CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Lagarto/SE

LAGARTO/SE

A Cidade
 
Lagarto oferece muitas alternativas para quem pretende investir. Possui distrito industrial com infra-estrutura pronta para instalação de empresas de todo porte, além de possuir política de incentivos fiscais. Sendo hoje o segundo mercado consumidor do Estado de Sergipe, além de servir como pólo regional de desenvolvimento.

Alegria é marca característica do povo lagartense. Há festa o ano todo. Em janeiro ocorrem os festejos da confraternização universal (aqui conhecido como natal dos povoados). Em fevereiro/março, a depender do calendário há carnaval (LAGARTÃO ALEGRIA), que reúne 50.000 foliões aproximadamente. Em 20 de abril comemora-se o aniverário da cidade com vasta programação cultural. Em junho acontecem os festejos juninos e neste ano (2009) uma novidade: o FESTIVAL DA MANDIOCA evento com a finalidade de mostrar os beneficios do cultivo que gera emprego e renda além da farinha e pratos derivados desta raiz. Em setembro a festa da Padroeira NOSSA SENHORA DA PIEDADE mostra a religiosidade do povo lagartense, a exposição e a vaquejada. E ao encerrar o ano os jogos estudantis que movimentam milhares de jovens estudantes do município, sacodem a mocidade finalizando com a MADERETA um dos maiores eventos festivos da região. Sem dúvida alguma a MADERETA que encerra as festas lagartense é a apoteose, reunindo grandes nomes da música brasileira que animam milhares de foliões vindos das mais diferentes regiões do país.
 
História
 
Lagarto, "Cidade Ternura"

Com uma área de 1.036 Km² e aproximadamente 100.000 habitantes, Lagarto orgulha-se, entre outras coisas, de possuir uma das maiores cidades do Estado com aspecto de grande centro. Nela, o passado de suas igrejas, prédios e monumentos de filhos ilustres, a exemplo de Sílvio Romero e Laudelino Freire, convive harmoniosamente com a arquitetura moderna e com a natureza. É atraente a beleza das ruas, praças e avenidas, que envolve sua gente simples e amiga, sua história, seu folclore, sua culinária típica e seus atrativos naturais.

Um pouco da história de Lagarto é contado por sua gente e está registrado em cada ponto da cidade. Também importante é o marco que revive os primeiros acontecimentos da colonização do município, localizado no povoado Santo Antônio. Segundo historiadores, havia, às proximidades de um riacho, uma pedra em forma de lacertílio, causa provável da origem nominal da povoação. Outra versão fala da existência de um brasão com a marca de um lagarto, deixado por um fidalgo português.

Em Lagarto, os logradouros do centro da cidade ainda guardam aspecto do século passado, destacando-se algumas ruas estreitas como o Calçadão da D. Pedro II e as ruas Cel. Sousa Freire e Acrísio Garcez.

Na Colônia Treze, a 15 minutos da sede municipal, encontra-se uma das igrejas mais incomuns, com paredes cobertas de grama e aparência cônico-piramidal.

O convívio com a natureza fascina a todos que descobrem a beleza natural da Serra da Miaba, um dos lugares mais belos de Sergipe, motivo de inspiração de vários contos, entre eles "Tesouros da Miaba", de Acrísio Torres de Araújo, localizada na divisa Lagarto - São Domingos. Encantados também ficam aqueles que visitam os remanescentes do Balneário Bica, onde o verde e a selva de pedras se situam lado a lado.

Para diversão de seus moradores e visitantes, a "Cidade Ternura" conta com clubes sociais, restaurantes, ginásios de esporte, parque de vaquejada, estádio de futebol (o Barretão), o espaço livre da Barragem Dionísio Machado e a Praça do Forródromo, cuja área é destinada a apresentações culturais e desportivas. As festas e exibições folclóricas são também características da cidade, com destaque para a Festa da Excelsa Padroeira "Nossa Senhora da Piedade", o desfile cívico-militar e a Exposição-Feira de Animais, realizados no mês de setembro.

Os festejos de São João e São Pedro estão reservados em seu calendário para o mês de junho com apresentações de quadrilhas, fogueiras, fogos de artifícios e comidas típicas, em que a maniçoba e o ginete não podem faltar. Parafusos, Reisado, Lambe-sujo, Cangaceiros, Taieiras, Terno de Zabumba, Encomenda(ção) das Almas, vaquejada, forró e a tradição das festas natalinas representam algumas de suas riquezas culturais

Localizada no centro-sul do Estado, a 78 km da capital, Lagarto dispõe de eficiente sistema de transporte com rodovias em bom estado de conservação.

Na área de serviços, Lagarto ainda dispõe de hotéis, pousadas, estabelecimentos bancários, agências de viagens, hospital, maternidades, clínicas etc.

