Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UMA BREVE HISTÓRIA DE ISRAEL (DA ERA DOS JUÍZES AO CATIVEIRO DA BABILONIA)

CAPITULO 02: A ERA DOS JUÍZES
 
JOSUÉ:
 
       Com Josué no comando se iniciará uma época em Israel conhecida como a era dos juízes, muitos acabam valorizando a monarquia hebraica deixando os juízes de lado, mas eles foram responsáveis por grandes feitos, eles que conquistaram boa parte dos reinos da Palestina e delimitaram o território de Israel, resumindo, eles foram responsáveis pela formação do primeiro Estado de Israel.
       Josué foi responsável por guiar o povo dentro da terra prometida, com a sua ajuda e a de Deus eles tomaram a poderosa cidade de Jericó, que segundo o Guines Book é considerada a cidade mais antiga do mundo com mais de 3500 anos, depois de Jericó Josué e os israelitas foram conquistando toda a terra até que todo o território já estava estabelecido, Israel fazia fronteira a leste com o rio Eufrates, a oeste com o mar Mediterrâneo, ao norte com Tiro e ao sul com o Egito.
       Também foi delimitado o território de cada tribo de Israel que na época eram como se fossem os estados de hoje, porém Jerusalém ainda não pertencia aos judeus, ela se localizava na tribo de Judá, mas pertencia aos jebuzeus, era como se fosse um estado dentro de outro, o tabernaculo do Senhor e a Arca da Aliança ficaram na cidade de Siló, as tribos mais populosas eram as de Manasses e Efraim.
       Depois da morte de Josué o povo se entregou a idolatria e passaram a venerar Baal, um antigo deus fenício, ele era deus da natureza, porém quando Israel caia na idolatria ela era invadida e subjugada pelos seus inimigos entre eles os cananeus, os ferezeus entre muitos outros, então o povo se arrependia e se voltava para Deus, e Ele escolhia um juiz para liderar a expulsão destes povos.
       A organização política do território se dava da seguinte forma, cada cidade de Isael tinha um governante, da mesma forma que cada tribo tinha um chefe, e o território era governado por um juiz, na verdade era como se Deus fosse o rei de Israel, e o juiz era o intermediador que obedecia às ordens de Deus.
       
DÉBORA:

       E desses juízes Israel teve inclusive uma mulher que foi Débora, cujo nome significa "abelha", que junto com Baraque, o comandante das tropas israelitas, derrotou o poderoso exército cananeu liderado pelo general Sisera, se alguma Débora estiver lendo este texto, sinta-se orgulhosa, pois esta é uma grande referencia não só para os judeus como para muitos cristãos.
       

GIDEÃO:

       Outro juiz importante foram Gideão ou Jerubaal, que com um exército de apenas 300 homens derrotaram um numero incontável de soldados midianitas, que subjugavam e saqueavam os israelitas, uma curiosidade sobre este juiz, ele foi pai de aproximadamente 70 filhos.
       
JEFTÉ:
 
       Brincadeiras a parte, outro importante juiz foi Jefté, um valente guerreiro que era discriminado pelo povo por ser filho de uma prostituta, mas acabou se tornando o comandante de Israel e conteve uma invasão amonita ao território de Israel, então ele fez uma promessa para Deus, que quando chegasse a sua casa em Mispá, ele mataria a primeira pessoa que o viesse receber, só teve um problema, a primeira pessoa que veio receber ele foi sua filha, ai né fazer o que? Promessa é divida.
       
SANSÃO:
 
