Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Internet: Fábrica de Mentiras

Nos últimos anos a Internet tornou-se um dos meios de comunicação mais utíl e eficiente de todos os tempos. Virou também uma excelente ferramenta de trabalho e lazer, empregada por milhões e milhões de pessoas em todo o universo. As notícias, fatos e fotos, mensagens e comunicados nos chegam com velocidade impressionante. As correspondências agora parecem ser algo pré-histórico, na era pós e-mail. Passamos a ter endereços eletrônicos. Alguém aí se lembra daqueles antigos álbuns de fotografias, oferecidos sempre como brinde após as revelações em lojas do ramo? Pois é, isso parece estar cada vez mais raro. O álbum da família, dos amigos e das baladas agora também são eletrônicos, digitais. Assim como nosso endereco@algumacoisa...
Nossa vida está on-line.
Fotos impressas agora são tão antigas como ter que telefonar pra falar com o vizinho da rua de cima. Bsta conectar-se a algum programa de troca de mensagens instantâneas, mandar um e-mail ou um recado, aquele já popular 'scrap' na página do amigo, hospedada no Orkut, a maior e mais popular rede de relacionamentos on-line. Diário? O que é mesmo isso? A moda agora é escrever as memórias, sentimentos e pensamentos diretamente no diário virtual, o popular 'blóg'. Realmente, deixando um pouco de lado o saudosismo, a Internet é um dos melhores inventos de todos os tempos. Tanto para pesquisar sobre As Cruzadas, como para ver o último 'post' da Bruna Surfistinha. Tanto para saber mais sobre a trajetória polêmica de Larry Flynt ou ver os resultados do futebol, das loterias, ou até mesmo ler seu jornal preferido na versão on-line. O conteúdo fica a critério do internauta.
O problema é que nem sempre pode-se acreditar em tudo o que encontra em sites ou recebe via e-mail. Talvez a farsa mais comum sejam as famosas 'correntes'. Ora pra ajudar alguma criança doente ou desaparecida, ora pra divulgar mais algum ingrediente alucinógeno em refrigerantes ou então para aletar sobre um golpe aplicado em estacionamentos de supermercados, discotecas, e shoppings. A grande maioria não passam de trotes imbecis, porém, alguns com truques maliciosos. No primeiro caso, o internauta emociona-se ao verificar seu e-mail e ver algumas fotos de uma garotinha que desapareceu, ou de um garotinho que possui uma séria e rara doença. Geralmente mal redigido pelo impostor que dispara pioneiramente a mensagem, o comunicado sempre termina afirmando que tal provedor, tal empresa ou algum fulano famoso irá doar dez centavos para cada e-mail encaminhado: "Não exclua esta mensagem. Envie agora mesmo ao maior número de pessoas que você conheçe". Muitas pessoas, em atos de solidariedade, ou mesmo para desencargo de consciência, sem saber que com isso, estão colaborando com os detestáveis 'spammers' - usuários que enviam milhares de mensagens não solicitadas, contendo propagandas, conteúdo erótico ou ilegal, e pior, muitas vezes induzindo o destinatário a clicar em algum link, que geralmente levam a downloads de vírus, trojans e spywares (cavalos de tróia) e programas que se auto-instalam em seu computador, sem nem mesmo que você perceba ou possa cancelar, que monitoram tudo o que é acessado e digitado, para posterior envio ao programador-golpista. Por isso vemos rotineiramente tantas pessoas terem suas senhas bancárias e outros dados pessoais 'roubados' por estes indivíduos. São os 'piratas de computador'.
