Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mídia e educação

Querendo ou não a mídia é uma ferramenta de educação. As pessoas seguem o que lêem, o que vêem, o que assistem e o que ouvem. Em uma sociedade com poucas referências boas a serem seguidas, as pessoas tomam como exemplo os produtos da comunicação de massa. Isso ocorre, basicamente por dois motivos. O primeiro é o fato da grande massa não possuir um grande poder de contestação e argumentação, isso porque há pouco acesso à cultura e conhecimento. O segundo é a falta de – ou a pouca - interatividade característica dos principais meios de comunicação de massa. A internet se situa como uma exceção no quesito interação, mas também é exceção como veículo de massas, pelo fato de não atingir grande parcela de nossa população.
O poder da mídia surge com a impossibilidade de contestação o que confere uma autoridade muito grande, ainda mais com o uso de imperativos. Quando um cidadão lê uma propaganda, ele não pode contestar. É o que está escrito ali e pronto. Não existe diálogo, interação. Se o individuo possuir um mínimo de cultura e conhecimento ele saberá distinguir quando o que está sendo comunicado é certo e errado para ele. Se este mesmo indivíduo for uma pessoa inteligente, ele distinguirá o que realmente é comunicação e o que é manipulação – conheço poucas pessoas que sabem fazer isto com certa eficiência.
Ao invés de mudarmos nossos hábitos de consumo por que uma nova propaganda diz que o produto que usamos está ultrapassado, podemos contestar esta “nova solução”. É isso que a grande massa não tem capacidade de fazer, e a falta de educação é apenas um dos motivos disto. Esta massa de consumo é caracterizada por ter uma grande potência em trabalhos manuais e pouca em trabalhos mentais. A grande massa possui um histórico de obediência ao que prega a elite. Se o indivíduo que integra esta classe não consegue contestar sua própria condição como subordinado, como irá contestar o que a mídia comunica? A massa brasileira é inconsciente, ela vive em uma alucinação criada pela elite e que, nos dias de hoje, usa a mídia como uma ferramenta.
A história nos ensina. Ao longo de nossa existência como sociedade, sempre houve elite manipulando massas. O que mudou nestes anos todos foi a ferramenta utilizada. Na antiguidade era a força militar, na idade média era a Religião. Os mercantilistas usaram seu poder econômico e exploraram a ganância. Depois voltamos para a força bruta, com o crescente nacionalismo das potências militares e econômicas. Nos dias de globalização que vivemos hoje a ferramenta é a mídia.
A incapacidade de argumentar e de contestar faz com que o produto da comunicação seja absorvido e interpretado ao pé da letra, uma vez que a capacidade de abstração do público alvo – em geral - é pequena. Se este público tivesse contato maior com culturas diferentes e mais acesso à educação, a probabilidade de aceitarem facilmente uma propaganda ou uma novela seria menor. Este é o principal pilar de sustentação deste método.
Se a massa manipulada souber como funciona a ferramenta usada pela elite, ela conseguirá destruir a funcionalidade desta ferramenta e comprometer a dominância da elite. É inegável que a televisão, a publicidade, a mídia impressa e o marketing são ferramentas poderosíssimas de ensino. O problema é que não ensinam nada de construtivo porque usam sua autoridade para sustentar os que dominam sua funcionalidade.
Matheus Colen
Enviado por Matheus Colen em 11/07/2006
Código do texto: T191729
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Matheus Colen
São Paulo - São Paulo - Brasil, 33 anos
22 textos (1295 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 16:43)
Matheus Colen