       Outro juiz de destaque, esse eu gosto, foi Sansão, nome cujo significado é "pequeno sol", ele era um narizeu da tribo de Dã, lembrando que os narizeus são os eleitos que fazem a promessa de nunca cortarem o cabelo, Sansão foi conhecido por sua incrível força, muitos ainda não sabem distinguir se sua história é realidade ou mito, por esse período começa a surgir um povo que viriam a ser os maiores inimigos de Israel, os filisteus, que moravam em Gaza, muita gente gosta de associar os filisteus ao povo palestino, gente, filisteu não tem nada a ver com palestino, pois eles eram de uma outra etnia que foi dizimada pelos impérios Sírio e Assírio, e palestino é árabe.
       A Sansão são atribuídos alguns feitos como a de matar sozinho um leão com as próprias mãos, o de derrotar sozinho um exército de filisteus com uma queixada de burro, lembrando que a palavra hebraica da qual o texto foi traduzido pode se referir tanto a um numero de mil, como pode ser entre 20 ou 30, mesmo assim ter matado 20 ou 30 homens sozinho, para a época já era um feito incrível.
       Mas o que Sansão tinha de força ele parece que não tinha muito de inteligência, muitas das vezes os filisteus armavam emboscadas para ele e ele caía, só que ele era muito forte, por isso sempre dava um jeito de escapar, mas sua queda não foi nem sua grande força, e sim sua paixão por Dalila, a bela filistéia, ela o pressionou para que este contasse o segredo de sua força, ele mentia, ela então assim testava, mas ele sempre dava um jeito de escapar, muitos até questionam, como Sansão não percebeu as armações de Dalila, pois foram muitas vezes que ele mentiu sobre o segredo de sua força e ela tentou assim capturar ele, mas isso eu mesmo posso responder, o que um homem não faz quando esta apaixonado?
       Dalila tinha sido subornada pelos filisteus para descobrir o segredo da força de Sansão, até que este não aguentando mais a encheção de saco, revelou que a sua força estava em seus cabelos, então enquanto ele dormia ela foi e lhe cortou as tranças, então Sansão foi capturado pelos filisteus, teve os olhos perfurados e foi levado como escravo, porém no templo do deus filisteu Dagon, Sansão foi levado para ser humilhado, no qual ele orou a Deus pedindo que este lhe restituísse a força para vingar seus olhos, então Sansão pediu para que ficasse ao lado de duas colunas do templo, onde sua força foi restituída e ele derrubou as colunas levando todo o templo a cair e matando mais gente em sua morte do que em toda a sua vida, Sansão pode ter tido todos os defeitos, mas uma coisa ninguém pode negar, morreu como herói, mais tarde sua família buscou seu corpo para sepultá-lo.

SAMUEL:

       Na verdade não foram só esses cinco juízes que existiram em Israel, Israel teve muitos outros juízes, mas é claro, se eu fosse falar de todos o titulo das obras não seria "UMA BREVE HISTÓRIA DE ISRAEL", que inclusive, já não esta sendo tão breve assim, Samuel marca a transição da era dos juízes para a monarquia hebraica, ele foi levado ainda criança para o tabernaculo de Deus em Siló, onde foi criado pelo sumo-sacerdote Eli, ainda menino Samuel ouviu a voz de Deus e teve a revelação de que Eli seria castigado por fazer vista grossa a imoralidade de seus filhos, que eram sacerdotes e não tomar nenhuma providencia.
       Mais tarde Samuel se tornou juiz de Israel, quando as tribos se juntaram para pedirem um rei, tanto Samuel quanto Deus não gostaram da proposta, pois Samuel disse que Deus havia sido desprezado como rei de Israel, mas mesmo assim Deus e Samuel atenderam o pedido do povo e então um fazendeiro benjamita chamado Saul foi escolhido para ser o governante de todo o povo de Israel, agora entraremos num novo período conhecido como a monarquia hebraica.


CAPITULO 03: A MONARQUIA HEBRAICA

SAUL:
     
     Saul foi escolhido para ser o primeiro rei de Israel e este escolheu Abner como o comandante do exército de Israel, por volta do ano 1138 a.C. ele foi orientado por Samuel sobre como governar o povo e dirigir a nação, porém tendo Saul descumprido as ordens de Deus, lhe foi negado que sua dinastia continuasse a governar Israel, Saul foi um exemplo de homens que foram e são corrompidos pelo poder.

A FAMOSA HISTÓRIA DE DAVI E GOLIAS:

       Então Samuel foi orientado a ungir outro rei e ungiu um jovem pastor de Judá chamado Davi, Davi é o famoso garoto que derrotou o gigante Golias, na verdade pelo o que se sabe, a Filisteia possuía homens de grande estatura, Golias não era o único, alguns cientistas dizem que Golias tinha um defeito na glândula hipófise o que talvez tenha causado o seu descontrolado crescimento, uma doença que nos dias de hoje é conhecida como gigantismo, pessoalmente eu discordo dessa afirmação, pois os portadores de gigantismo ficam muito suscetíveis até a simples quedas, e, no entanto pelo que se sabe esses gigantes eram guerreiros poderosos.
       Fugindo um pouco do assunto, a biologia ainda debate sobre a suposta existência de raças humanas na Terra, se caucasianos, negros, asiáticos entre outros possam ou não ser raças, já outros negam alegando que as diferenças são mínimas não podendo ser considerados como raças, pessoalmente eu acredito que não existem raças humanas na atualidade e sim que elas existiram no passado, talvez esses gigantes como Golias tenham sido representantes de uma raça que esteve presente na Terra, existem relatos de gigantes bem maiores do que Golias, e talvez esses gigantes tenham sido extintos de tanto serem usados como armas de guerra.
       O próprio rei Saul era um dos homens mais altos de Israel, talvez chegasse a ultrapassar os 2 metros de altura, mas não chegava à altura de Golias que tinha 2,90 metros, grandinho ele.
       Golias era um filisteu natural da cidade de Gate e desde então vinha fazendo ameaças ao povo de Israel e provocando o povo para que estes escolhessem um guerreiro capaz de derrotá-lo.
       Por esse período Davi já estava presente na corte de Saul, ele havia sido chamado devido a sua habilidade em tocar harpa, e acabou se tornando escudeiro do rei, Davi se ofereceu para matar Golias, porém levando consigo apenas sua fé, a sua funda e algumas pedras.
       Chegando ao campo de batalha após uma troca de provocações Davi girou sua funda e alvejou a cabeça de Golias, segundo a bíblia a pedra ficou encravada em sua cabeça, Golias caiu e Davi capturando a espada do gigante cortou-lhe a cabeça, muitos subestimam a funda, mas esquecem que no passado ela era uma arma poderosa, usada para a caça e até para a guerra.
       Hoje em dia para se provar algum feito se pega uma câmera ou uma filmadora e grava o momento da cena, naquela época como não existiam esses apetrechos, a forma de se provar que tinha matado um inimigo era cortando sua cabeça e mostrando-a a alguém, assim Davi fez e levou a cabeça de Golias para Saul, Davi então passa a ser um guerreiro de Israel se tornando mais tarde um dos comandantes.