O apelo emocional constantemente embutido nestas mensagens baseia-se num único objetivo: quanto mais as pessoas encaminham estas mensagens, mais o 'corpo' do e-mail vai armazenando endereços eletrônicos, que rodam todo o país, às vezes todo o mundo, até que retornam ao autor da farsa. Agora ele possui mais alguns milhares de endereços eletrônicos para incluir em sua lista de envio de propagandas indesejáveis e golpes virtuais ou até repassá-los a terceiros. Tudo bem, se querem encaminhar o e-mail a sua lista de contatos. Para dar cabo ao problema, basta que as pessoas aprendam a usar o controle 'CCO - Cópia Carbono Oculta', disponível na maioria dos programas de e-mail. Isso evita que os endereços sejam encaminhados visivelmente a todos os destinatários. A divulgação destas mensagens poderia ser uma ótima e eficiente ferramenta para encontrar pessoas realmente desaparecidas ou encontrar ajuda para enfermos verdadeiros. Acontece que muitas vezes a desconfiança vence a esperança.
Outra farsa, comumente encontrada na Internet, remete-se a textos, matérias, artigos e até composições que são disponibilizadas em sites e repassadas em e-mails. Algumas vítimas das farsas da web: Luis Fernando Veríssimo, Arnaldo Jabor e... Raul Seixas!
Sim! Os dois primeiros, profissionais fantásticos, tiveram seus nomes vinculados a textos que jamais pensaram em escrever. E que circulou (e continua circulando) pela rede. E o pior: muita, mas muita gente mesmo acredita no crédito 'doado' ao autor. Já o músico baiano é vítima de duas composições divulgadas na rede, que qualquer pesquisador ou conhecedor mais aprofundado em sua obra colocaria em dúvida a credibilidade da autoria. Uma delas chama-se "Vampiro Doidão". A outra nem vale a pena citar o nome, por conter palavra de baixo calão. Quem quiser matar a curiosidade pode conferir na comunidade oficial do Raul Rock Club, do Orkut. Ambas as letras não condizem em nada com a obra de Raul Seixas. Nunca foram compostas ou gravadas por ele, e duvido piamente que essas duas 'obras' [sic] tenham chegado a seu conhecimento em vida. Um detalhe: Tanto Jabor quanto Veríssimo, apesar de injustiçados, contam com a oportunidade de divulgar notas, repudiando e desmentindo a autoria dos 'artigos'. Jabor nunca escreveu o tal texto "Bunda Dura", e, Luis Fernando, como Arnaldo, também desmentiu a autoria do texto "Quase". Trata-se de dois absolutos sucessos na Internet. E assim segue... Ora texto falso com autor verdadeiro, ora autor verdadeiro pra texto falso. Veríssimo também 'fez muito sucesso' com a crônica 'Diga não às drogas'. Com teor preconceituoso, o texto comparava duplas sertanejas e estilos musicais como axé, pagode e funk com substâncias entorpecentes. Mais uma farsa. Nem mesmo Ziraldo e Walter Salles escaparam do poderio anônimo da Internet. No Orkut, deve-se desconfiar dos 'profiles' dos famosos. Vários artistas já declararam não ter qualquer ligação com o site. Tratam-se de falsos perfis, contendo informações sobre a vida pessoal do artista e fotos, geralmente copiadas de matérias verdadeiras ou até do site do famoso.
Já no caso de quem não está mais na terra pra se defender, como o rockeiro nacional, resta apenas o incansável trabalho de verdadeiros fãs e pessoas diretamente ligadas a sua vida e obra, de tentar esclarecer as coisas. São só alguns exemplos, entre tantas farsas que compõe um universo de mentiras que circulam pela Internet.
