Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Estação Inverno

Estação Inverno



No artigo “Estações Climáticas”, no qual tivemos a intenção de esclarecer o porquê das estações do ano e como foi convencionado identificar o início de cada uma delas, mostramos que qualquer de nós concluiria, ao se dispor a observar o pôr-do-sol, durante um ano:
- o Sol só ocorre de pôr-se precisamente no Oeste duas únicas vezes (os dois Equinócios);
- o Sol, num movimento de vai e vem movimenta-se do Oeste (Equinócio de Setembro) até um ponto limite no Sul (Solstício de Dezembro) e volta para o Oeste (Equinócio de Março);
- depois continua e vai até um ponto limite na direção Norte (Solstício de Junho).
Ilustrações nesta mesma página, na entrada E-Livro e com o mesmo título: Estação Inverno.

Convencionou-se que: os solstícios definem os inícios do Verão e do Inverno; enquanto os equinócios definem os inícios da Primavera e do Outono.

O Inverno é uma das quatro Estações do Ano.  Tem início após o Outono e anuncia a Primavera.

É a mais fria Estação do Ano. No hemisfério Sul, inicia com o Solstício de Junho (dia 22) e termina com o Equinócio de Setembro (dia 23) Enquanto, no hemisfério Norte, inicia no Solstício de Dezembro (dia 21) e termina com o Equinócio de Março (dia 21).

O início do Inverno é marcado com a noite mais longa do ano.  Com o decorrer do Inverno as noites vão ficando menos longas, até chegar o início da Primavera, quando teremos, na ocorrência do Equinócio de Setembro, dia e noite com a mesma duração.

No Brasil, em muitas regiões, além de ser difícil caracterizar as quatro estações, as características climáticas não são as mesmas em todas as regiões. Na maior parte do Brasil, o Inverno é apenas mais uma estação de calor.

O frio, característica do Inverno, está presente apenas nos estados do sul, sudeste e em regiões serranas e, mesmo assim, não chega a ser tão rigoroso. No entanto, apesar de não esfriar em outros locais do Brasil, o tempo se modifica um pouco, é época de chuvas no Nordeste e secas no Centro-Oeste. A região Norte é a única que não se altera muito, devido à ação reguladora da floresta.

Nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste, este trimestre é considerado o menos chuvoso do ano e, além da estiagem prolongada, ocorrem as mais baixas temperaturas e os menores índices de umidade do ar.

Com relação à baixa umidade do ar, a Organização Mundial de Saúde - OMS estipula os seguintes parâmetros: inferior a 30% é considerado preocupante; entre 20% e 30% indica estado de atenção; entre 12% a 20%, de alerta; e abaixo de 12%, alerta máximo.

No Sul e Sudeste é comum a ocorrência de nevoeiros causados pelas inversões térmicas.

No Norte é tempo de fortes chuvas, grande umidade do ar e temperaturas acima das médias da região. Exagerando, podemos afirmar que, enquanto no Sul e Sudeste é Inverno, no Norte é Verão.

Estas diferenças devem-se ao fato do Brasil ser muito extenso territorialmente e o Norte estar sob a Linha do Equador e o Sul sob o Trópico de Capricórnio.

As frutas, legumes e verduras cujos períodos de safra coincidem com o período invernal e, por isso, nesse período são encontrados a bom preço, em maior quantidade e qualidade são: maçã estrangeira; morango; pêra estrangeira; tangerina Murcote; agrião; brócolis; cheiro-verde; couve-flor; couve-manteiga; escarola; mostarda; batata-doce; inhame; mandioca; mandioquinha; e pimentão.

O Inverno é um período de baixa manutenção para as plantas, mas que exige alguns cuidados, para que atravessem o inverno com vitalidade. É o período de preparar a terra para as intensas atividades de Primavera. No paisagismo, é o momento de planejar, escolher as espécies que irão ser plantadas na próxima estação e decidir como serão os canteiros.

Algumas plantas são naturalmente resistentes ao frio, não exigindo tarefa alguma no Inverno, como as coníferas (pinheiros e ciprestes). Enquanto outras espécies de plantas cessam seu crescimento vegetativo, dormindo até a chegada da Primavera.

Remova galhos secos, malformados e doentes. Não pode as plantas que estão em flor ou com botões, mesmo que tenham perdido as folhas, pois elas não estão dormindo, estão em plena atividade.

