Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Games violentos geram atitudes agressivas

Games violentos geram atitudes agressivas.



Gargalhadas ecoavam pela casa. Eram os adolescentes, amigos do filho de Jaime que juntamente com o garoto se divertiam com os novos jogos de vídeo game. Curioso com aquele alvoroço da garotada, Jaime se dirigiu ao quarto onde estavam para ver qual o jogo que lhes causavam tamanha excitação e alegria.

Qual não foi sua surpresa quando se deparou com aquela triste cena; a garotada se divertia com um jogo que exaltava a violência, onde tiros eram trocados e sagrava-se vencedor aquele que conseguia massacrar seu oponente com o maior número de marcas no corpo. Cada parte contava um ponto diferente: Tiro nos membros inferiores valiam 5 pontos, no peito 10 e na cabeça 15.

Diante daquele fato lamentável acontecendo em sua própria casa, só restou a Jaime chamar a garotada para um bate papo esclarecedor.

Fale-se da violência, esbraveja-se contra a falta de segurança, todavia, a paz que trará segurança à todos começa justamente dentro de nosso lar.

Há uma atividade cerebral denominada P300 que reflete o impacto emocional causado por uma imagem. Adolescentes que se comprazem com games violentos têm uma diminuição dessa atividade, o que colabora para a insensibilidade diante de imagens chocantes. O resultando não é difícil de prever: Os jovens acostumam-se com a violência como se fosse ela algo normal.

Criaturas que trazem uma tendência belicosa tendem a acentuar essa característica se convivem livremente com agressões e violências das mais diversas formas, mesmo que seja em jogos aparentemente inocentes.

Não pode haver diversão onde espalha-se sangue , mesmo que seja nas telas do computador, televisão ou cinema.

Por isso há que refletir no que estamos permitindo chegar à nossos filhos. Jogos violentos que retratam tiros trocados, lutas onde o vencedor é aquele que massacra com rudes golpes seu adversário, filmes onde o herói mutila dezenas de pessoas,  transmitem ao jovem um espírito de animosidade que pode acompanhá-lo em toda a existência.

Isso colabora para que se criem pessoas prontas ao ataque, e não apenas ao ataque corporal que se exprime na agressão física, mas também ao ataque das palavras, onde machuca-se com a crueldade das criticas ferinas, ou ao ataque intelectual, onde procura-se subjugar os outros impondo o medo, a duvida e semeando a desesperança através da fácil articulação de idéias.

Bem... Esses apontamentos poderão ser contestados, inclusive com estudos e pesquisas que contradizem o que estamos afirmando, ou seja, os jogos violentos não geram atitudes agressivas.
Alguns dirão ainda que o cerne do problema da violência vai muito além disso, e que há coisas muito mais importantes à considerar, como: Desigualdade social, Educação e o próprio comportamento violento dos pais que muitas vezes agridem toda a família. Porém, não creio que apreciar a violência, mesmo que virtual,  possa trazer algum benefício à alguém.
No mais, há muitas coisas sadias e instrutivas que podem divertir os adolescentes,  ao mesmo tempo que sedimentam valores nobres em suas almas.

Cabe então aos pais e educadores de um modo geral, avaliar essa questão e ver o que preferem transmitir à seus tutelados.









Wellington Balbo
Enviado por Wellington Balbo em 02/10/2006
Código do texto: T254238
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wellington Balbo
Bauru - São Paulo - Brasil, 41 anos
364 textos (104037 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 22:38)
Wellington Balbo