CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

O SURDO NO MUNDO

                                                       Leo Barbosa
                                                      (escritorleobarbosa@hotmail.com)

                                                       O Surdo no mundo

       Na antiguidade (4000 a.c – 476 d.c) os surdos não eram considerados seres humanos competentes entre gregos e romanos. Eram ditos seres castigados pelos deuses. Havia rituais onde por fim, os levavam ao sacrifício. O pressuposto era de que o pensamento apenas se desenvolvia pela palavra. Assim, desprovidos de escutar, não haveria ensinamento.
       Na Idade Média continuaram sendo vistos como não-humanos, sob o prisma da igreja católica de que eles não seriam “imortais”, uma vez que não podiam falar os sacramentos, nesse ponto é importante destacar que não existe surdo- mudo, os surdos (a maioria) não falam, porque não ouvem,porém, alguns desenvolvem através de muito exercício e leitura labial. No final desse período (idade média) eclode uma educação voltada aos surdos visando instruir os filhos dos nobres para que eles tivessem o direito de herdar títulos e herança da família.
      Idade Moderna: Surge o método da datilologia, desenvolvido pelo espanhol Pedro Ponce de Leon, considerado o primeiro professor do surdo na história. É quando efetivamente a educação dos surdos começa.  Na França, uma figura importante foi o Abade Michael de L’Epée que iniciou o trabalho com suas duas irmãs e fundou a primeira escola pública para surdos do mundo (O Instituto Nacional para surdos em Paris).
      Idade Contemporânea (1789 – 1900): O americano Thomas Gallaudet acompanhado do francês Laurent Clerc, seu ex-aluno (surdo) fundam a primeira escola para surdo nos E.U. A em 1817. Ele utilizava uma espécie de francês sinalizado, que ao longo do tempo foi sendo substituída pela Língua de Sinais Americana (ASL). A partir de 1860 o método oral ganha espaço devido às tecnologias que proporcionaram a aprendizagem da língua oral. Um dos grandes defensores do Oralismo foi o célebre inventor do telefone – Alexander Grahan Bel.
     Em 1880, acontece o Congresso Internacional de Educadores de Surdos, ocorrido em Milão. Foi colocado em xeque qual o método que deveria ser usado na educação dos surdos. O oralismo vence e o uso da língua de sinais é proibido. A partir daí, o aprendizado da língua oral teve decreto oficial e preponderante até a década de sessenta.
      De 1900 aos dias atuais: no ano de 1902, inicia-se a comercialização dos primeiros aparelhos de surdez. Depois, com estudos e resultados do trabalho com surdos, além da insatisfação gerada desde a década passada, foi demonstrado que as crianças instruídas pelos sinais se desenvolveram melhor que àquelas expostas só a oralidade. Esse trabalho deu origem à “filosofia da Comunicação Total” que privilegia a comunicação e não apenas a língua... Assim os surdos ganharam mais identidade, com língua e cultura.

(Texto publicado em 24/07/2010 no "Correio da Paraíba")
Leo Barbosa
Enviado por Leo Barbosa em 26/07/2010
Código do texto: T2399862

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Leo Barbosa
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 24 anos
364 textos (25477 leituras)
313 áudios (18380 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/08/14 21:23)