Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As pessoas não entram nas nossas vidas a toa, principalmente as pessoas com as quais nos relacionamos mais intimamente.
Quando olhamos para trás, é possível ter uma idéia do que uma pessoa significou na nossa vida.
Com uma aprendemos a viver mais intensamente nossas emoções, com outra fomos desafiados a ser mais fiéis e condescendentes conosco, com outra aprendemos a valorizar nossas potencialidades e nossos dons.
As possibilidades são infinitas.
Podemos até ter aprendido como não ser.
Como não agir.

Sonhos com ex namorados (as), ex-marido, ex-mulher, ex-amante, falam de nós...não do outro.
Quando acordamos de manhã e lembramos destes sonhos é bom parar e pensar o que este ex -ele(ou ela) - significou para nós.
O que aprendemos , o que “restou ” deste encontro na nossa vida, mesmo que o final de tudo tenha sido doloroso.
É quando as relações terminam que mostramos nossa verdadeira personalidade, nosso caráter.
E nossas atitudes nesta hora podem nos ensinar muito.
 
Todos nós temos "uma antena" capaz de captar imagens e sons do meio em que vivemos.(Esta antena chama-se Inconsciente)...

Captamos estes ruídos externos sem mesmo nos apercebermos, e eles ficam lá, guardados, e de acordo com nossa vivência, estes conteúdos vão sendo elaborados.
Dependendo das emoções, dos momentos que passamos na vida, muitas vezes estes conteúdos voltam, e podem vir a tona e usar imagens conhecidas -nos nossos sonhos -
(Neste caso dos “ex” que convivemos )

É muito peculiar da nossa psique este “aproveitamento”, pois existe uma forma, um molde geral, mas o rosto desse molde, vai ser selecionado pelo nosso inconsciente, conforme ele achar conveniente, e é comum serem usados rostos conhecidos, quando atribuímos a essa pessoa qualidades que são das nossos componentes psíquicos.

É a projeção no outro do que é nosso.
Assim, por um caminho reverso, podemos representar o que está em nós, usando a imagem do outro, porque achamos que essa pessoa (que emolduramos o rosto) representa bem o que somos.(como se fosse um espelho  de nós mesmos).

Mesmo quando não gostamos do que vemos (é um processo inconsciente)

Certamente quando um namoro, um casamento foram dolorosos e conflituosos, podem nos dar dicas valiosíssimas de como conduzir novos relacionamentos, para que tenhamos a chance, não de não errar de novo, mas pelo menos de não cometer os mesmos erros.
 
Na nossa caminhada nem sempre nossas atitudes refletem nossos sentimentos.
(sentimentos a gente pode escolher o que , como e quando sentir
Mas nossa alma está atenta, e procura sempre nos direcionar pra isto. (para sermos verdadeiros e coerentes).
Fatores externos nos influenciam muito e por conta deles, muitas vezes deixamos escapar o que sentimos, e passamos a viver de atitudes que não expressam o nosso verdadeiro sentir....
....ou porque sentimos medos...
....ou porque sentimos incertezas...
....ou porque somos frágeis e inseguros...e assim por diante.

Integralizar que podemos ser medrosos, ser frágeis, e mesmo assim podermos expressar tudo isto nos nossos relacionamentos, e continuarmos a ser e significar o que queremos ser para o outro é uma questão difícil de assimilar na  realidade da vida.
Nem sempre quem encontramos no nosso caminho está disposto a nos querer assim como de verdade somos, muitas vezes o outro(a) quer viver apenas relações periféricas, sem profundidade, e neste tipo de relação não cabe o mundo anímico.
Apenas o corporal.
E o corpo mascara, usa de personas que necessariamente e normalmente não mostra quem somos.  

