Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Até com bicheiros? Afff!!!!!

***

São Paulo, quinta-feira, 19 de outubro de 2006

Dinheiro de dossiê passou por jogo do bicho, aponta PF
Investigação indica que R$ 5.000 transitaram por bancas controladas por bicheiro do Rio

Fitas de calculadoras apreendidas com dinheiro foram as pistas que levaram PF a Antonio Petrus Kalil, conhecido como Turcão

ANDRÉA MICHAEL
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

A Polícia Federal descobriu que R$ 5.000 dos R$ 1,1 milhão que seriam utilizados por emissários petistas para comprar o dossiê contra tucanos passaram por bancas de jogo do bicho no Rio de Janeiro.

Segundo as investigações da PF, o dinheiro teria transitado por bancas ligadas a Antonio Petrus Kalil, localizadas na Baixada Fluminense (RJ). Não significa, porém, que seja ele o fornecedor do dinheiro.

Conhecido como Turcão, Kalil é apontado pelos investigadores como um bicheiro antigo, cujos negócios hoje são tocados por prepostos e familiares. Segundo a PF, como ele tem um grande capital de giro, também atua como uma espécie de ressegurador de bancas menores a fim de garantir o pagamento de eventuais ganhadores.

Nesta linha, abre-se para a investigação a possibilidade de que o jogo do bicho tenha sido usado para reunir parte ou a integralidade dos reais que seriam usados na compra do dossiê. A PF chegou ao nome de Turcão por meio do trabalho de informantes. A eles foram apresentadas pedaços de fitas de calculadora encontrados em meio ao dinheiro. Uma das fitas tinha a inscrição "Caxias 118", referência a uma banca de jogo. Os papéis também tinham um carimbo em comum.

Os reais foram apreendidos por policiais no dia 15 de setembro em um hotel, em São Paulo, quando os emissários petistas se preparavam para fechar a negociação com prepostos da família Vedoin, que comanda a máfia dos sanguessugas.

Ao ler anotações inscritas nas cintas, os informantes associaram o dinheiro aos negócios de Turcão, cuja atuação hoje se concentra em Niterói. Na Baixada Fluminense, conforme a Folha apurou, as bancas trabalham também em nome de Aniz Abrahão David, o Anísio, e Ailton Guimarães Jorge, o Capitão Guimarães.

A PF agora tenta apurar de qual banca teria saído o dinheiro -se de alguma de de Turcão ou de outra que tenha se valido de seus serviços como garantidor de pagamento de prêmios.

Anteontem, a PF cumpriu ações de busca e apreensão de documentos em um escritório que centraliza a arrecadação de bancas do bicho na Baixada Fluminense. Os policiais apreenderam calculadoras. Agora vão fazer perícias para ver se as fitas e os tipos dos números são os mesmos encontrados com o dinheiro suspeito. Hoje a PF pedirá à Justiça Federal em Mato Grosso mais tempo para investigar o caso e também apresentará um relatório parcial da investigação, que completa 34 dias.

No documento, o delegado Diógenes Curado Filho, que preside a investigação, resume as providências tomadas até o momento e indica as razões pelas quais precisa de mais tempo para o trabalho, entre as quais o pedido e análise de novas quebras de sigilo bancário e telefônico para chegar ao dono do dinheiro e coleta de outros depoimentos.

Na próxima segunda, por exemplo, a PF deve ouvir Abel Pereira. Empresário de Piracicaba, Pereira foi apontado pelos empresários Darci e Luiz Antonio Vedoin como uma pessoa capaz de conseguir a liberação de emendas do Ministério da Saúde no final de 2002, quando a pasta era comandada pelo tucano Barjas Negri.

No relatório de Curado também constará que, até o momento, a PF indiciou somente Gedimar Passos, agente da PF aposentado em poder de quem estava parte do R$ 1,75 milhão (em dólares e reais) apreendido em 15 de setembro. Gedimar foi indiciado por suspeita de ter praticado o crime de supressão de documento. É que, segundo depoimento de Valdebran, ele teria recebido documentos que comprometeriam prefeituras envolvidas com a máfia dos sanguessugas. Mas Gedimar teria se recusado a apresentar os papéis à PF.


***

Eu não posso acreditar que as pesquisas de intenções de voto sejam verdadeiras, não é possível sejam, com toda essa lama escancarada, será que nosso povo é tão analfabeto, ou é negligente?

O que será deste nosso Brasil se o povo não acordar?


***

ÐäMå Ðë ÑëG®ö

Apenas uma mulher que já riu, amou, se entregou e chorou.
Escrevo o que sinto, como sinto quando sinto.
Longe de ser uma poetisa, sou apenas alguém que sente!

Beijos


***
Dama De Negro
Enviado por Dama De Negro em 19/10/2006
Reeditado em 22/05/2012
Código do texto: T268157

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dama De Negro
São Paulo - São Paulo - Brasil
1890 textos (146151 leituras)
2 e-livros (329 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 14:04)
Dama De Negro