Saindo do centro da cidade estão os bairros: Cidade Nova, Novo Horizonte, Aldemar de Carvalho, Horta, Pacheco, Gomes, Loiola, Matinha, Libório, Jardim Campo Novo, Alto da Boa Vista e os conjuntos residenciais: Sílvio Romero, Laudelino Freire, Albano Franco e Jardim Santo Antônio.

O seu progresso reflete o desenvolvimento do município, hoje possuidor de grandes empresas, escolas de ensino regular e especial, emissoras de rádio, faculdade, pólo universitário, e de uma expressiva quantidade de veículos e pessoas em movimento no trânsito, o que traduz a pujança da sua gente.

 Administração Municipal

João Batista de Carvalho Daltro
 1890-1893
 Camareiro
 
José Cirilo de Cerqueira
 1893-1897
 Intendente
 
Sebastião d'Ávila Garcez
 1897-1902
 Intendente
 
Filinto Martins Fontes
 1902-1906
 Intendente
 
José Cirilo de Cerqueira
 1906-1910
 Intendente
 
Gonçalo Rodrigues da Costa
 1910-1912
 Intendente
 
Felipe Jaime Santiago
 1912-1913
 Intendente
 
Antonio Oliva
 1913-1917
 Intendente
 
Joaquim da Silveira Dantas
 1917-1921
 Intendente
 
Joaquim de Carvalho Leó
 1921-1925
 Intendente
 
Acrízio d'Ávila Garcez
 1926-1930
 Intendente
 
Porfírio Martins de Menezes
 1930-1934
 Intendente
 
Rozendo Barreto Machado
 1934-1938
 Intendente
 
Artur Gomes
 1938-1940
 Interventor
 
Armando Feitosa
 1941-1942
 Interventor
 
José Marcelino Prata
 1942-1943
 Interventor
 
Aldemar Francisco de Carvalho
 1943-1943
 Interventor
 
Manoel Emílio de Carvalho
 1943-1946
 Interventor
 
José da Silveira Lins
 1946-1950
 Prefeito
 
Alfredo Batista Prata
 1951-1955
 Prefeito
 
Dionízio de Araújo Machado
 1958-1962
 Prefeito
 
Antônio Martins de Menezes
 1962-1966
 Prefeito
 
Rozendo Ribeiro Filho
 1966-1970
 Prefeito
 
Dionízio de Araújo Machado
 1970-1974
 Prefeito
 
José Ribeiro de Souza
 1970-1972
 Prefeito
 
João Almeida Rocha
 1972-1976
 Prefeito
 
José Vieira Filho
 1976-1982
 Prefeito
 
José Vicente de Carvalho
 1982-1983
 Prefeito
 
Arthur de Oliveira Reis
 1983-1989
 Prefeito
 
José Rodrigues dos Santos
 1989-1992
 Prefeito
 
José Raymundo Ribeiro
 1993-1996
 Prefeito
 
Jerônimo de Oliveira Reis
 1997-2002
 Prefeito
 
José Rodrigues dos Santos
 2002-2008
 Prefeito
 
José Valmir Monteiro
 2009-
 Prefeito
 

O Monsenhor João Batista de Carvalho Daltro foi quem primeiro governou a Vila do Lagarto, de 1890 até 1893, época em que foram edificados o Paço Municipal, o Hospital Nossa Senhora da Conceição, os Barracões da Feira (espaço da atual Praça Dr. Filomeno Hora), o Lazareto (nas terras do Pe. Pacheco), o Leprosário (no lugar denominado Matinha), as torres da Matriz (revestidas de fragmentos de porcelana) e o Cemitério Senhor do Bonfim (ainda ativado); abriu o Tanque Grande (entulhado, anos depois) onde hoje está localizada a Praça da Madeira. Ao término de sua administração, foi empossado o primeiro político de Lagarto: José Cirilo de Cerqueira, eleito com o apoio do então Governador Felisbelo Freire, permanecendo até 1897.

Fonte: Portal LagartoNet.com / Rusel Barro
 
Folclore
 
Muitas festividades fazem parte da cultura local. Algumas foram preservadas pelo povo, outras caíram no esquecimento e já não mais praticadas. Registramos as principais:

PARAFUSOS - Originária da fuga de antigos escravos para os quilombos que ao passarem pelas vilas roubavam anáguas de linho com babados das senhoras e que após a libertação dos escravos, desfilavam pelas ruas da cidade. Segundo Adalberto Fonseca, quem criou a expressão "Parafusos" foi o Padre Salomão Saraiva que ao ver da igreja os negros com saias exclamou: parecem parafusos dançando. A expressão pegou e durante décadas o desfile dos parafusos fazia parte do calendário folclórico da cidade,

CHEGANÇA - Grupo de dança que retrata a luta entre reis católicos e turcos, pela reconquista do trono português

CANGACEIROS - Grupos de homens vestidos como cangaceiros que visitam lojas e casas pedindo comida e bebida, sob ameaça de agressão se não forem atendidos . Relembra os atos de Lampião.

