Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Adm. Gestão em RH.
2006.

Parte - I
Gestão de Intangíveis


A gestão dos ativos do conhecimento é ferramenta principal para uma boa estratégia organizacional.
Destacam-se os ativos de informação como dados processados, analisados e armazenados. Outro destaque é os ativos do conhecimento, que nada mais é do que informação avaliada, disseminada e incorporada. O assunto é de grande interesse pela comunidade científica e feles profissionais da área administrativa e na área de T I, sendo que muitas pesquisas já realizada sobre a gestão de Intangíveis já geraram situações de conflito na área pelas comunidades envolvidas.
A questão levantada é a revisão do processo de produção, seguido de uma descrição e análise da organização do conhecimento, sendo assim, encontra-se a inadequação e a constatação que a teoria clássica perfaz frente às organizações do conhecimento o que induz especulações acerca das possibilidades de gestão de intangíveis.
Podemos afirmar: os indicadores financeiros tradicionais podem mostrar a ineficiência para uma mensuração do valor informado e do conhecimento que se torna necessária um equilíbrio entre os tipos de indicadores como alternativa de coerência à realidade econômica atual.

* ATIVOS DE INFORMAÇÃO:
- Dados Processados
- Dados Analisados
- Dados Armazenados 

* ATIVOS DO CONHECIMENTO:
- Informação Avaliada
- Informação Disseminada
- Informação Incorporada 

**

Gestão do Conhecimento.

A CG é algo novo dentro das organizações, que nada mais é do que saber agregar conhecimento disponível aquelas pessoas de referencias para cada área afim, onde se desenvolve métodos para um maior conhecimento do departamento ou área de atuação.
Entretanto, para a obtenção de bons resultados com as novas incorporações tanto aos ativos de informação como a do conhecimento, também será incluída a tecnologia de informação (TI), com o objetivo de se unir. Sendo que neste processo não se faz simplesmente sob a ótica financeira, mais como todos os benefícios e os malefícios que trarão para a organização. Com o avanço tecnológico e a era da Globalização, da Internet e a obsolescência em ritmo acelerado das grandes inovações, é que as organizações precisam correr em busca de qualidade e destaque no mercado competitivo, acentuando a importância e a necessidade de uma aplicação cada vez mais intensa ao longo da cadeia produtiva do novo conhecimento, ou seja, se antes a administração planejava e o restante da organização executava é que podemos admitir que hoje a decisão e a iniciativa tendem a estar mais direcionados nas empresas especialmente nas organizações que trabalham com estimulo de Inovação, ou seja ela de tecnologia ou de processos/serviços.

Para Mintzberg (1996), o processo descrito nada mais é do que uma estratégia emergente, ou seja, em padrão de comportamento organizacional perceptível ao longo do tempo sem que haja a intenção explicita da cúpula. Neste caso, temos a estratégia oriunda da base organizacional. Sendo assim, a cúpula deverá reconhecer as contribuições da base e utiliza-las a favor da organização.
Enfim, nenhuma organização possui uma estratégia puramente deliberada ou emergente.

Mone TCarmo
Enviado por Mone TCarmo em 14/09/2006
Reeditado em 21/05/2010
Código do texto: T240218
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original (Direitos autorais à Simone Teixeira do Carmo) e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mone TCarmo
Belém - Pará - Brasil, 37 anos
2870 textos (287626 leituras)
56 áudios (8741 audições)
4 e-livros (926 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:06)
Mone TCarmo

Site do Escritor