Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um sábio conselho!

Castro estava ensimesmado. Gostaria de saber o que tinha de tão especial aquele homem simples, de baixa estatura, cabelos brancos e olhos brilhantes para ser amado e procurado por multidões.

Todos os dias eram inúmeras visitas, entravam na casa do ancião cabisbaixas e saiam de lá regojizadas, cheias de esperança, comumente estampando largo sorriso no rosto.

Foram muitas as vezes que Castro vira adolescentes, adultos, homens e mulheres reverenciando aquele enigmático homem como alguém que havia feito prodígios em suas vidas.

Curioso, Castro resolveu tirar a estória a limpo e rumou para a casa do misterioso homem, lá chegando, perguntou:

- Diga-me, diga-me o que falas para essas criaturas que te procuram, porque vejo-as entrando aqui combalidas e desanimadas e após o encontro contigo saem com novo ânimo e cheias de esperança. Todas te amam e reverenciam como se desse a elas novo rumo existencial, portanto, diga-me qual o conselho que tu transmite?

O bondoso homem encarou-o e com doçura respondeu:

- Não digo nada, apenas lhes dou atenção me limitando a ouvi-las.


Um dos mais sublimes predicados: Saber ouvir.

A questão é que por vezes ficamos alheios a tudo , preocupados apenas com o que temos a falar deixamos de dar atenção ao que as pessoas tem a dizer.

Assim, freqüentemente surgem desentendimentos provenientes do excesso de vozes.

O bondoso homem apenas ouvia, por isso era tão requisitado. Dava as pessoas atenção e um ouvido amigo para que pudessem desabafar, falar sobre suas vidas, contar sobre suas vitórias e derrotas, medos e anseios, assim, elas sentiam-se valorizadas e saiam do encontro com aquele homem mais aliviadas, portanto, mais felizes.

Muitas vezes o conselho mais eficaz vem através do silêncio, do bom senso em saber calar e apenas ouvir.

Imagine leitor amigo, um mundo surdo.
Um mundo onde o cônjuge não mais empresta seu ouvido ao companheiro.

Um mundo onde todos caminham com os tampões da indiferença a não escutar a voz de quem clama por auxílio.

Um mundo onde os jovens se fazem surdos para os conselhos dos mais experientes.

Por isso, cultivar o Saber ouvir nos transforma em criaturas diferenciadas ,  em seres que aprendem com a história dos outros.

Sabendo ouvir evitamos mal entendidos.
Valorizamos as pessoas.
Criamos laços de simpatia.
Crescemos como seres humanos.
Comunicamo-nos com eficácia.

Pode ser que em algum lugar alguém esteja sedento pela sua atenção, ávido por um ouvido amigo que antes de condenar procura sempre compreender.

Em um mundo barulhento quem humildemente aprende a ouvir conquista respeito, carinho e o que é melhor, a amizade sincera e imorredoura de muitos que um dia serviram-se de nossos ouvidos para melhorar seu astral.

Pensemos nisso!









Wellington Balbo
Enviado por Wellington Balbo em 25/08/2006
Código do texto: T224990
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wellington Balbo
Bauru - São Paulo - Brasil, 41 anos
364 textos (103987 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:49)
Wellington Balbo