Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANGOLA RELEMBRA POETA MAIOR

Benguela, 28/09 – Entidades do Governo e Politicas de Angola relembraram recentemente, em Benguela, com alguma tristeza e total firmeza o 10 de Setembro do longínquo ano de 1979, Dia em que faleceu em Moscovo, Rússia, o Guia-Imortal da Revolução Angolana, o primeiro presidente da então República Popular de Angola, doutor António Agostinho Neto.

Segundo o ministro da Indústria de Angola, Joaquim David, àquele dia foi terrível para a história do povo angolano, pois houveram emoções estranhas, contraditórias e difíceis. Naqueles dias, os angolanos viram imagens que jamais se esquecerão nas suas vidas.

Disse que, naquela altura, em que ele próprio encontrava-se em Luanda, assistiu ao cortejo fúnebre de Agostinho Neto, cujos restos mortais idos do aeroporto 17 de Setembro, pararam no Governo Provincial de Luanda, onde, espaventosamente, um episódio de uma multidão inteira estava em pranto.

``São imagens que em mim ficaram, ainda que tenha de viver mais de cem anos hei-de rememorá-las sempre´´ – frisou.

Em seu entender, volvidos 27 anos desde o infausto sucedido, como lição, as autoridades competentes do país devem visualizar nisto um sinal profundo de comprometimento com o bem-estar das populações, progresso, a melhoria de vida das camadas mais pobres, bem como na luta contra a pobreza em prol do desenvolvimento multiforme de Angola.

Por seu lado, o governador de Benguela, Dumilde Rangel, que naquele período estava em Luanda, como comissário político da guarda presidencial, disse recordar com muita tristeza e saudade associadas o facto, tanto mais que no cumprimento do serviço militar já recebeu certas instruções do Presidente Agostinho Neto.

Com base nos ideias de Neto, Rangel apelou a população de Benguela a solidarizar-se com essa tristeza que o país viveu e como forma de honrar a memória daquele que foi o fundador da nação angolana e levou muito longe o nome de Angola, realizar com eficiência e dinamismo, todas as tarefas pendentes a reconstrução nacional.

Advogou também a necessidade de uma maior divulgação da obra de Neto, que reconhece, ser de âmbito, nacional e internacional.

Para o primeiro-secretário do comité provincial do MPLA em Benguela, partido no poder em Angola, Jeremias Dumbo, que naquele tempo era comissário municipal de Caimbambo e encontrava-se em missão de serviço no Huambo, ``Agostinho Neto foi uma pessoa que lutou incansavelmente pela independência nacional de Angola, tendo por isso sido considerado, como o pai e fundador da nação´´.

``Foi um choque muito grande, mas continuamos firmes porque o próprio Neto ensinou que (…) Qualquer um de nós pode tombar em cada esquina, pois a revolução continuará triunfante´´-asseverou.

Acredita que o trabalho do Governo relacionado com a construção de infra-estruturas escolares, hospitalares, rodoviárias, industriais e outras permitirá manter vivo o legado do Poeta Maior, segundo o qual ``O mais Importante é Resolver os Problemas do Povo´´ – disse.

A cidade do Lobito, a 30 quilómetros de Benguela, albergou o acto central provincial das comemorações alusivas do Dia do Herói Nacional, celebrado a 17 deste mês..


Nkazevy
Enviado por Nkazevy em 28/09/2006
Reeditado em 14/01/2009
Código do texto: T251393
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nkazevy
Benguela - Benguela - Angola, 30 anos
168 textos (11333 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:23)
Nkazevy