Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CAOS DO BRASIL E DO MUNDO

 
Assistindo ao noticiário e lendo jornais e revistas, fico perplexo diante da cruel realidade que estamos vivendo. Estamos vivendo numa sociedade doente onde a vida humana parece não valer nada. Pelo amor de Deus, onde tudo isso vai chegar? É a pergunta que não cala.
Fico com medo de ligar a TV e dela saírem balas de revólver, metralhadoras. Os jornais, se você os espremer, pingam gotas de sangue e lágrimas. As revistas mancheteiam roubos, desvios; desvios e roubos. Isso parece um exagero, mas também é real.
Nos psicoadaptamos a violência e as cenas de morte, fome, roubo, assassinato, guerras e elas nos parecem normais e inevitáveis. Há mais de dois mil anos alguém gritava pela vida e mostrou que a vida humana é um bem acima de qualquer crença, poder, política. Esse alguém acreditou tanto nisso que foi capaz de dar sua vida na cruz para que os outros tivessem vida. Ele é Jesus Cristo.
Na realidade brasileira, principalmente na política, tirando o pouco de bom que se tenta fazer, vemos a ética desmoralizada. Políticos roubam e têm a “cara-de-pau” de falar em justiça social, igualdade nos tempos de campanha. O único interesse deles é serem eleitos para roubar o pão de cada dia das famílias mais necessitadas. Que país é esse? Que pátria é essa? Se a pátria não ama seus filhos, quem os amará?
As leis no Brasil favorecem os que roubam, principalmente os políticos ladrões. É claro que as leis são feitas pensando apenas neles, no seu bolso e em mais ninguém. Será que eles sabem que estão lá para servirem a pátria e não para serem servidos por ela? Que moral é essa?
O presidente e todos os outros deveriam saber que a Constituição não é um mural de recados, onde se escrevem as “leis” conforme seus interesses. Que lê a Constituição Brasileira de vez em quando, vê que ela mais parece um mural de recados. As alterações são muitas e nem sempre favoráveis, justas, preocupadas com a vida humana, com a justiça. Que país é este?
Lugar de ladrão é na cadeia. Isso é o que todos falam. Quantos políticos roubam milhões e são protegidos pela lei. Que leis são estas?
O horário políticos que estamos tendo é um espetáculo de mentiras, ilusões. Os candidatos nesta época são do povo, depois o povo é que os serve. A maioria fica encenando nas ruas gestos que na vida prática não são capazes de fazer. Outros tantos compram os discursos e falam, gritam como se fosse algo que eles desejassem para todos.
O Brasil, infelizmente virou sucata dos países desenvolvidos. Tudo o que lá não serve aqui se usa. Tantos talentos sendo vendidos, abafados, esquecidos. Que pátria é essa?
A maior violência que estamos gerando é matando os sonhos de nossas crianças e jovens. Estão envenenando as mentes puras com mentiras e barbaridades contadas pelos políticos. Por vezes sou obrigado a pensar que a política (politicagem) do Brasil é um “fábrica de ladrões”. Que país é esse?
Louvável a atitude do Brasil em enviar ajuda para outros países em guerra, como no Oriente Médio. Mas, enquanto isso milhões de pessoas passam fome e morrem nas filas do SUS. Que pátria é essa? Os seus filhos são amados ou usados e esquecidos?
Mascamos o chicle (ou chiclete) que os norte americanos já mascaram e jogaram no lixo. Da nojo? É revoltante? É real!
Já fui convidado para entrar na política a uns anos atrás com a certeza de que teria tudo pago para me candidatar. O que quero é liberdade para conquistar pessoas e não dinheiro para comprar o que nunca foi meu, o que não me pertence. Que justiça é essa? Cega!
Sem falar do futebol. Já falaram e estão falando que o Brasil vendeu a Copa do Mundo de 2006. Será verdade? Que amor pela pátria é esse?
Vendo o Brasil deste jeito pensamos não ter mais jeito. O mundo diz amém ao senhor das trevas: Jorge W. Bush.
Parece ser evidente que Bush inventou a guerra no Iraque e a ONU com boa parte do mundo disse Amém! Bush financiou com armas a guerra no Oriente Médio e muitos disseram Amém! Bush disse que apenas quer implantar a paz e a democracia e todos dizem Amém!
ATÉ QUANDO?
Dizem que o que Bush quer é dinheiro, poder, guerra para vencer mais uma vez as eleições. A paz, pelo que se sabe, não se constrói com armas de destruição em massa. Estão querendo fazer a gente acreditar que sim! A democracia também é feita pela ação do povo. Estão querendo mostrar que Bush é o senhor da democracia, mas não podemos nos esquecer que muitos morrem para que este tipo de democracia possa ser instalado. Que democracia é essa? A imprensa, por vezes, me parece faltar com a verdade como Bush. Será que os repórteres, diretores de jornais, revistas conseguem dormir tranqüilos? Cadê a verdade de tudo isso? Ah, mas não podemos nos esquecer que é Bush quem manda.
Quem será julgado pelas mortes ocorridas nas guerras? “Bush quis instaurar democracia”. Pelo menos é nisso que nos querem fazer acreditar. Que mundo é esse?
Ou o Brasil acorda ou seremos vendidos nas praças, em leilões como escravos dos outros países. Não nos iludamos: escravidão ainda existe! Ah, mas pra que gente; tem tanto! Mandam matar inventando guerra contra nós também e fazem robôs que incomodam menos, têm menos gastos. É duro? Não te esqueças que é real!
Ainda bem que existem pessoas HUMANAS como você que vêem o mundo com os olhos de Deus.
 
Hermes José Novakoski
Farroupilha, agosto de 2006

ATENÇÃO: Nenhum texto pode ser copiado e publicado em outros meios de comunicação ou mesmo pela Internet sem a autorização do autor.

@@ RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS @@
Hermes José Novakoski
Enviado por Hermes José Novakoski em 28/08/2006
Reeditado em 13/09/2006
Código do texto: T227525
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Hermes José Novakoski
Marituba - Pará - Brasil, 35 anos
478 textos (375721 leituras)
1 áudios (83 audições)
2 e-livros (440 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:14)
Hermes José Novakoski