Agora, a mais nova 'moda' - e polêmica lançada pela Internet: "Atenção proprietários de moto da marca Honda CG 150...". Muitos já devem imaginar sobre  que estou falando. o 'comunicado' alerta para a presença de uma cruz invertida, oculta no compartimento que abriga o farol e as instalações elétricas da parte frontal da motocicleta. Centenas de jornais divulgaram a 'notícia'. Segundo o engraçadinho que lançou essa nova mentira, o projetista da motocicleta teria firmado um pacto com o 'coisa ruim', incluindo então a tal peça - que nem mesmo é uma cruz perfeita, na moto, em troca do sucesso de vendas. Agora, ainda segundo a mensagem divulgada, o tal homem estaria à beira da morte por conta de uma grave doença, e como as vendas fracassaram (?), estaria arrependido de já ter provocado a morte de milhões de motociclistas. Como diria o outro: "É pácabá!". Agora vem a parte pior: muitas pessoas correram às oficinas e concessionárias, ou trataram de abrir o compartimento por conta própria, e, ao se depararem com a tal peça, que existe de fato, trataram logo de tirá-la do lugar e benzer o veículo. É superstição demais e fé de menos. A peça nada mais é que um gabarito plástico, formado por um eixo horizontal com mais dois menores em cada extremidade, cruzando verticalmente a peça. A finalidade do objeto não traz motivos religiosos e muito menos satânica: simplesmente serve para dividir o 'chicote' de fios, evitar o atrito entre os cabos elétricos e o soquete da lâmpada. Nada mais que isso, e ainda funciona como um indicador da posição correta do tal emaranhado de fios, que uma vez instalado em posição errada, devido a constante vibração, pode acarretar em problemas, e conseqüentemente custos aos proprietários que se aventuraram em retirar a 'cruz'. Custos estes que podem ser bem mais altos que o pagamento da 'mão de obra' que alguns pseudo-mecânicos de todo o país cobraram pra retirar a peça, aproveitando-se da superstição e do medo do povo. Muitos afirmaram que a tal peça não tem finalidade alguma, já que 'está só por estar', apenas presa aos fios. É mesmo? Experimente visitar a montadora e constatar o trabalhão que esta peça evita na hora de montar os dispositivos.
A Honda, ao que parece, se recusa a fazer qualquer pronunciamento oficial sobre os boatos. Em contrapartida algumas concessionárias divulgaram explicações sobre o caso, informando que a retirada do objeto, além de poder resultar em defeitos, ainda cancela a garantia oferecida pela montadora japonesa. Como se não bastasse tudo isso, ainda vincularam à tal polêmica da peça, os pneus da linha City Demon e Diablo, da Pirelli. Esta, por sua vez, conforme consegui apurar, estuda a divulgação de um comunicado sobre os boatos, uma vez que a marca foi prejudicada com a brincadeira de mal gosto. Alguns ignorantes chegaram o cúmulo de traduzir os escritos da linha de pneus que acompanham a motocicleta, 'City Demon Front', como sendo 'Cidade do Demônio à Frente'. É mole ou queres mais?
Voltando ao submundo da word wide web, outro tipo de corrente muito comum na rede, tentam apavorar - e em muitos casos conseguem - os usuários que não encaminharem as mensagens, com ameaças de natureza 'sobrenatural'. É a típica história da menina que se enforcou no quarto, e se você não repassar a tal mensagem, irá receber uma visitinha da alma penada durante a noite. Lembram-se daqueles textos, outrora comumente encontrado em notas de baixo valor ou em papéizinhos 'abandonados' em ônibus, mesas de bares, e até mesmo em nossa caixa de correio, que propagava uma corrente milagrosa de algum santo ou entidade divina, e deixava bem claro que o procedimento não poderia ser quebrado jamais, caso contrários coisas horríveis aconteceriam, a exemplo do João, do José ou da Maria que ignoraram o poder da receita e perderam tudo o que tinham, entre bens materiais e entes queridos? Pois é! A crendice popular alimenta esses mitos. Ah! E então aquela 'Corrente do Sucesso', cujo objetivo é enviar um Real para seis pessoas diferentes, depositando em suas contas, que por sua vez também irão enviar para quem enviou a ele e para mais cinco pessoas, que irão fazer o mesmo, e assim você passa a receber todo mês uma quantia absurda em sua conta corrente. Bom demais, não? Pena que não é