DAVI:

       Então ai se inicia a história militar de Davi, a história da morte de Golias se espalhou em Israel como fogo em tempo seco e Davi se tornou muito famoso, algo que despertou a inveja de Saul, que procurou de todas as formas matá-lo, Davi devido a ajuda do filho de Saul que também era seu melhor amigo, Jonatas, conseguiu fugir onde formou um exército para lutar contra as investidas de Saul, Davi teve duas oportunidades para matar o rei, mas assim não fez dizendo que "ai daquele que se levantar contra um ungido do Senhor", e Saul numa batalha contra os filisteus, na qual seus filhos foram mortos, cometeu suicídio para não cair nas mãos de seus inimigos, Saul governou Israel por 42 anos.
       Davi lamentou a morte de Saul, então ele foi escolhido como rei de Israel e Joabe foi o comandante de suas tropas, no trono Davi conseguiu rechaçar os filisteus e os outros povos inimigos, ele então tomou Jerusalém dos jebuzeus e a nomeou como a capital do reino de Israel, onde o tabernaculo e a arca foram transferidos para lá, entre os acontecimentos de seu reinado, destaca-se o golpe de estado que sofreu pelo seu filho Absalão, mas Davi conseguiu retomar o trono, Davi teve três esposas e quinze concubinas, sendo Bate Seba a mais famosa de suas esposas e também a mãe de seu sucessor, o menino Salomão, Davi governou Israel por 40 anos.

SALOMÃO:

       O reinado de Salomão é conhecido na história como o apogeu do antigo reino de Israel, ele deu continuidade aos trabalhos de seu pai e construiu o templo de Jerusalém onde foi posta a Arca da Aliança, Salomão foi também considerado um dos homens mais sábios de sua época, chegando inclusive a receber a visita de reis distantes para obterem aconselhamentos, entre estas a famosa visita da rainha de Sabá, que hoje é a Etiópia, onde se surgiu a história de que Salomão lhe entregou a Arca da Aliança que os etíopes dizem guardar até hoje, gente, isso é lenda, talvez o que Salomão tenha entregado a rainha de Sabá fosse uma réplica e não a original, mais tarde veremos os fatos que sucedem a arca.
       Salomão também foi um dos homens mais ricos do mundo antigo se não o mais rico, socialmente seu reinado não foi muito bom já que Salomão construiu uma fortuna pessoal em torno de si chegando a construir mais um palácio em Jerusalém para uma de suas esposas, e ter feito reformas faraônicas em seu palácio, tendo com isso aumentado os impostos do povo, Salomão chegou a ter mais de 700 esposas e 300 concubinas precisando de um grande numero de eunucos, muitos sendo obrigados à castração forçada e nenhum homem gosta de ser castrado, eu pelo menos não gostaria.
       Devido ao gigantesco numero de esposas Salomão acabou se entregando a idolatria e adorando a deusa fenícia Astarot, deusa da agricultura e da fertilidade, Salomão morreu deixando ao seu sucessor Roboão uma imensa crise política que acabou resultando no cisma hebraico, Salomão governou por 40 anos.

CAPITULO 04: O CISMA HEBRAICO

       No reinado de Roboão, dez tribos de Israel se revoltaram contra a dinastia de Davi, e liderados por Jeroboão se emanciparam formando o reino de Israel, ou o reino do norte, no hebraico, reino de Tsafon, sem nenhuma resistência de Roboão, e as tribos de Benjamim e Judá permaneceram fiéis a dinastia de Davi e formaram o reino de Judá, também conhecido como reino do sul, ou reino de Daron no hebraico, agora falarei sobre cada reino a suas peculiaridades até seus respectivos cativeiros que não foram os mesmos.

