Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eleições com feridas

Agora dá para conferir

    Na preparação do primeiro turno das eleições fica menos fácil conferir o programa fonte de gerenciamento das eleições, pelas dificuldades impostas pelo TSE e pela complexidade dos programas, tendo em vista a existência de vários cadastros a conferir e dezenas de instruções a serem verificadas.
   Mas num segundo turno (se houver), quando em grande parte dos estados só haverá disputa para a Presidência, deverá ser mais fácil examinar o novo programa misterioso (para o segundo turno é outro programa), pois tendo apenas dois candidatos para monitorar, a quantidade de instruções (comandos) não deve passar de 50 na parte lógica do mesmo e 30 na parte básica. Para quem não entende bulhufas de comandos de programação (que podem ser definidos em diversas linguagens) é como tentar ler mensagens dos egípcios gravadas em pedras há mais de 2 mil anos. Mas a parte lógica do processo é perceptível para qualquer ser humano que tenha iniciativa para trocar um pneu sob a chuva.
   Um programa de computador exige alguns comandos iniciais básicos e semelhantes em quase todos eles, quaisquer que sejam as linguagens usadas. Mas a parte lógica (que cada autor elabora de acordo com seu raciocínio), depois de pronta é claramente perceptível até por quem só tem dois dias de curso da linguagem. Qualquer um de nós pode elaborar a lógica desejada para uma rotina e o programador posteriormente a traduzirá (através dos comandos) para uma linguagem que a máquina entenda.
   Para o programa eleitoral para Presidente (onde houver necessidade de escolher Governador, basta duplicar e trocar os nomes das variáveis), imaginei esta lógica rasteira. Depois de lê-la, você vai continuar entendendo menos de 1% de informática, mas estará testando a velocidade de seu raciocínio lógico.

INICIO DO PROGRAMA
01 - Receber senha do presidente da mesa.
02 – Conferir se está na hora de liberar urna.
03 – Zerar acumuladores (contadores de votos de cada candidato, de nulos e brancos).
CICLO DE VOTAÇÃO
04 – Receber número do título eleitoral (ou senha fornecida por mesário).
05 – Conferir contra cadastro de eleitores (ou de senha) da seção.
06 – Apresentar painel (tela)  limpo (com 3 linhas de mensagens orientadoras sobre uso dos botões abaixo da mesma).
07 – Capturar número digitado pelo eleitor.
08 – Conferir contra cadastro (contendo apenas 2 candidatos).
09 – Apresentar painel com foto e nome do candidato.
10 – Exibir comprovante impresso (livre de manipulação) !!!   ç=== este é o ovo de Colombo!
11 – Pedir confirmação.
12 – Exibir a palavra FIM.
CICLO DE CONTAGEM
13 – Se número = XX acumular +1 para candidato do partido XXX.
14 – Se número = YY acumular +1 para candidato do partido YYY.
15 – Se número = diferente acumular +1 para nulo.
16 – Se número =  acumular +1 para branco.
17 – Voltar para o CICLO DE VOTAÇÃO.
CICLO de TOTALIZAÇÃO EXTRA (trecho ilegal e se bem camuflado, imperceptível à primeira vista).
A – Se acumulador de nulos for superior ao limite (parâmetro externo fornecido na abertura da urna),
Desviar 60% para candidato XX e 40% para os demais.
B - Se acumulador de brancos for superior ao limite (parâmetro externo fornecido na abertura da urna),
Desviar 70% para candidato XX e 30% para os demais.

   Após estes comandos, mais uns 6 para finalizar a urna, imprimir o BU e gravar dois disketes ou cds (um deles é a cópia de segurança) contendo os totais acumulados.

   Concordo que minha exposição foi muito didática e até simples para incentivar a qualquer desanimado que se recusa a mergulhar no mundo da informática. Mas que está perto disto, não tenho dúvida alguma. Resta saber se os partidos terão fiscais habilitados, entusiasmados, resistentes às pressões e interessados em efetuar a checagem do programa em seu estado legível (fonte). Posteriormente, acompanhar a tradução do programa fonte para linguagem de máquina onde a assinatura criptografada do TSE deverá ser acompanhada das assinaturas eletrônicas destes fiscais, que deverão também acompanhar a carga inicial de cada urna a partir desta origem lacrada. Não dá para fazer isto em  meses? Qualquer guri de 12 anos faz isto em dois dias. E alteração de programas é apenas uma das diversas maneiras de se burlar o sistema. As outras, podem ser compreendidas no fabuloso livro “Fraudes e defesas do voto eletrônico” de Amílcar Brunazo. O grande perigo está no despreparo de 80% dos fiscais, que estão mais interessados em ostentar um crachá sobre seu paletó, sem saber nem mesmo onde fica a tecla  que dispara o início de toda a montagem do circo.
Haroldo
Enviado por Haroldo em 28/08/2006
Código do texto: T227454
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Haroldo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 71 anos
678 textos (24816 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:20)
Haroldo