Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As quatro datas para escolha do DIA DO PROFISSIONAL DE NECROPSIA

Carl Rokitansky
Técnica 1842
19 de fevereiro de 1804 - 23 Julho 1878

Anton Ghon
Técnica 1890
01 de janeiro de 1866 - 23 de Abril 1936

Rudolf Virchow
Técnica 1893
Świdwin, 13 de outubro de 1821 — Berlim, 5 de setembro de 1902

Maurice Letulle
Técnica 1900
(1853-1929].

As quatro tecnicas de necropsia usadas no mundo todo.
Cada serviço de Patologia tem sua própria técnica de necropsia, que na verdade é variante de uma das quatro técnicas básicas :
• Virchow os órgãos são retirados um a um e examinados posteriormente.
• Ghon, , a evisceração se dá através de monoblocos de órgãos anatômicamente/ou funcionalmente relacionados.
• M. Letulle o conteúdo das cavidades torácica e abdominal é retirado em um só monobloco.
• Rokitansky os órgãos são retirados isoladamente após terem sido abertos e examinados "in situ".



Dr  Rudolf  Virchow, médico polonês,  padronizou a técnica de necrópsia, cuja base é utilizada até os dias atuais. Ele fundou as disciplinas de patologia celular e patogia. Na técnica de Virchow os órgãos são retirados um a um, são pesados e examinados  separadamente. A abertura do tórax e abdome é a padrão (biacrômio esterno pubiana) e a do crânio, também (bimastóidea vertical). Após o exame dos órgãos, eles são colocados novamente dentro do cadáver.

Dr Rokitansky  estabeleceu as bases estruturais das doenças e a técnica de necropsia com o estudo sistemático de cada órgão. Em 1866, já tinhafeito mais de 30 mil necropsias. Na sua técnica, os órgãos são examinados “in situ”ou seja, dentro do cadáver, um a um. Desta forma, nesta técnica são realizados vários cortes em todos os órgãos internos, para depois eles serem retirados, um por um. Observe que esta técnica possui uma grande semelhança com técnica de Virchow,  com a diferença de que na de Virchow os órgãos são retirados um a um para depois serem examinados, enquanto na de Rokitansky  os órgãos  são examinados ainda dentro do cadáver, para depois serem retirados , também um por um.

Na técnica de M.Letulle, é feita a evisceração (retirada das vísceras do cadáver) através de um único bloco. Esta retirada se dá, na parte torácica e abdominal da seguinte forma: a pele abaixo da região mentoniana é rebatida, juntamente com os planos musculares, e é feito um corte nos músculos localizados abaixo da língua. A língua então, será tracionada em sentindo antero-inferior, e o técnico também irá começar a dissecar os músculos da região cervical, liberando a traquéia e o esôfago, que virão juntamente com a língua. A dissecação deste conjunto continuará a ser feita, sendo que o mediastino posterior será descolado da coluna vertebral, e os pulmões, liberados. O diafragma então será cortado na sua porção mais posterior, e o fígado será liberado juntamente com o pâncreas e o estômago. O intestino delgado e o grosso é então descolado da parece abdominal, através da secção do mesentério. No final do intestino grosso, é feito um nó-duplo, para evitar o vazamento do conteúdo intestinal quando o corte final for feito. Os rins também são retirados quando o intestino está sendo descolado.


Na técnica de Ghon, a evisceração se dá através de monoblocos de órgãos anatomicamente  e/ou funcionalmente relacionados. Abaixo estão descritas as etapas da necropsia clinica utilizando a técnica de Ghon:
Remoção do cérebro: A incisão no couro cabeludo deve se iniciar a 1-2 cm atrás da borda inferior da orelha direita, se estendendo pela convexidade do crânio até alcançar o ponto correspondente contralateral. As duas partes devem ser descoladas da calota craniana e rebatidas, a anterior até próximo das órbitas, e a posterior até a protuberância occipital.
Remoção da hipófise: Secciona-se o diafragma da sela túrcica em toda sua extensão. A ponta do formão é colocada na borda posterior, e martela-se orientado para trás; visualiza-se a hipófise, que então é dissecada e retirada.
Remoção da medula espinhal: Pode ser feita por via posterior, colocando-se o corpo virado de costas e abrindo-se a pele ao longo da coluna vertebral, que então é seccionada nos processos laminares, expondo a medula nervosa.
ABERTURA DAS CAVIDADES TORÁCICA E ABDOMINAL


Por estes mestres terem marcado as técnicas usuais que deu inicio ao trabalho de necropsia. Hoje é colocado em votação o dia do profissional de necropsia, sendo por meio de ORKUT, Facebook, twitter, e-mail e blog do necropsista.

Objetivo:
Esse dia será relativo ao nascimento de um desses quatro mestres. Com esta votação feita divulgaremos a data escolhida e iniciamos uma campanha de divulgação e esclarecimentos sobre a área de necropsia, onde mostraremos que existimos como profissionais de respeito. Depois queremos reconhecimento no CBO e regulamentação em projeto de Lei, para podermos oficializar um sindicato especifico da nossa área.

contato por e-mail
necropsista@gmail
necropsista
Enviado por necropsista em 01/09/2011
Código do texto: T3194885

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (necropsista). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
necropsista
São Paulo - São Paulo - Brasil, 47 anos
16 textos (85930 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/05/17 16:05)
necropsista