Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NENHUM INCIRCUNCISO


Quando Deus instituiu a páscoa para o povo de Israel, ordenou que nenhum incircunciso deveria comer dela. E, que se algum estrangeiro que peregrinasse no meio do povo quisesse come-la, que fosse primeiramente circuncidado.

Bem, a circuncisão era um ritual que consistia na remoção da pele que recobre a glande do pênis dum homem. E era o selo da justiça da lei cerimonial, já que a exigência da circuncisão estava regulada ou normatizada na lei de Moisés.

Para que o leitor entenda o que propomos, e para que haja proveito no que expomos, precisamos retroagir ao princípio em que ela foi exigida e ao por quê.

Numa das vezes em que Deus falou com Abrão deu-lhe a seguinte instrução:

     Disse mais Deus a Abraão: Tu, porém, guardarás a minha aliança, tu, e a tua descendência depois de ti, nas suas gerações. Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência depois de ti: Que todo homem entre vós será circuncidado. E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e isto será por sinal da aliança entre mim e vós. O filho de oito dias, pois, será circuncidado, todo o homem nas vossas gerações; o nascido na casa, e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua descendência. Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa, e o comprado por teu dinheiro; e estará a minha aliança na vossa carne por aliança perpétua. E o homem incircunciso, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada do seu povo; quebrou a minha aliança.  Gn. 17:9-14. E Abraão circuncidou o seu filho Isaque, quando era da idade de oito dias, como Deus lhe tinha ordenado. Gn. 21:4.

E diz outra escritura que Abrão creu e isso lhe foi imputado como justiça, veja:

E recebeu o sinal da circuncisão, selo da justiça da fé quando estava na incircuncisão, para que fosse pai de todos os que crêem, estando eles também na incircuncisão; a fim de que também a justiça lhes seja imputada; e fosse pai da circuncisão, daqueles que não somente são da circuncisão, mas que também andam nas pisadas daquela fé de nosso pai. Rm. 4:11 e 12.

E já que os israelitas eram descendentes de Abrão, Deus exigiu que eles também fossem circuncidados. Assim, a circuncisão foi inserida na lei de Moisés para que toda a nação praticasse. Também que o estrangeiro que peregrinasse no meio do povo e pretendesse comer a páscoa deveria antes ser circuncidado. Observemos que a circuncisão era exigida por Deus mesmo antes de ela ser inserida na lei de Moisés. Haja vista que por Moisés não ter circuncidado um de seus filhos, um anjo do Senhor lhe foi hostil quando ele retornava de Midiã, o que o forçou a efetuá-lo na ocasião. Êx. 4:24-26.

A circuncisão era extensiva a todo varão que nascesse na casa de Abraão, assim como todo o que fosse comprado por ele. Gn.17:13.
Mas que significado havia nesse ato? Acaso isso era um ritual higiênico, ou seja, com a finalidade de propiciar prevenção contra infecções, ou era uma figura?

Temos alguns registros nas escrituras que nos dão a certeza de que o ato era uma figura, uma símile, a qual se cumpre nos nossos dias. Entre esses registros, podemos citar o fato de a nação de Israel não ter sido circuncidada durante o período em que vagueou pelo deserto durante quarenta anos. Só quando Israel estava para entrar em Jericó Josué recebeu ordem do Senhor para circuncidar os varões que não haviam sido circuncidados durante a jornada. Js. 5:2-9.

Outrossim, durante esse mesmo tempo, ou seja, durante os quarenta anos, o povo não comemorou a páscoa, pois estava em transgressão. Isso só foi feito depois de terem sido circuncidados os homens que haviam sido deixados de ser circuncidados ao longo desse tempo, e Deus ter removido o opróbrio do Egito de sobre o povo.

Ora, se fosse por questões higiênicas, eles teriam exercido tal prática, e não teriam sido lenientes durante esse tempo e por tanto tempo.
Textualmente diz uma escritura que todos os varões que saíram do Egito estavam circuncidados. Então eles eram rigorosos no cumprimento daquilo que eles haviam recebido de seus pais, os patriarcas.

Há quem queira continuar a exercitar tal ato, mesmo descendendo de gentios, nada obstante as epístolas, cartas doutrinárias, de Paulo, não instruírem isso, pelo contrário, reprovarem.