TAIEIRAS - Grupos de moças com vestes orientais que dançam em torno de um mastro enfeitado, sob o efeito de música de zabumba, enquanto rapazes espadachins encenam lutas para proteger o casal real.

ZABUMBA- Grupos de homens que saem tocando instrumentos rústicos de percussão para animar festas de batizados, casamentos, e outras manifestações populares em troca de gorjetas, comida e bebida.

QUADRILHAS - Grupos de rapazes moças e até crianças que dançam músicas juninas sob o toque da sanfona. São apresentadas geralmente por escolas e atuam nos meses de junho/julho.

LAMBE-SUJOS - Grupos de crianças que se pintavam como os indígenas Kiriri, primitivos habitantes da região e saíam pelas ruas dançando.
 
 Administração Atual
 
O prefeito Valmir Monteiro possui curso superior em Gestão Pública e foi eleito três vezes como deputado estadual. Mesmo como empresário bem-sucedido no ramo alimentício e de madeiras quis ser prefeito e após a terceira tentativa, enfim realizou este sonho. Político de fácil diálogo, traz características da época empresarial onde valoriza o funcionário para que este possa render bons frutos. Essa valorização acontece, principalmente, com o pagamento dos funcionários em dia. "Ser prefeito de uma cidade como Lagarto é um desafio que aceitei e abracei, porque acredito que Lagarto vai voltar ao rumo do desenvolvimento", declara o prefeito Valmir Monteiro.
 
O vice-prefeito José Raimundo Ribeiro Júnior é bacharel em Direito. Tem experiência profissional como bancário, administrador de empresas e assessor no Executivo Municipal de Aracaju. Além disso, já atuou no Tribunal de Justiça, como Oficial de Justiça, Juiz Conciliador do Juizado Especial Cível e Criminal de Lagarto.
Como vice-prefeito, as suas metas são: ajudar a administração e a população do meu município, com idéias e colaborando com projetos que venham a melhorar a qualidade de vida dos lagartenses.
 
O bacharel em Administração de Empresas, Anderson Souza Andrade, tem em seu vasto currículo cinco anos na Ambev, gigante do ramo de bebidas e refrigerantes, além de atuar durante oito anos como assessor financeiro de Valmir Monteiro enquanto deputado estadual. Ao se eleger prefeito, Valmir não pensou duas vezes, confiou a Anderson a Secretaria de Finanças do município. Com objetividade, o secretário traça as suas metas: "Vou administrar as finanças do município com lisura e transparência pois, assim poderemos honrar as obrigações dos nossos funcionários e fornecedores, como também os encargos financeiros", completou o secretário.
 
Andresa Santos Nascimento é bacharel em Psicologia, e assim não podemos questionar o seu conhecimento sobre a necessidade de cada ser humano. Esse currículo será aplicado na Secretaria do Desenvolvimento Social que tem como foco a criança e o adolescente, não esquecendo da população carente. Com os seus projetos na área social, Andresa apresenta alguns destaques para sua gestão: "A criança será a nossa bandeira, para que ela cresça e contribua para o futuro. Com o adolescente, haverá um processo de 'reciclagem', tirando-o da marginalização, das drogas e oferecendo oportunidade de uma constante melhoria", afirmou Andresa.
 
Com uma ampla experiência na agropecuária, no associativismo, no cooperativismo e em movimentos sociais no Estado de Sergipe, a exemplo do Movimento Sem Terra - MST, Antônio Carlos Nogueira Fontes assumiu a Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural. Seus planos são claros e coerentes: "A nossa secretaria irá trabalhar com pequenos agricultores e pecuaristas, visando a sua melhoria. Buscaremos parcerias entre órgãos estaduais, fazendo a agricultura acontecer. Trabalharemos também com pequenas empresas, como casas de farinha, como total apoio ao cultivo da mandioca, que tem uma expressão significativa na nossa cidade", afirmou Antônio Carlos.
 
A Secretária de Saúde Alyne Almeida de Araújo possui licenciatura e bacharelado em Ciências Biológicas - Modalidade Médica. Já ocupou cargos de gestora/chefia em diversos setores de Saúde do Estado como o Instituto Parreiras Horta (Aracaju) e Hospital de Beneficência Amparo de Maria (Estância) e, ainda, nas Prefeituras de Aracaju, Salgado e São Cristóvão. A atual secretária tem em seu currículo profissional a rica participação em uma série de cursos, congressos, seminários, workshops, simpósios, jornadas, conferências e encontros no Brasil inteiro.
 
Ibrain Silva Monteiro, acadêmico de Administração de Empresas, secretário da Cultura, da Juventude e do Esporte, afirma que somente a valorização, o reconhecimento, constante apoio, incentivo e realização de eventos esportivos na cidade e nos povoados, promoverão o nome de Lagarto no cenário esportivo. O lazer é outra questão que merece destaque e resgate: "Temos os festejos juninos que são uma volta às tradições festivas esquecidas em Lagarto e que entram para a história", informou o secretário.
 
