Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A pena de Suzane Richtoffen e os Cravinhos


O caso Richtoffen

A Constituição Brasileira de 1988 em seu artigo 5º, inciso LIV, traz o princípio do Devido Processo Legal, que têm origem na cláusula do due process of law do Direito anglo-americano, o qual não permite a lei deixar de fora lesão ou ameaça a direito, e ainda de permitir as garantias do contraditório e da ampla defesa, com todos os meios pertinentes a ela conforme o disposto nos incisos XXXV e LV do mesmo artigo da Constituição.
O caso de Suzane Von Richtoffen e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos estão levando os seus advogados de defesa a utilizar desse princípio em toda a sua plenitude, numa tentativa de diminuir as penas, já que livrá-los seria impossível. O intuito da defesa da garota é mostrar que a “nobre” e “doce” Suzane, perdidamente apaixonada, foi induzida pelos maldosos “plebeus” a cometer ato tão sórdido!  Já a defesa dos “plebeus”, insiste que a mente “dominadora” de Suzane prevaleceu sobre os “inocentes” rapazes! Isso tudo me remeteu a reler uma grande obra, escrita pelo brilhante Cesare Beccaria, chamada DOS DELITOS E DAS PENAS, que se insere no movimento filosófico e humanitário da segunda metade do século XVIII, ao qual pertencem os trabalhos de Voltaire, Rousseau, Montesquieu e tantos outros pensadores, onde trata do assunto de que as penas constituíam uma espécie de vingança coletiva sendo que essa concepção levava à aplicação de punições muito superiores ao delito cometido, fazendo surgir males mais terríveis do que o ato praticado. Pois bem, os advogados de Suzane e os irmãos Cravinhos usufruirão da ampla defesa deixada pelos anglo-americanos e com certeza os ensinamentos do italiano Beccaria também servirão para que a pena não seja desproporcional ao delito, mas a sociedade espera ansiosa que se faça justiça! A vida é o bem mais valioso que possuímos e por isso devemos valorizá-la! Nada justifica que um ser humano tire a vida de outro e continue vivendo na mais absoluta das normalidades, ainda mais se forem seus próprios pais!  Os advogados dizem que Suzane fez por amor à seu namorado e a sua liberdade, mas existe o outro lado da moeda, o desamor à seus progenitores! Com tanta criança querendo um lar, querendo que alguém se preocupe com ela, Suzane joga no lixo o amor e a preocupação daqueles que a geraram! O que leva um ser humano a fazer tamanha besteira, só Deus sabe! Não quero atirar pedras, mas desejo que Suzane e os irmãos Cravinhos sejam punidos na proporcionalidade de seus crimes, sem mais delongas!



Telêmaco Marrace de Oliveira
Enviado por Telêmaco Marrace de Oliveira em 18/07/2006
Código do texto: T196468
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Telêmaco Marrace de Oliveira
Blumenau - Santa Catarina - Brasil, 44 anos
259 textos (58267 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:53)
Telêmaco Marrace de Oliveira