Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Desenvolvimento da Mente






A educação convencional privilegia o desenvolvimento das funções mentais de recordar e imaginar em detrimento de outras tão importantes como as de julgar, entender, raciocinar, observar e pensar. Quando se diz que usamos uma parte muito pequena de nosso cérebro – o órgão físico através do qual a mente pode se manifestar - possivelmente se esteja intuindo que este órgão psicológico – a mente – é pouco utilizado por não ter sido convenientemente desenvolvido.
Recordo-me dos tempos de ginásio e de como éramos forçados a decorar nomes, datas, fatos, fórmulas matemáticas. O bom aluno era o que mais decorava, que se destacava, e que hoje se compreende ser o que tinha uma mente mais deformada, deficiente, desequilibrada em suas funções. Era uma cultura de repetições inúteis que chegou até hoje.
Na verdade, quem vive a repetir as coisas mecanicamente tem uma capacidade limitada de entendimento, percepção, observação, criação. E pode estar servindo a escusos interesses de dominação e submissão por parte de quem se aproveita das mencionadas limitações para atender às suas inconfessáveis ânsias de poder e de riqueza.
Da mesma forma, a imaginação exacerbada enfraquece a vontade e faz com que a pessoa viva à margem da realidade acreditando em coisas inverossímeis e que não resistiriam à menor análise.
A verdadeira educação é a mental, a que permite ao educando conhecer sua mente e desenvolvê-la, não apenas as capacidades de imaginar e recordar, senão a inteligência toda, com as faculdades de pensar, entender, raciocinar, observar, combinar, etc.
É muito comum confundir-se a mente como o cérebro. Há animais que têm o cérebro muito parecido com o do homem, mas não têm a mente, capacidade superior de criar, entender, aperfeiçoar-se e evoluir.
Há seres humanos que são piores que os animais, alguém diria. É verdade. Mas as mentes desses seres atrasados estão ali, passíveis de serem conhecidas, utilizadas, aperfeiçoadas.
Platão escreveu há séculos que a alma humana tem uma parte inferior e uma superior, caso contrário não existiria a possibilidade do autocontrole ser realizado através da ingerência da natureza superior sobre a inferior. O que Platão não disse é que essa parte superior da alma, ou da mente, é uma potencialidade, existe e não existe, pode e precisa ser desenvolvida a partir da mente inferior, que também é pouco usada e conhecida.
Quando Sócrates celebrizou a inscrição milenar do templo de Delfos que exortava ao conhecimento de si mesmo, quis significar que aquele conhecimento era o da mente humana.
Mas, afinal, o que é a mente?
É física? É metafísica?
O escritor e pensador González Pecotche pondera que a mente é um órgão psicológico que reside no cérebro, manifesta-se através deste aparato físico, e que é possível desenvolvê-la conscientemente, a partir da própria vontade, e não apenas circunstancialmente, por exigências materiais e intelectuais no processo de vida que se inicia na infância e culmina na maturidade.
Há pessoas com idade avançada e mentes brilhantes, lúcidas, capazes, ativas. A mente desenvolve-se na atividade que pode ser superior, relacionada com o aperfeiçoamento pessoal, despertando zonas inertes desta mentalidade.
Uma outra explicação analógica sobre a mente diz que ela é o espaço onde os pensamentos nascem e se desenvolvem. Isto significa que cuidar da mente implica cuidar dos pensamentos que ali se movimentam, muitas vezes provenientes de mentes exóticas cujos cérebros de há muito se decompuseram sob as ancestrais lajes das tradições, verdadeiros cemitérios das idéias, como muito bem observou o escritor argentino.
A mente humana é um fragmento da divina. Conhecê-la e aperfeiçoá-la é a tarefa do momento nesta nova era que se inicia.

Nagib Anderáos Neto
www.nagibanderaos.com.br

Nagib Anderáos Neto
Enviado por Nagib Anderáos Neto em 18/07/2006
Código do texto: T196512
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nagib Anderáos Neto
São Paulo - São Paulo - Brasil
366 textos (88023 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 15:10)
Nagib Anderáos Neto