Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As Orquídeas de Paulo Floresceram"


As Orquídeas de Paulo Floresceram!

Hoje, tive a alegria imensa de ir ao Meu Jardim Mágico  (que é de todos)e ver quatorze orquídeas, num mesmo xaxim. desses que são em placas.
Jesus está aqui!
E, meu querido Paulo, o incansável jardineiro que, de um nada de suas mãos,nasce uma flor!
Trouxe-me a futura orquídea de uma espécie silvestre que encontrou, no mato.
Disse-me;
" Dona Eda, vamos ver se ela vai florescer"
Quem é Paulo?
É Meu Jardineiro Encantado, irmão do Luiz de quem escrevi o artigo, ontem:
" Deixa Crescer Para A Sra.Poder Ir A Minha Casa"!
São os dois amores, em minha vida, em pensamento, em amizade e confiança.
E, haja Jardim, Borboletas, Pássaros, que, cedinho estão aqui para saudar a Natureza.
E os Beija-Flores que são quatro.
Já lhes contei que o casal procriou e nasceram dois filhotinhos..
Tudo isso acontece, debaixo do meu nariz!
Paulo querido, como lhe agradeço as horas que fica aqui,
cuidando do nosso Jardim Mágico!
Nunca tem pressa...
Cuida de seu filhos com afinco.
É a mangueira que precisa ser podada.
As ervas daninhas que ele tira!
As flores que planta.
E, quando chega, com aquele jeitinho humilde e simpático diz:
" Dona Eda, vou cortar a grama!
Dona Thais " beijaflor" (minha amiga poeta) vem aí e precisa encontrar tudo bonito"!
E, elas crescem, vicejam, dançam, num bailado, semelhante a essa valsa.
Seu lanche sempre o faço, como o de seu irmão Luiz e  lhe digo:
" Foi feito com amor"
" Paulo, quer almoçar"?
"- Quero sim sra"!
Na roça eles almoçam muito cedo.
O prato aqui de Araruama que eu vim a conhecer
e que é servido, em muitos restaurantes é:" Seca no Feijão"!
E, que delícia!
Aquele feijão  preto, muito bem  feito que comemos juntos
e conversamos,pois sempre temos assuntos.
E, Paulo trabalha num depósito de bebidas: " Principal"
Comprou uma moto nova!
Linda!
E lá vão muito feijão, arroz e ovo,como ele diz.
Come puro, muitas vezes.
Também aprendi que comer puro é comer,sem carne, de nenhuma espécie.
É, quando estamos com as finanças baixas,e,se come puro.
De onde estou, vejo as Orquídeas, e, elas mandam lhes dizer
que gostaram muito do que escrevi,e,que lhes manda um
um beijo terno, como o meu.
Com todo carinho de
Eda
Eda Carneiro da Rocha
" Poeta Amor"
www.albumpoeticoeda.com.br




Poeta Amor
Enviado por Poeta Amor em 02/11/2006
Código do texto: T280660

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Poeta Amor
Araruama - Rio de Janeiro - Brasil, 81 anos
398 textos (14776 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 04:30)
Poeta Amor