CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

A realidade da educação no Brasil

Dispõe o artigo 205, de nossa Constituição Federal que: “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o mercado.”
Como pode se notar com uma simples leitura do dispositivo acima, a educação é à base de sustentação de uma sociedade mais justa, segura e igualitária.
A educação é um direito constitucional de todos e se constitui como um dever da família e do governo promover meios para tanto, conforme dispõe o art. 22, do Estatuto da Criança e do Adolescente.
É justamente através da educação que conseguimos fazer as mudanças necessárias para a melhoria de nosso país; tanto é fundamental que o governo criou vários programas voltados para a melhoria da educação como o Pró-Uni e, agora, a adoção da prova do ENEM ao invés dos tradicionais vestibulares nas universidades federais; ou então, o Programa Bolsa Família, o qual garante o incentivo econômico para as famílias de baixa renda, manterem seus filhos matriculados e freqüentando as escolas.
Sabemos que, atualmente, uma boa parte da população sofre com as conseqüências do desemprego, mas se formos olhar atentamente para o mercado de trabalho, notar-se-á, que existem muitas vagas a serem preenchidas, entretanto, o que faltam são profissionais qualificados para ocupá-las; contudo, como fazer para se preparar e obter uma qualificação se devido a questões financeiras, várias crianças e adolescentes são obrigadas a abandonarem seus estudos para a complementação da renda familiar?
Infelizmente essa é uma triste, mas real situação, encontrada principalmente nas cidades menos desenvolvidas de nosso país, em que as crianças desde a tenra idade se vêem cerceadas no seu direito de educação, uma vez que acompanham seus pais no pesado labor, por não terem alternativas que lhe garantam a sobrevivência.
Por outro lado, quando se consegue a garantia desse direito, em muitas escolas, o que se encontra é a má preparação dos professores, quando também não encontram também a violência, como os vários exemplos que temos acompanhado nos noticiários, em que alunas bonitas e estudiosas são agredidas e impedidas de freqüentarem às aulas, ou então, casos como o do rapaz que foi esfaqueado dentro da sala de aula, por um outro colega ter sentado no seu lugar de costume.
Se queremos ver o nosso Brasil em expansão e em crescimento, com a diminuição da desigualdade social e da violência, é necessário que aconteça uma revolução na Educação para que, as crianças e adolescentes que hoje se encontram pelas ruas, vendendo balas e doces em sinaleiros, ou pior, estão escondidos nos submundos das cidades envolvidos no mundo da criminalidade, tenham um incentivo para largarem essa ilusória “vida fácil” e ocupem o seu tempo com a leitura e a aprendizagem.
Em geral, a educação e, principalmente o hábito da leitura, devem ser mais incentivados e valorizados tanto por parte dos órgãos governamentais, como pelas famílias; e mesmo pelas próprias instituições educacionais, uma vez que um país é feito com homens e livros, como foi ressaltado pelo magnífico escritor brasileiro Monteiro Lobato, porque um país sem homens, sem livros e sem educação de qualidade, não é um país, e sim um grande abismo cultural.
Lilian Carla
Enviado por Lilian Carla em 16/11/2009
Reeditado em 18/11/2009
Código do texto: T1926363

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre a autora
Lilian Carla
Batatais - São Paulo - Brasil, 31 anos
149 textos (21768 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/08/14 02:13)