O Secretário Municipal de Admistração Floriano Santos Fonseca. Graduado em História, Lato Sensu em Novas Abordagens ao Ensino de História, Técnico em Artes Cinematográficas, Certificado pela ANBID, possui diversos cursos na área de administração bancária. Atuou como Gerente de Pessoa Jurídica na agência do Banco do Brasil. Em Lagarto, é membro do Rotary Clube. Possui larga experiência na área musical onde atuou por vinte e dois anos. Trabalha como voluntário em ações sociais no município, a exemplo do Projeto Cinema nos Bairros. É membro do Conselho Fiscal do Partido dos Trabalhadores de Lagarto, onde foi presidente do diretório em 1993. Atuou durante doze anos como membro da direção do Sindicato dos Bancários de Sergipe e na Central Única dos Trabalhadores - CUT como representante do sindicato. Tem por objetivo na administração, a promoção de ações motivacionais, valorização e conscientização do papel do servidor público no âmbito municipal.
 
A Secretaria de Obras está sob o comando do comerciante e também técnico em Contabilidade José Pedro Freire Correia, Pedro Correia, como é mais conhecido. O secretário tem objetivos precisos: "Executamos obras que se fazem necessárias e urgentes, como o saneamento básico, a limpeza de rodovias, reforma e conservação e escolas, postos de saúde, creches etc", afirma o secretário. "Entretanto, tudo será feito em parceria com demais órgãos do governo do Estado, para a melhoria de uma cidade que aparentemente estava abandonada", finalizou Pedrinho Correia.
 
Áurea Ribeiro, secretária municipal de Indústria, Comércio e Turismo de Lagarto, tem larga experiência na assistência à população carente e como empresária no ramo de confecções. Está concluindo o bacharelado em Serviço Social. A meta, segundo a secretária, é fomentar e desenvolver o setor industrial e comercial que estão abandonados no município, através do total apoio do prefeito Valmir Monteiro
 
Cultura
 
A nova administração, apoiada pelo jornalista lagartense Enoque Araújo vem resgatar a cultura lagartense, cuja a história passamos a contar a partir de agora:

No âmbito literário, Sílvio Romero, Laudelino Freire, Ranulpho Prata e Abelardo Romero são exemplos da expressão escrita dos lagartenses.

Na esfera do rádio, cinema, teatro, jornal e televisão, Lino Corrêa, Maria Dealves, Euler Ferreira, Rosalvo Nogueira, Márcio Lyncoln, Alex Dias, Emília Corrêa, Daniela Domingos, Joel Silveira, George Magalhães e a Cia de Teatro Cobras & Lagartos merecem destaque.

Na área musical, a orquestra Los Guaranis, as bandas Frevo Folia, Lacertae, Uns Bossais e Kalibre, o músico Kalil, a dupla Valter & Izildy e os grupos Violão de Ouro, Antenor Nunes e Trio Chamego do Forró animam os eventos.

No campo das tradições populares: as Novenas, os Parafusos, a Chegança, a Silibrina, as Quadrilhas Juninas, a Encomendação das Almas, a Zabumba, o Rei Momo [...] são marcas que trazem à memória Dona Maria Teles, Maninho de Zilá, Mestre Terreno, Paulo da Chegança, Zé Padeiro, Tonho de Sinhô, Seu Menino da Pipoca, entre outros lagartenses.

Nas artes plásticas: Altair Andrade, Evilázio Vieira, José Carlos Carvalho, José Fernandes, Lourival Santos e Leustênisson Mesquita delineiam magia e encantamento sobre telas.

Nas instituições culturais, a Diretoria Regional de Educação, o Grupo de Teatro Cobras & Lagartos, a Secretaria de Educação do Município e a OACI Idiomas promovem recitais, peças de teatro, entre outros eventos.

No mundo poético: Angélica Amorim, Assuero Cardoso, Anderson Ribeiro, Ivilmar Santos e Noeme Dias despertam novas gerações.

Na história, as marcas do pioneiro Adalberto Fonseca e, recentemente, a tenaz contribuição de Claudefranklin Monteiro Santos e Floriano Santos Fonseca, também estão presentes.

Na pesquisa, os trabalhos de Aglaé d'Ávila Fontes, Beatriz Góis Dantas, Luís Antônio Barreto e a colaboração de Rusel Marcos Barroso são exemplos para manutenção da memória de sua gente.

Lagarto, além de berço de homens notáveis, é um município progressista que ainda valoriza as manifestações culturais, motivo da riqueza do seu calendário turístico.