Os cristãos oriundos do judaísmo queriam continuar a exercitar tal prática ao tempo de Paulo, e exigir que também os gentios que estavam aderindo ao caminho se deixassem circuncidar. Isso levou o apóstolo Paulo, Barnabé e alguns irmãos a irem a Jerusalém, aos apóstolos, a fim de ouvi-los sobre essa questão, veja:

Então alguns que tinham descido da Judéia ensinavam assim os irmãos: Se vos não circuncidardes, conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos. Tendo tido Paulo e Barnabé não pequena discussão e contenda contra eles, resolveu-se que Paulo e Barnabé, e alguns dentre eles, subissem a Jerusalém aos apóstolos e anciãos sobre aquela questão. E eles, sendo acompanhados pela igreja, passavam pela Fenícia e por Samaria, contando a conversão dos gentios; e davam grande alegria a todos os irmãos. E quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e anciãos, e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles. Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés. Congregaram-se pois os apóstolos e os anciãos para considerar este assunto. E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes: Varões irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre vós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho, e cressem. E Deus, que conhece os corações lhes deu testemunho, dando-lhes o Espírito Santo, assim como também a nós. E não fez diferença alguma entre eles e nós, purificando os seus corações pela fé. Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós podemos suportar? Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles também. At. 15:1-11.

E isso não foi uma decisão isolada de Pedro, mas houve anuência dos demais. Prova disso é que houve a concordância de outro apóstolo, o qual fez o seguinte pronunciamento:

     Então toda a multidão se calou e escutava a Barnabé e a Paulo, que contavam quão grandes sinais e prodígios Deus havia feito por meio deles entre os gentios. E, havendo-se eles calado, tomou Tiago a palavra, dizendo: Homens irmãos, ouvi-me: Simão relatou como primeiramente Deus visitou os gentios, para tomar deles um povo para o seu nome. E com isto concordam as palavras dos profetas; como está escrito: Depois disto voltarei, e reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído, Levantá-lo-ei das suas ruínas, E tornarei a edificá-lo. Para que o restante dos homens busque ao Senhor, E todos os gentios, sobre os quais o meu nome é invocado, Diz o Senhor, que faz todas estas coisas, conhecidas são a Deus, desde o princípio do mundo, todas as suas obras. Por isso julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus. Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue. Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas. At. 15:12-21.

Também Paulo escreveu sobre o tema, já que fora eleito apóstolo dos gentios. Numa das vezes, na epístola aos Gálatas, na qual escreveu:
Depois, passados quatorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, havendo também comigo Tito. E subi por uma revelação, e lhes expus o evangelho, que prego entre os gentios, e particularmente aos que estavam em estima; para que de maneira alguma não corresse ou não tivesse corrido em vão. Mas nem ainda Tito, que estava comigo, sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se; e isto por causa dos falsos irmãos que se tinham entremetido, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão. Aos quais nem ainda por uma hora cedemos com sujeição, para que a verdade do evangelho permanecesse entre vós. E, quanto àqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, não se me dá; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me comunicaram; antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da circuncisão me estava confiado, como a Pedro o da circuncisão (porque aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da circuncisão esse operou também em mim com eficácia para com os gentios), e conhecendo Tiago, Cefas, e João, que eram considerados como as colunas, a graça que se me havia dado, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão; recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres; o que também procurei fazer com diligência. E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível. Porque, antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e, se apartou deles, temendo os que eram da circuncisão. E os outros judeus também dissimulavam com ele, de maneira que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação. Mas, quando vi que não andavam bem e direitamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus? Nós somos judeus por natureza e não pecadores dentre os gentios. Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé de Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma. Porque, se torno a edificar aquilo que destrui, constituo-me a mim mesmo transgressor. Porque eu pela lei estou morto para a lei, para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim, e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde. Gl. 2:1-21.

 Estai pois firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão. Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E de novo digo a todo homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela fé; da graça tendes caído. Porque nós pelo espírito da fé aguardamos a esperança da justiça. Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão nem a incircuncisão tem virtude alguma; mas sim a fé que opera por caridade. Corríeis bem; quem vos impediu para que não obedeçais a verdade? Esta persuasão não vem daquele que vos chamou. Um pouco de fermento leveda toda a massa. Confio de vós, no senhor, que nenhuma outra coisa sentireis; mas aquele que vos inquieta, seja ele quem for, sofrerá a condenação. Eu porém, irmãos se prego ainda a circuncisão, por que sou pois perseguido? Logo o escândalo da cruz está aniquilado. Gl. 5:1-11.

Diz ainda o mesmo apóstolo:

É alguém chamado, estando circuncidado? Fique circuncidado. É alguém chamado estando incircuncidado? Não se circuncide. A circuncisão é nada e a incircuncisão nada é, mas sim a observância dos mandamentos de Deus. I Co. 7: 18 e 19.

Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura. Gl. 6:15.
Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua por meio de filosofias e vãs subtilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade; e estai perfeitos nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade; no qual também estais circuncidados com a circuncisão não feita por mão no despojo da carne do corpo; a circuncisão de Cristo; sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos. E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas. Cl. 2:8-13.

Porque a circuncisão é, na verdade proveitosa, se tu guardares a lei; mas, se tu és transgressor da lei, a tua circuncisão se torna em incircuncisão. Se, pois, a incircuncisão guardar os preceitos da lei, porventura a incircuncisão não será reputada como circuncisão? E a incircuncisão que por natureza o é, se cumpre a lei, não te julgará porventura a ti, que pela letra e circuncisão és transgressor da lei? Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne. Mas é judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus. Rm. 2:24-29.

Circuncidai-vos para o Senhor, e tirai os prepúcios do vosso coração, ó homens de Judá e habitadores de Jerusalém, para que a minha indignação não venha a sair como fogo e arda de modo que não haja quem a apague, por causa da malícia das vossas obras. Jr. 4:4.

Circuncidai pois o prepúcio do vosso coração, e não mais endureçais a vossa cerviz. Pois o Senhor vosso Deus é o Deus dos deuses, e o senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita recompensas. Dt. 10:16 e 17.

Guardai pois as palavras deste concerto, e cumpri-as para que prospereis em tudo quanto fizerdes. Vós todos estais hoje perante o Senhor vosso Deus: os cabeças de vossas tribos, vossos anciãos, e os vossos oficiais, todo o homem de Israel: os vosso meninos, as vossas mulheres, e o estrangeiro que está no meio do teu arraial desde o rachador da tua lenha até o tirador da tua água; para que entres no concerto do Senhor teu Deus, e no seu juramento que o Senhor teu Deus hoje faz contigo; para que hoje te confirme por seu povo, e ele te seja por Deus, como te tem dito, e como jurou a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó. E não somente convosco faço este concerto e este juramento. Mas com aquele que hoje está aqui em pé conosco perante o Senhor nosso Deus, e com aquele que hoje não está aqui conosco. . .  Dt. 29:9-29.

E será que sobrevindo-te todas estas cousas, a bênção ou a maldição, que tenho posto diante de ti, e te recordares delas entre todas as nações, para onde te lançar o senhor teu Deus. E te converteres ao Senhor teu Deus, e deres ouvidos à sua voz conforme a tudo o que eu te ordeno hoje, tu e teus filhos, com todo o teu coração, e com toda a tua alma; então o Senhor teu Deus te fará voltar do teu cativeiro, e se apiedará de ti; e tornará a ajuntar-te dentre todas as nações entre as quais te espalhou o Senhor teu Deus. Ainda que os teus desterrados estejam para a extremidade do céu, desde ali te ajuntará  o Senhor teu Deus, e te tomará dali; e o Senhor teu Deus te trará à terra que teus pais possuíram e a possuirás; e te fará bem, e te multiplicará mais do que a teus pais. E o Senhor teu Deus circuncidará o teu coração, e o coração de tua semente; para amares ao Senhor teu Deus com todo o coração, e com toda a tua alma, para que vivas. Dt. 30:1-6.

Eu também andei com eles contrariamente, e os fiz entrar na terra dos seus inimigos; se então o seu coração incircunciso se humilhar, e então tomarem por bem o castigo da sua iniqüidade, também eu me lembrarei do meu concerto com Jacó, e também do meu  concerto com Isaque, e também do concerto com Abraão me lembrarei, e da terra me lembrarei. Lv. 26:41 e 42.

Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão; porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne. Fp. 3:2 e 3.

Eis que vem dias, diz o Senhor, em que visitarei a todo  circuncidado com o incircunciso: Ao Egito, e a Judá, e a Edom, e aos filhos de Amom, e a Moabe, e a todos os que cortam os cantos do seu cabelo, que habitam no deserto; porque todas as nações são incircuncisas, e toda a casa de Israel é incircuncisa de coração. Jr. 9:25 e 26.

Portanto, circuncide o seu coração, se por desventura ele ainda não é circuncidado. Ou se isso não está no seu poder, então peça aquele que é poderoso para remover a membrana que por desventura te impeça de entender as coisas necessárias a sua vida presente, a fim de você alcançar a vida futura. Antes, porém, circuncide o seu ouvido, não sendo como a serpente surda que não ouve a voz do seu encantador.
oliprest
Enviado por oliprest em 02/10/2010
Código do texto: T2533075
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 64 anos
1253 textos (114335 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/14 15:11)
oliprest



Rádio Poética