CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Cada macaco no seu galho

 
 
 
Todos nós, certamente, já ouvimos centenas de vezes o ditado: Cada macaco no seu galho. E todos nós o utilizamos nas mais diversas situações. Ele faz parte do conteúdo da sabedoria popular, é expressão de conhecimento, nascido da observação de fatos; um aprendizado empírico. Vem de longa data e se estabelece porque pode ser comprovado através da vivência.

            Talvez aconteça de repetirmos tanto alguns provérbios que deixamos que se perca o verdadeiro sentido que eles nos sugerem. Assim, quando pensamos neste em particular, podemos ter uma noção do valor da qualificação para um bom desempenho, não importando qual seja a função que se pretenda exercer. Sugere que se faça bem àquilo que se propõe a realizar e, portanto, que se esteja habilitado para tal. Também nos diz que não devemos nos aventurar a feitos para os quais não estejamos preparados.

            Hoje vemos as empresas criteriosas, buscando profissionais capazes, que tenham experiência e que apresentem um comportamento social adequado. Sabe-se que, tão importante quanto o domínio da função, é a atitude pessoal. Espera-se uma conduta ética, participativa e bem articulada, alem do conhecimento técnico. São condições determinantes na hora da contratação.

Podemos compreender a importância deste procedimento, levando-o aos outros grupos aos quais pertencemos.

            Numa família, por exemplo, espera-se que cada um desempenhe bem o seu papel. Que se cumpra a hierarquia que dá sustentação para que ela se mantenha coesa. Os pais, provendo as necessidades dos filhos, orientando-os e dando conta da sobrevivência de todos. Os filhos, enquanto pequenos, estudando e, se a família se organiza, executando algumas pequenas tarefas, que alem de colaborar com o grupo, vai ensinando o que é viver em equipe. E cada um, à medida que executa sua obrigação, irá adquirir conhecimento e se tornará apto a responder por ela. Claro que encontraremos diversos tipos de família, mas por mais que variem os papeis não se fugirá da ordem, da responsabilidade e da capacitação de cada um para realizar o que precisa ser feito.

            Igualmente podemos pensar num clube social, onde todos e cada um fazem sua parte, desde a colaboração financeira até as obrigações e direitos. E neste caso também cada um deve estar preparado para fazer o que lhe cabe. Idem para as escolas, as igrejas, enfim, todo e qualquer grupo.

            Se considerarmos ainda a sociedade, onde as questões tornam-se mais complexas por tratar-se de um conjunto maior e, portanto, bem mais diversificado, chegamos à conclusão de que essa máxima torna-se imprescindível. Não se pode imaginar que uma sociedade funcione e se desenvolva convenientemente através do improviso, ou por ensaio e erro apenas. O preço que se pagará por isso será altíssimo.

            Daí compreendermos a importância da ordem e do preparo compatível a cada função existente. Vemos que se uma pessoa pretende ser dentista, secretário, marceneiro, enfermeiro, atendente, gari, professor, advogado, ascensorista, enfim, qualquer que seja a profissão, terá que se preparar para ela, de modo a tornar-se um profissional qualificado e, portanto, eficiente. Oportuno se torna enfatizar que a carreira política, tanto quanto qualquer outra, exige da mesma forma uma preparação específica.

            A educação é, pois, o pilar de uma sociedade progressista, equânime e eficiente. A exigência para esta conquista é a disciplina, a ordem e principalmente o empenho na formação das pessoas. A sociedade é a reunião de pessoas, assim a qualidade das pessoas determina a qualidade desta sociedade.

            Estamos vivendo um momento decisivo. Precisamos optar pelo rumo que desejamos tomar. Não há mais tempo a perder, urge estarmos preparados para as oportunidades, caso contrário elas virão e não serão aproveitadas. Um país, para que estabeleça justiça e oportunidade para todos, terá, necessariamente, que dar atenção à educação, garantindo a preparação de cidadãos que atuem com qualidade e produzam de tal forma que todos saiam favorecidos. O desenvolvimento implica aprimoramento das pessoas.

            Há que se levar a sério esta questão. Cada macaco no seu galho é lição que aprendemos com nossos pais e avós, e quer dizer: que cada um faça aquilo que foi capaz de aprender bem, para que não exerça uma função estando despreparado e prejudique, assim, toda uma nação.

            Sejamos firmes na busca de uma educação a altura do Brasil com que tanto sonhamos.
 
 
 
Priscila de Loureiro Coelho
Enviado por Priscila de Loureiro Coelho em 01/11/2006
Código do texto: T279665

Comentários

Sobre a autora
Priscila de Loureiro Coelho
Jacareí - São Paulo - Brasil, 63 anos
1285 textos (209009 leituras)
1 e-livros (143 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/09/14 13:14)