 Rusel Barroso

LAGARTO WIKIPEDIA

 Localiza-se a uma latitude 10º55'02" sul e a uma longitude 37º39'00" oeste, estando a uma altitude de 183 metros. Possui uma área de 969,226 km² [6] e está situado na microrregião agreste de Lagarto. A hidrografia do município é composta pelos rios Vaza-Barris, Piauí, Jacaré, Piauitinga de Cima, Machado e Caiça, pelos riachos Oiti, Pombos, Flexas e Urubutinga. No seu solo, há riquezas minerais exploradas e inexploradas: argila, calcário, mármore, enxofre, e pedras de revestimento. Sua área de preservação são as piscinas do povoado Brejo, as - fontes naturais -, o Balneário Bica (fonte natural no perímetro urbano).

Hoje, há mais de 100 povoados que compõem o município. Os principais são Colônia Treze, Açuzinho, Açu, Caraíbas, Brasília, Brejo, Jenipapo, Gameleiro, Urubutinga, Araçás, Estancinha,Urubu Grande, Boa Vista do Urubu, Coqueiro, Boieiro, Mariquita, Tapera dos Modestos, Rio Fundo, Quilombo, Telha, Pururuca, Santo Antônio, Taperinha, Itaperinha, Tanque, Curralinho, Campo do Crioulo, Gavião, Oiteiros, Brejo, Moita Redonda, Fazenda Grande, Tapera do Saco, Sobrado, Pé da Serra do Qui, Luís Freire, Mangabeira, Rio das Vacas, Olhos d'Água,Pindoba, Barro Vermelho,Limoeiro, Fundão, etc.

 Demografia

A população de Lagarto é mista, com predominância de ascendência portuguesa. Segundo o censo do IBGE em 2010, sua população é de 94.852 habitantes[3]. Mantendo o percentual de crescimento em comparação com o resultado do Censo 2010, com a estimativa populacional do IBGE de 2009[7], estima-se que no ano de 2012 a população alcance 100.000 habitantes.

Conforme o censo 2010 mostra[3], que 48,46% da população reside na zona rural, com 45.963 habitantes; já a zona urbana tem 51,54%, com 48.889 habitantes. A população masculina é de 46.498 (49,02%), e a feminina é de 48.354 (50,98%). Possui 33.532 domicílios.

Política
Bole-Bole x Saramandaia
Em Lagarto existe uma briga histórica entre esses dois grupos políticos, inspirada na novela da Rede Globo Saramandaia, uma cidade pequena onde havia dois grupos políticos, onde a questão maior era mudar o nome da cidade de Bole-Bole para Saramandaia. Em Lagarto no início as principais lideranças eram Dionízio Machado e Artur de Oliveira Reis (Artur do Gavião) pelo SARAMANDAIA e Rosendo Ribeiro Filho (Ribeirinho) pelo BOLE-BOLE, mas devido a idade avançada dos dois caçiques, os dois gupos agora estão sendo liderados por: Saramandaia - Jerônimo Reis/Lila Fraga; Bole-Bole - José Raimundo Ribeiro (Cabo Zé)/Luíza Ribeiro. Esses grupos vem se alternando no poder desde os anos 80. Atualmente a Prefeitura de Lagarto está sendo comandada por um "Bole-bole" - Valmir Monteiro.

Principais lideranças desses dois históricos grupos:

Saramandaia: Dionízio Machado (ex-prefeito, ex-governador e ex-vice-governador) Artur Reis (ex-deputado estadual e ex-prefeito),Zezé Rocha (ex-prefeito), Jerônimo Reis (ex-deputado estadual, ex-prefeito, ex-deputado federal).
Bole-Bole: Ribeirinho (ex-prefeito e ex-Deputado estadual), Cabo Zé (ex-prefeito e ex-deputado estadual).
Indeterminado: Prefeito Valmir Monteiro
Administradores - lideranças que marcaram a história do município
Sebastião D'Ávila Garcez (1897-1902)
José Cirilo de Cerqueira (1902-1910)
Gonçalo Rodrigues da Costa (1911-1912)
Felipe Jaime Santiago (1912-1913)
Antônio Oliva (1914-1917)
Joaquim da Silveira Dantas (1918-1921)
Acrísio D'Ávila Garcez (1922-1925)
Porfírio Martins de Menezes (1926-1930)
Rosendo de Oliveira Machado (1931-1934)
Artur Gomes (interventor) (1935-1938)
Armando Feitosa Horta (interventor) (1939-1942)
José Marcelino Prata (interventor) (1943-1946)
José da Silveira Lins (eleito em 1946, governou pouco tempo, sendo substituído por interventores)
Aldemar Francisco Carvalho (interventor) (1947-1949)
Manoel Emílio de Carvalho (interventor) (1947-1949)
Alfredo Batista Prata (1950-1954)
Dionísio de Araújo Machado (1955-1958)
Antônio Martins de Menezes (1959-1962)
Rosendo Ribeiro Filho (Ribeirinho) (1963-1966)
Dionísio de Araújo Machado (1967-1970)
José Ribeiro de Souza (Zé Coletor) (1971-1972)
João Almeida Rocha (Dr. João) (1973-1976)
José Vieira Filho (1979-1981)
Artur de Oliveira Reis(Artur do Gavião) (1982-1988)
José Rodrigues dos Santos (Zezé Rocha) (1989-1992)
José Raymundo Ribeiro (Cabo Zé) (1993-1996)
Jerônimo de Oliveira Reis (1997-2002)
José Rodrigues dos Santos (Zezé Rocha) (2002-2008)
José Valmir Monteiro (2009-2012)
 
