 anos estarem matriculadas no ensino fundamental. Não sei se isso é algo a se comemorar, em um período razoavelmente grande, de 8 anos. Mas não estou aqui para criticá-lo.

No Governo Lula, estamos sobre a “tutela” de um 3º ministro, Fernando Haddad. Pelo que sei, diferentemente dos anteriores, é um técnico proveniente do próprio Ministério da Educação. Anteriormente, passaram por lá Cristovam Buarque e Tarso Genro (este, deixou o ministério para ser presidente do PT, tamanho o descaso do governo com a área). Também neste ponto, FHC leva vantagem em relação à Lula, pois manteve o mesmo ministro durante todo mandato, que pôde exercer um trabalho mais duradouro. Mas a minha crítica a atual gestão não é apenas em relação à troca excessiva de Ministros, mas também, em relação às políticas. Ponderando novamente, procuro ser justo, portanto não sou um crítico assíduo de Lula, pois acho que sua Gestão está auferindo bons resultados na Área Social e Econômica. Mas isto não vem ao caso. O Tema aqui é Educação.

Como disse anteriormente, na sua Gestão, houve o que seus “marketeiros” chamaram de “universalização do ensino básico”; nomenclatura à parte, na minha opinião, houve avanço neste quesito. Logo, me parece claro o caminho que deveria ser seguido pela atual gestão: Melhoria da qualidade do Ensino Básico e Universalização do Ensino Médio. Porém, ao contrário de meus anseios, este governo preferiu construir uma casa a partir do telhado, pois só investe em universidades públicas, pró-uni, etc. São programas/telhados importantes, desde que os pilares, os alicerces, a estrutura desta residência chamada Educação estivesse em boas condições. Muito pelo contrário. Está ai também, a minha clítica em relação ao seu artigo, pois travava em embate comparativo entre sua gestão e a do governo Lula, mas com enfoque principal no Ensino Superior!!! O Ensino Superior do Brasil é de boa qualidade, e, vamos falar a verdade: salvo raríssimas exceções, SÓ RICO CURSA. E não me venham com medidas paliativas e discriminatórias, como a adoção de quotas. Volto a dizer: é necessário melhorar a raiz, e não colher os frutos podres e colocá-los em cesto coberto por frutas frescas.

Hoje em dia observamos crianças que estudam até a 8ª série e não aprenderam sequer a ler e escrever. Não sabem as 4 operações fundamentais da Matemática. A lacuna entre o ensino particular e o público é imensa. Quando adolescente, o jovem deixa de estudar e se torna rapidamente matéria-prima para o crime organizado, ou, na melhor das hipóteses, trabalhador em um sub-emprego. Ouço diariamente discussões sobre crescimento sustentável da economia através de redução de juros, reforma tributária, investimento em infra-estrutura, etc, etc , etc. Uma discussão vazia, na minha opinião, pois esquecem do mais importante: a Educação.

Senhor Paulo Renato; não sei se o senhor vai ler este texto/desabafo. Mas caso o senhor tenha perdido 5 minutos, peço-lhe um favor: Utilize um pouco de sua influência, e por que não, o seu respeito pela área da Educação, e entre em contato com o Ministro Fernando Haddad e discuta o assunto com o seu colega. Vou mais longe: após esta eleição, por que não selar um pacto envolvendo PT e PSDB no que diz respeito à formulação de políticas públicas para a Educação? Parece-me que haverá alternância de poder entre esses 2 partidos, então por que não deixar as vaidades de lado, e buscar um objetivo comum, o avanço da Educação? Os resultados obtidos via investimentos de Educação são auferidos em longo prazo, ou seja, transcendem as eleições, disputa de poder, etc. Já perdemos os próximos 10, 15 anos, com o ensino pífio que oferecemos nas décadas passadas e nos dias atuais. Se não começarmos a melhorar a educação logo, com políticas sérias e envolvimento de toda a sociedade, talvez este país se torne o “país das décadas perdidas”, ao invés de “o país do futuro”.


E-mail enviado ao ex-ministro. Espero que ele leia.

Obs: Para registro, recebi um e-mail do Ex-Ministro da Educação, Sr. Paulo Renato em 20/06/06. Pelo que ele escreveu, me parece que ele não leu meu texto. Disse apenas que irá me enviar um livro sobre Educação Gratuitamente.

ilsanches@gmail.com
Ivan Sanches
Enviado por Ivan Sanches em 08/06/2006
Reeditado em 28/06/2006
Código do texto: T171459

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ivan Sanches
Santo André - São Paulo - Brasil, 34 anos
141 textos (12231 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 09:04)
Ivan Sanches