Muitas pessoas estranham que quando são casados, ou namorados não sonham com o (a)companheiro(a), mas que quando a relação acaba os sonhos com os “ex”, são freqüentes.
É normal e natural isto
Enquanto juntos o significado do relacionamento era outro
Depois do término o outro (a) significa uma ruptura, e quem sabe a figura dele (a) funcione dentro de nós como um fracasso na vida,e esta percepção consciente é muito triste, muito doída e a alma sente e se recolhe, afinal quem de nós suporta admitir um fracasso na vida? - dói muito, queremos ser sempre fortes, seguros das nossas decisões e ações, mas nem sempre funcionamos assim, e se nos fizermos de fortes como costuma-se dizer,  é que tudo se complica mesmo,este sentimento de incapacidade é jogado pra baixo do tapete(inconsciente), e voltam nos sonhos para que assumamos quem somos.
 
Não adianta só lembrar, nossas tristezas, nossos fracassos pessoais, lembranças tristes devem sim ser lembradas, mas antes de tudo dissecadas, analisadas, integralizadas na nossa vida como passado, e passado não se muda - tira-se dele o que de bom ou não existiu, para começar de novo- para mudar, para melhorar, e seguir adiante.

O universo sabe a hora de tudo nascer, mas também sabe a hora de tudo terminar...
...mesmo que na hora do fim não possamos perceber esta verdade .


Se conscientemente não trabalhamos estas atitudes indesejadas , nosso inconsciente nos lembra que SOMOS assim, ou AGIMOS assim em determinadas situações e através dos nossos sonhos vem nos mostrar que poderemos repetir as mesmas atitudes, quando de novo nos defrontarmos com situações parecidas ou iguais na vida...(aqui está o grande enigma e o grande aprendizado destes sonhos)
 
Se por exemplo, houve traição de uma das partes, estes sonhos costumam ser muito sofridos.
E é muito difícil admitir que mesmo sendo nós as vítimas, seja nossa uma parcela da responsabilidade -não a culpa - da relação não ter sido feliz.
Pois uma traição não se dá no momento em que ela acontece, ela vai sendo construída na alma, e nós sempre sabemos o que o outro(a) é...apenas nos iludimos e nos deixamos levar pelas sedução das palavras, mesmo quando as ações não refletem as falas.
O que acontece é que nós nos deixamos manipular e não queremos enxergar as evidências, de um relacionamento que em si mesmo não carrega o companheirismo e a cumplicidade, que são os atributos necessários para  a construção de relacionamentos maduros e verdadeiros.

Lembrar sempre que apesar de tudo...
 
"O encontro de duas personalidades é como o contato de duas substâncias químicas; se houver alguma reação, ambas serão transformadas"
(
Carl Gustav Jung)
 
 

Paz para voce, sempre!
Maria.Poesia 04.10.2009


 
Este artigo tem como constructo teórico a Psicologia de Carl Gustav Jung – Psiquiatra Suíço e fundador da Psicologia Analítica Junguiana.
O estudo sistemático dos sonhos, de seus pacientes e dos seus próprios sonhos, bem como dos conceitos Junguianos, encontram-se descritos numa extensa bibliografia deixada como herança deste grande curador de almas, como também dos seus inúmeros discípulos (Marie-Louise Von Franz, por exemplo) que nomeá-los aqui como referencias a lista seria extensa demais.
 
O livro O Homem e Seus Símbolos quem sabe seja - para mim - uma referência maior.
Nele Jung pontua que
o homem só se realiza através do conhecimento e aceitação incondicional do seu inconsciente — conhecimento este que ele busca e toma para si, através da análise dos seus sonhos.

 

Outros textos nos links abaixo:
(Para abrí-los basta pausar
e clicar com o mouse no título)

Sonhos repetitivos ou sonhos recorrentes-o que significam?
 
Perdas e Danos-Resenha (análise) Psicológica. Filme sobre Desejo. (1ª parte)

Um homem, uma mulher e ...uma rede!






Maria Poesia
Enviado por Maria Poesia em 04/10/2009
Reeditado em 28/01/2013
Código do texto: T1847903
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Poesia
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil
147 textos (2307299 leituras)
10 áudios (5439 audições)
3 e-livros (16960 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/10/14 12:16)
Maria Poesia

Site do Escritor



Rádio Poética