Economia
Em Lagarto, as atividades econômicas estão expressivamente pautadas nos produtos agrícolas, com destaque no cultivo de Tabaco e plantas cítricas. Na criação têm-se os rebanhos bovinos, eqüinos, ovinos, suínos; e os galináceos. A industrialização do Tabaco movimenta a economia do município em que mais da metade de sua produção é exportada para outros estados. Destaca-se ainda neste setor as indústrias de embalagens, concessionárias de veículos, fábricas de móveis, fábricas de velas, indústrias de produtos químicos e indústrias do gênero alimentício.

Há no comércio local, aproximadamente 500 lojas de artigos diversos, duas lojas do Gbarbosa, sendo um Hipermercado, e também um Supermercado do grupo Wal-Mart, tendo como bandeira o Todo Dia. Há diversas revendedoras de carro de passeio e máquinas agrícolas, bem como de peças.

Dispõe de 6 agências bancárias, dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste, Banese, Bradesco e Itaú.

No artesanato têm-se trabalhos em crochê, bordados em ponto-de-cruz e fabricação de vassouras de palha.

Afora essas atividades, há ainda uma feira livre. É uma das maiores do Estado de Sergipe e acontece toda segunda-feira, desde a madrugada até o entardecer. Todo o entorno da Praça Rosendo Ribeiro Filho é ocupado pela feira, que está subdividida em setores: frutas, verduras, carne, farinha, trocas, madeiras, roupas.

Há grandes empreendedores no Município, em que suas empresas geram milhares de empregos diretos e indiretos, e atua em vários setores da economia, da indústria à construção, do comércio à educação superior.

Estrutura urbana
Educação
As escolas de Lagarto incentivam muito a cultura e todo ano a Secretaria Municipal de Educação e Cultura organizam o tradicional Desfile Cívico-Militar de Lagarto, onde participam escolas da Rede Pública e Particular. As escolas que se destacam são: Públicas - Colégio Municipal Frei Cristóvão de Santo Hilário, Colégio Municipal Zezé Rocha, Colégio Estadual Professor Abelardo Romero Dantas (Polivalente), Escola Municipal Adelina Maria de Santana Souza, Colégio Estadual Silvio Romero (O mais antigo da cidade)Escola Estadual Dom Mário Rino Sivieri, Instituto Federal de Sergipe (Antiga UNED). Particulares - Colégio Nossa Senhora da Piedade (Colégio das Freiras), Colégio Cenecista Laudelino Freire, Grêmio Escolar Pequeno Príncipe, Fundação José Augusto Vieira, Colégio Mundial. O município dispõe de instituições de ensino superior: Faculdade José Augusto Vieira, Universidade Vale do Acaraú, Universidade Tiradentes (EAD), Instituto Federal de Sergipe e o Campus Avançado da Saúde da Universidade Federal de Sergipe. São características das escolas realizarem eventos e desfiles paralelos em diferentes épocas do ano: Carroceatas, Apresentações de Ballet, Projetos Pedagógicos, Palestras, entre outros.

Em 2008 a cidade de Lagarto recebeu o Prêmio EDUCAÇÃO NOTA 10, do Instituto Ayrton Senna, devido ao seu importante trabalho na educação, tanto na rede pública quanto particular.

 
Cultura e lazer
Folclore
Muitos grupos folclóricos fazem parte da cultura da cidade. Com o passar do tempo, muitos acabaram sendo esquecidos pela população local, entretanto, alguns continuam sendo preservados, tais como:

Chegança - Grupo de dança que retrata a luta entre reis católicos e turcos, pela reconquista do trono português
Parafusos - Esse grupo retrata a fuga dos escravos para quilombos. Ao passarem pelas vilas, eles roubavam anáguas de linho com babados das senhorinhas. Depois de serem libertados, desfilavam pelas ruas da cidade com as vestes. Segundo o historiador Adalberto Fonseca, o termo "Parafusos" foi criado pelo Padre Salomão Saraiva, que ao ver da igreja os escravos com saias exclamou que pareciam parafusos dançando. A expressão pegou e durante muitos anos, o desfile dos parafusos fazia parte do calendário folclórico da cidade.
Taieiras - Grupos de moças com vestes orientais que dançam em torno de um mastro enfeitado, ao som de música de zabumba, enquanto rapazes espadachins encenam lutas para proteger o casal real.
Cangaceiros- Grupos de homens vestidos como cangaceiros que relembram os atos de Lampião, visitando lojas e casas e pedindo comida e bebida, sob ameaça de agressão se não forem atendidos.
Zabumba- Grupo de homens que saem tocando instrumentos rúticos de percussão para animar festas de batizados, casamentos, e outras manifestações populares em troca de gorjetas, comida e bebida.
Quadrilhas - Grupo de rapazes, moças e até crianças que dançam músicas juninas sob o toque da sanfona. São apresentadas geralmente por escolas e atuam nos meses de junho/julho.
Silibrina - É uma comemoração antecipada da festa junina. Para alguns é até uma brincadeira eletrizante comemorando a chegada das festas juninas. É comemorada a mais de 80 anos e é organizada pelos fogueteiros :Zé Canuto, Dedé fogueteiro, Canuto filho, Sr. Defino , Hamilton Prata e Domingos da Colônia 13.
A silibrina é acompanhada pela banda de pífano e zabumbas do saudoso Zé Terreno e regada com muita cachaça.

Religião
No campo religioso, a Igreja Católica Apostólica Romana possui o maior rebanho de fiéis da cidade, sendo composta por 2 Paróquias: Nossa Senhora da Piedade (Centro), Santa Luzia (Pov. Colônia 13), e por duas Semi-Paróquias: Nossa Senhora de Fátima (Bairro Loiola) e Santa Luzia (Bairro Boa Vista). A cidade de Lagarto pertence faz parte da Diocese de Estância, a imagem da Padroeira é coroada canonicamente por ordem do Papa João Paulo II, havendo no Brasil apenas outras três coroadas de tal forma. A Paróquia Nossa Senhora da Piedade vem se destacando pelas inúmeras vocações sacerdotais, sendo terra natal de dois bispos Dom Dulcênio Fontes de Matos e Dom Frei João da Costa, cerca de 20 sacerdotes e 4 seminaristas. Destaca-se a presença de três ordens Religiosas na cidade: Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Bom Conselho e Pias Mestras Rosa Venerini, que atuam no campo da educação e as Religiosas Irmãs Camilianas que atuam no campo da saúde. Os eventos religiosos como as Vias Sacras, Novenas, Cristo Vive, Novenário de Nossa Senhora da Piedade. Bem como o Congresso da Catedral Batista e o Projeto Jonas, ambos organizados por Igrejas Cristãs Protestantes. Também merece destaque as Igrejas Batistas, Assembleia de Deus, Adventista, Presbiteriana e Universal do Reino de Deus. Além das religiões evangélicas também atuam no município a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e também tem as Testemunhas de Jeová que realizam o trabalho de visitar os lares das pessoas pregando o Reino de Deus.ok

Turismo
No município de Lagarto, há importantes pontos turísticos: Barragem Dionízio de Araújo Machado, Praça Dr. Filomeno Hora, Pedra da Arara, Cachoeira do Saboeiro, Fazenda Bonfim (Rio do Cristo), Fazenda Boa Vista da Cajazeira (por seu imponente casarão do século XIX em estilo colonial), Rios locais e o Santuário Mariano de Nossa Senhora da Piedade (onde existe uma imagem de La Pietá, que igual só há na Espanha, coroada com autorização de Sua Santidade o Papa João Paulo II). Há também festas anuais de renome estadual e nacional, são elas: Lagarto Folia, Silibrina(uma das mais tradicionais do Nordeste, com mais de 80 anos de tradição), Festival da Mandioca, Vaquejada de Lagarto, Exposição Estadual de Animais, Desfile Cívico-Militar, Festa da Padroeira, Forroreta, Madereta.

O turista, além de apreciar a beleza local, pode saborear deliciosos pratos da cozinha regional: arroz de galinha, sopa de mocotó, mugunzá, arroz doce, vatapá, maniçoba, caruru, beijú de tapioca, pé-de-moleque, malcasado, etc.

Filhos ilustres
Laudelino Freire - Advogado, jornalista, professor, político, crítico e filólogo, nasceu em Lagarto em 26 de janeiro de 1873, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 18 de junho de 1937.
Sílvio Romero - professor, escritor, jornalista, filósofo, grande valorizador da cultura popular, jurista, deixou enorme obra literária que influenciou a cultura nacional.
Aníbal Freire - Escritor e membro da Academia Brasileira de Letras.
Joel Silveira - Jornalista e escritor brasileiro.
Dionísio de Araújo Machado - Chefe Político, prefeito por dois mandatos e o único lagartense a ocupar o cargo de Governador do Estado de Sergipe.
Filomeno Hora - Juiz de Direito, advogado, assassinado em 8 de janeiro de 1902, na praça que atualmente leva seu nome.
Referências
↑ a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
↑ a b c Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
↑ Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
↑ Área Territorial Oficial (HTML). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE. Página visitada em 30 de novembro de 2010.
↑ Estimativas da População em 2009 (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de Agosto de 2010). Página visitada em 29 de Novembro de 2010.
 