O Inverno também é época ideal para combater pragas e doenças. A maioria delas reduz sua proliferação neste período, sendo um bom momento para controlá-las de forma mais eficiente.

O período é bom para a correção do solo e durante esse processo revolva os canteiros, assim mistura-se melhor o calcário e evita-se a compactação. As regas são reduzidas e feitas preferencialmente pelas manhãs.

E a rebeldia de algumas flores colorindo o Outono, continua no Inverno com azáleas e amores-perfeitos.

O frio e a baixa umidade do ar do Outono aumentam no Inverno. Além disso, a maior concentração de poluentes são um cenário perfeito para as doenças respiratórias proliferarem: resfriado; gripe; amigdalite; faringite; otite; sinusite; pneumonia; asma; bronquite; e bronquiolite.

Entretanto, os portadores de reumatismo é outro grupo sofredor com as baixas temperaturas. Os casos mais comuns são: artrite; artrose; e fibromialgia.

Das quatro Estações do Ano, o Inverno parece ser a mais rigorosa com os seres vivos do planeta. Existem algumas espécies, como os pássaros, que migram, para fugir do Inverno e alcançar regiões mais quentes. Alguns animais hibernam, como o urso.

Até nós, quando pertencemos à minoria de melhor poder aquisitivo, ao invés de hibernarmos como os ursos, migramos como os pássaros em busca da Primavera ou do Verão.

O Inverno é a estação da engorda dos homens: comemos e dormimos demais.

Entretanto, o Inverno com relação à vaidade humana é benevolente demais. Enquanto o Verão nos expõe sem qualquer clemência, o Inverno oculta, disfarça e até nos dá certo ar de nobreza.

O Inverno, diferente do Verão, requer imaginação do observador, para visualizar a realidade física do outro. É uma estação que facilita a elegância e a classe.

Mas, deixando esse lado mais físico, mais fácil de ser observado, o pior Inverno é o de nossas almas. Quando a solidão é nossa melhor companheira; quando nossos sentidos, emoções e pensamentos parecem sofrer atrofia profunda e não nos permitem: a excitação com a energia e sensualidade do Verão; o delírio com a festa de cores, sons e sabores da Primavera; e o envolvimento com os contrastes expostos pelo Outono. Entretanto, apesar dessa atrofia ainda conseguimos: admirar e acompanhar o acordar tarde e deitar cedo dos dias;  bem como respeitar o silêncio misterioso das noites frias de Inverno.

Parece que, como as plantas, os homens deveriam aproveitar essa estação sonolenta, para voltar silenciosamente para suas raízes, ou seja, para seu interior. Aproveitar essa estação para, como pássaros, migrar à procura daquilo que, no mais íntimo do seu ser, representa a Luz: a Primavera Eterna do Espírito.

“Inverno” é tentativa em rimas e melodia para aquecer na estação mais fria e livrar-nos do pior inverno, que é o de nossas almas, quando a solidão é a “amiga do peito”.

Sites:
clima1.cptec.inpe.br; brasilescola.com; bemdesaude.com; jardineiro.net;gloo.com;minhavida.uol.com.br



      Inverno


É tempo de hibernar
por teu rigor, ó estação!
Ou, como pássaro, migrar
em busca de um verão.

Mas, em compensação,
comer e beber viram prazer.
“Boa Forma” perde a razão,
casacões tratam do esconder.

Sumiram: do Verão, o viver à vontade;
da Primavera, o colorido;
e do Outono, a arte do contraste.
Do Inverno, surge o silêncio frígido.

Como aves de arribação,
a solidão das raízes nos conduz
pelos labirintos do coração,
em busca da Estação da Luz.

(A canção encontra-se nesse emsmo site, na entrada "Áudios")

Outros links relacionados a Estações Climáticas:

Estações Climáticas
http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/2261074
Primavera http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/2275160
Verão  http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/2301986
Outono http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/2394028
Inverno http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/2410501

Para Acessar: marque o endereço escolhido. Clique com a tecla direita do "mouse". Tecle com a esquerda na opção "pesquisar http:..."


J Coelho
Enviado por J Coelho em 31/07/2010
Reeditado em 29/08/2011
Código do texto: T2410537
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J Coelho
São Lourenço - Minas Gerais - Brasil, 74 anos
398 textos (335891 leituras)
234 áudios (8776 audições)
234 e-livros (13736 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/12/14 15:17)
J Coelho



Rádio Poética