verdade. Assim como não é verdade o comunicado que com certeza muitos leitores já receberam em suas caixas postais, informando sobre pendências do SPC/Serasa, bancos, redes de supermercados ou grandes e famosas lojas. Tampouco é verdadeiro aquele outro golpe que informa que seu CPF ou Título de Eleitor está prestes a ser cancelado. O remetente geralmente pede para que o usuário clique em agum link, que com certeza levará a algum programa mal intencionado. Estas instituições não enviam nenhum tipo de comunicado via internet. Nenhum! E no Orkut, milhões de usuário recebem cartões com poemas ou convites a visitar algum site, onde encontrará fotos de velhos conhecidos, fotos de festas universitárias com garotas embriagadas se divertindo, ou até mesmo, num ato propício a atiçar a curiosidade do usuário, o tal convite informa que encontrou fotos comprometedoras dele no tal site. O pior: geralmente estes 'avisos' são supostamente enviados por amigos ou pessoas conhecidas, que figuram entre sua lista de contatos. Assim como acontece no e-mail, tratam-se de perfis clonados. Cópias fiéis dos dados, das fotos e das informações pessoais constantes na página do amigo verdadeiro. E a 'onda de exibionismo' que contagiou os usuários destas redes colaboram e facilitam muito o trabalho dos golpitas. Uma forma de ao menos diminuir estas pragas seria a conscientização dos usuários em não expor suas fotos, da família e dos amigos neste locais sem controle de acesso, e não disponibilizar suas informações pessoais mais íntimas, como hábitos e locais que freqüentam, já que isso pode ser usado em favor dos mal-intencionados. Um truquezinho básico pode ser adotado antes de clicar em qualquer link que você venha a receber: posicione a seta do mouse sobre o link - sem clicar - e observe na barra de status no rodapé de seu navegador, observando então o real endereço que é exibido. Este é o endereço verdadeiro que você irá acessar, caso conclua o procedimento. As extensões '.exe', '.scr', '.pif' ou '.cmd' representam quase sempre um link malicioso. Mas não é válido basear-se apenas nisso. Acredito que a melhor arma - claro, além das ferramentas anti-vírus existentes, seja a desconfiança do internauta em visitar sites desconhecidos ou pouco confiáveis. Porém, a maioria das mensagens com links mal-intencionados, além das instituições que já citei, provém de algum site conhecido, como sites de humor e envio de cartões virtuais, e serviçsos públicos, como empresas de telefonia e eletricidade. A técnica empregada no envio de e-mails com fraudes é conhecida como Phishing.
A Internet é sim um ótimo invento. Isso não se pode negar. Uma ferramente que revolucionou tanto nossa vida pessoal quanto profissional. Hoje é possível até mesmo estudar via-internet, fazer cursos, se preparar para exames, etc e tal. É um verdadeiro campo livre: se usuário procurar por porcarias, vai encontrar um verdadeiro depósito de lixo, e se optar por um conteúdo bacana, interessante e inteligente, com certeza opções não irão faltar. Só depende de quem está sentado na frente do computador. Quando recebo os tais textos que circulam pela rede, faço questão de ao menos tentar me certificar da veracidade do mesmo. Se não conseguir comprovar o conteúdo e/ou autoria, nem penso em enviar aos amigos, muito menos em arquivá-lo. É um modo de evitar que a mentira se prolifere, circule e seja tanto comentada a ponto de tornar-se uma quase verdade, e até de evitar possíveis constrangimentos. Pesquisar nunca é inválido. Não podemos simplismente acreditar em tudo o que se vê ou lê por aí. Ainda mais se tratando de Internet, onde o anonimato impera sem obstáculos. Optar por fontes e caminhos seguros é a melhor forma de saber de usar a Internet para adquirir conhecimento e cultura, sem riscos e com garantia da verdade.
 
F. Pinéccio
fpineccio@uol.com.br
Pinnas
Enviado por Pinnas em 16/06/2006
Código do texto: T176782

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do Autor da forma que segue: Fernando Pinéccio, editor do Megaphone Tabloid (www.portalmegaphone.com.br)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pinnas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 34 anos
46 textos (14842 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 10:09)
Pinnas