Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DESTINOS



Às vezes os dias se passam com tamanha ingratidão, e muitas vezes eles fazem de nossos segredos, momentos inesquecíveis demais. Acho que na verdade tudo sempre foi como será um dia, mas não posso aceitar essa transformação rápida e maléfica para meu futuro. Vendo todas as coisas que mais gosto sendo desfeitas pela veracidade da humanidade, consumindo os verdadeiros heróis e mitos como se nunca tivessem feito nada pela sua gente.
Eu tenho sonhos e acredito nas coisas que me comovem, não tenho muito a doar de meus dias como criança, mas tenho muito a lembrar e contar sobre heróis que me fazem ser quem sou. Sinto dentro de mim um desejo incontrolável de superar os medos e as angústias de uma geração, como se esmaga algo insignificante, pensa sobre o amor, a união, a paz, o conhecimento, as estrelas, o paraíso, o infinito, e tantas coisas mais que não posso nem sequer ver. Sou sonhador e não desisto de meus sonhos, guardados a sete chaves, que não se abrem a ninguém, às vezes presos demais que nem eu consigo abrir, sonho de um jovem rebelde que quer melhorar o meio em que vive com suas próprias forças.
Acho lindo o pôr do sol e suas faces reveladas a cada raio incendiando o céu que pela manhã é azulado, amo cada toque do vento sobre as folhas das árvores, desejo cada centímetro de praia deserta com minha pequenina casa no alto da colina, tudo é perfeito nos sonhos, mas aqui não passam de ilusão, idiotices de um garoto. Como será daqui a dez anos, como será daqui a um ano, ou como será daqui a um minuto, perguntas que não se calam, como não se calam quem faz as regras do universo, como não se calam as vozes do futuro, tudo gira ao seu redor futuro modesto e desesperado, não podemos driblá-lo,
Menino moço que prende milhares de destinos ao seu, misterioso e sempre requisitado, conhecedor dos meus planos e das minhas conquistas e derrotas.
Apenas as pessoas podem fazer conhecer seu interior, e a se desgarrarem de seus mundos pequenos e oprimidos, a dor do conhecimento vale cada gota de esperança, suporta cada motim de sonhadores que buscaram sua liberdade a qualquer preço, eu só teria a agradecer se mais e mais gente tomasse essa decisão, pois eu não seria apenas um, mas vários!

autor: Danilo Padovan
Daykon
Enviado por Daykon em 19/07/2006
Código do texto: T197121
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Daykon
Santa Fé - Paraná - Brasil, 33 anos
46 textos (1217 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:43)