LAGARTO, DE VILA À CIDADE DÁ O EXEMPLO *

Por Claudefranklin Monteiro Santos - DHI (UFS) e Patrícia dos Santos Silva Monteiro (SEED-SMEC-FJAV)

Durante anos, mistério é a palavra que melhor define a história desta auspiciosa cidade. No meio do caminho, uma pedra, um nome e uma identidade há muito perdida numa saga e tempo que já  ultrapassam os 300 anos de sua gente.A ocupação do território lagartense ocorre por volta da segunda metade do século XVII, enquadrando-se no movimento de expansão para oeste da Capitania de Sergipe  D'El Rei (território pertencente à Capitania da Bahia de Todos os Santos), promovido pela doação de sesmarias pelos  Capitães Donatários de então. A nova zona da terra sergipana seria utilizada para a criação de gado, daí nossa vocação para a pecuária. Esta penetração deu-se via rio Vaza-Barris, que corta o nosso município.

Em 1658, o novo território passou a ter a presença de um distrito militar, a fim de salvaguardá-lo de possíveis invasores, especialmente holandeses.  Anos  mais tarde, a 11 de novembro de 1679, torna-se Freguesia, sob a invocação de Nossa Senhora da Piedade, com um pároco para fazer às vezes espirituais à população circunvizinha.

Com uma economia, inicialmente sustentada  na criação de gado, a nova Freguesia já se destacava como uma das maiores produtoras de fumo da  região.

Atendendo exigência de Vossa Majestade, o Rei de Portugal, diante da necessidade de povoar o interior sergipano, o Governador Geral do Brasil, Dom João de Lancastro determinou, por Portaria ao Ouvidor Geral da Capitania de Sergipe D'El Rei,  Diogo Pacheco Pereira, no dia 20 de Outubro de 1697, a criação das Vilas de Itabaiana e Nossa Senhora da Piedade do Lagarto

A partir de então, composta de um território muito mais extenso que o atual, a Vila de Lagarto foi galgando passos cada vez mais largos, já firmando sua característica nata de ser uma  terra  progressista, apesar das intempéries que ia enfrentando, como epidemias e perdas territoriais, a exemplo de Riachão do Dantas.

Depois de longos anos de desenvolvimento, especialmente no setor agropecuarista, a Vila de Lagarto foi elevada à condição de Cidade por determinação da Lei Provincial de número 1.140 de 20 de abril de 1880.

Com José Cirilo de Cerqueira, um dos primeiros governantes de Lagarto, 1893, nossa cidade entra na era republicana brasileira, tendo como Governador do Estado de Sergipe, o Sr. Felisbelo Freire, primo de Laudelino Freire, um de nossos maiores expoentes no âmbito intelectual, juntamente com Sílvio Romero, que estaria completando, se vivo estivesse, 150 anos de vida.

Lagarto também conheceu o mandonismo de seus  coronéis, as agruras da Segunda Grande Guerra, enviando seus pracinhas via FEB - Força Expedicionária Brasileira;  e a marca de ferro da ditadura militar de 1964. Também teve importantes líderes políticos que marcaram época na história política sergipana. Nunca é demais lembrar, ainda no campo político, que a cidade, desde os anos 70 do século passado, vem enfrentando uma folclórica disputa partidária, inspirada em novela da Globo. Em choque, dois partidos: saramandaia e bole-bole. Página triste de nossa história, que há anos tem dividido famílias.

Não esquecendo, o campo religioso, Lagarto se destacou e se destaca pelas inúmeras vocações sacerdotais. Além disso, firmou-se na história espiritual e social, pela ação de enes Monsenhores: Daltro, Marinho, Juarez Santos  Prata e Mário Rino Sivieri, este último atual Bispo de Propriá

 Mas, certamente, nos últimos anos a cidade vem dando exemplo de uma educação promissora e transformadora, ancorada por um apoio incontestável à cultura lagartense. Incentivada pela novas exigências do mundo globalizado desse início de século, a cidade vem apresentando um bom índice de aproveitando intelectual e ocupacional.
Lagarto completa mais um ano de Emancipação Política e o desejo de toda a sua gente é que tenhamos tempos cada vez mais felizes, e possamos não só dá exemplo de educação e cultura, mas também de cidadania e humanidade.

* Texto originalmente publicado em 2001, por ocasião do Sesquicentenário de Nascimento de Sílvio Romero (folheto) e no mesmo ano, no Jornal Folha de Lagarto, aqui ligeiramente editado.
 
 
 
 
Sites de dominio público
Enviado por Maria José Araujo Rosa em 24/11/2011
Código do texto: T3354490
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre a autora
Maria José Araujo Rosa
Aracaju - Sergipe - Brasil
51 textos (7836 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/08/14 04:48)