Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Os ventos da eleição começam a mudar. 

     Fazendo uma analise das pesquisas eleitorais apresentada pela Folha de São Paulo, vemos que o quadro vai lentamente sendo mudado. Embora todo o marketing usado pelo governo, PT o eleitorado já começa uma analise critica dos candidatos. 

     A situação já estaria ameaçada se parte da cúpula do PMDB não tivesse se comportado de maneira mercenária, acovardando para ajudar o PT. Cacifes que nem do PMDB são usam deste Partido como trampolim se aproveitando da sigla para barganhar, para usurpar o poder. 

     Se o partido (PMDB) tivesse lançado o candidato Antony Garotinho está eleição seria arrastada para o segundo turno sem duvida, e as chances do PT seriam minimizadas. Porém, o governo com sua barganha conseguiu esta vitória. PMDB hoje é o que PFL foi deste sua fundação, um partido em cima do muro. 

     O PMDB é um partido de sigla, porém um partido sem identidade ideológica que a cada tempo vai sendo destruído e que, se não romper com determinados lideres mercenários os quais preferem viver a periferia do governo tende a acabar, transformando numa sigla qualquer de aluguel, onde neles estarão filiados os políticos sem escrúpulos, que vivem para mamar as tetas do governo, ou como tantos partidos, não passando de intermediário, nunca tendo a capacidade de ser ousado. 

     Mesmo com a covardia do PMDB a alta nas pesquisas de outros candidatos vem se sucedendo, com ênfase o principal adversário de Lula. Partindo do princípio que os partidos de esquerda ainda tem numero expressivos de eleitores representando grande parte da sociedade, caso unem em torno de um candidato a distancia percentual tende a diminuir, haja visto que Lula tem a maior rejeição de todos os outros candidatos. 

     Com os aproximar das eleições, com as regras eleitorais que de certa forma proporciona uma “igualdade de condições dos candidatos”, os concorrentes de Lula subirão nas pesquisas eleitorais, forçando a situação se expor e sair da comodidade. Pois, já sabemos que quando há uma larga vantagem quem está na frente das pesquisas se esconde, não entrando e muito menos querendo enfrentar o debate político, o que ocorre contrariamente quando a disputa está pareada. 

     Uma disputa eleitoral mais acirrada minimiza a força da mídia a colocando em cima do muro, porque na verdade ela quer ficar bem com quem possa ser o eleito, por conseguinte, o candidato também quer ficar bem com a mídia. Há um respeito e medo mutuo. 

     Acredito que as pesquisas começam a trazer a tona àquilo que a sociedade de certa forma espera. Não podemos aceitar que políticos assumam o poder, nos roubem descaradamente, traem os eleitores com um projeto político demagógico, constroem um projeto de poder com a política assistencialista aos pobres e ricos saindo ileso, sendo aplaudido pela sociedade. 

     O que levou a sociedade a rejeitar FHC, foi a subserviência ao poder estrangeiro; a venda do país ás multinacionais; o enriquecimento dos capital especulativo e a corrupção. Certamente, o que levará uma acirrada disputa este ano é a traição de Lula a sociedade quando combateu tudo o que seu antecessor fez. Porem, quando assumiu o poder agiu da mesma forma.

Ataíde Lemos
Enviado por Ataíde Lemos em 30/06/2006
Reeditado em 30/06/2006
Código do texto: T184992
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Ataíde Lemos
Ouro Fino - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
5266 textos (1219351 leituras)
5 e-livros (11756 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 09:57)
Ataíde Lemos

Site do Escritor