REINO DE ISRAEL:

       O reino do norte continuou chamando Israel e teve Samaria como capital e Jeroboão como o primeiro governante, porém o povo continuava a ir para Jerusalém comemorar a festa da páscoa, Jeroboão temendo que o povo de Judá fizesse a cabeça dos israelitas para a unificação, construiu dois bezerros de ouro e obrigou o povo a adorá-los provocando com isso, a ira de Deus.
       Dos governantes de Israel nenhum dos reis fez o que Deus aprovava se entregando aos cultos de Baal e dos bezerros de ouro, Israel foi caracterizada por uma imensa desorganização política sofrendo uma sucessão de golpes de estados e chegando a ter mais de dez dinastias, esses golpes eram tão frequentes que Israel chegou a ter reis que governaram apenas alguns meses, Zinri mesmo só chegou a governar sete dias, o pior desses reis foi Acabe casado com Jezabel, sacerdotisa de Baal, que chegou a ordenar que seu marido matasse todos os adoradores de Deus, neste episódio podemos destacar a atuação do grande profeta Elias, que provou a Acabe que o Senhor era o único Deus e este foi perseguido por Jezabel, mais tarde seu discípulo Elizeu, também profeta deu continuidade aos trabalhos de Deus iniciados por Elias, é uma pena falar tão pouco desses dois grandes profetas que foram e são provas de fé para a humanidade.
       Acabe foi morto em batalha, seu filho Jorão assumiu o trono, mas este foi morto por uma flechada, num golpe liderado por Jeú, que arremessou Jezabel de cima de uma torre e seu corpo foi devorado por cães, no trono Jeú assim como todos os outros fez o que Deus reprova, dos reis de Israel o mais importante foi Jeroboão II que realizou algumas façanhas militares e governou por 41 anos, sendo o governante de Israel há ficar mais tempo no trono.
       Israel foi conquistada pelo império Assírio durante o ano de 721 a.C. pelo rei Sargão II, no reinado de Peca 135 anos antes de Juda ser conquistada pelo império babilônico, lembrando que Síria e Assíria não são o mesmo país, se localizando até em posições distintas.
       O império Assírio foi conhecido pela imensa crueldade aos povos dominados chegando a praticar desde o empalamento, onde eles atravessavam uma estaca na barriga do condenado e deixava-o exposto, agonizando uma morte lenta, até o ato de se jogar óleo quente em seus inimigos, muitos dos soldados do mundo antigo, quando eram informados da aproximação do império Assírio, desertavam e fugiam, a partir dai, da para imaginar o que os cativos israelenses sofreram quando foram levados como escravos para la.
 

REINO DE JUDÁ:
 

       Diferente de Israel, o reino de Judá apesar das imensas crises pelas quais passou, chegou a ser mais organizado politicamente, já que a dinastia de Davi permaneceu até a queda deste reino no ano de 586 a. C., sua capital continuou sendo Jerusalém, e diferente de Israel, Judá chegou a ter alguns reis que fizeram o que Deus aprova, e destes pode se destacar três grandes reis, são eles Asa, Ezequias e Josias, e até alguns fatos curiosos de reis que foram coroados ainda crianças, como Joás que foi coroado aos sete anos de idade e Josias que foi coroado aos oito anos.
       As relações de Judá e Israel nem sempre foram muito boas chegando a entrar em guerra algumas vezes, e até por isso surgiu o termo "judeu", referente aos moradores de Judá.
       Quando Israel foi dominada pela Assíria, Judá estava no sexto ano do reinado de Ezequias, então o rei assírio Senaquerib que ascendera ao trono no lugar de seu pai Sargão II, marchou contra Judá com um exercito de aproximadamente 180 mil homens, e é ai que surge um dos grandes profetas bíblicos chamado de Isaias, que antes mesmo de Giordano Bruno, já sabia que a Terra era esférica e profetizou a vinda de Cristo como o Messias 600 anos antes que acontecesse, o profeta Isaias visitou o palácio de Ezequias e profetizou a queda de Judá para o império Assírio, noticia que levou Ezequias ao desespero compulsivo, quando Isaias estava saindo do palácio, Deus o mandou voltar e dizer ao rei que ouviu o seu lamento, e graças a isso Judá não seria atacado por Senaquerib, e por isso atrasou o relógio solar como forma de mostrar que o tempo de Judá cair não havia chegado.
       Naquela noite enquanto o exército Assírio se preparava para iniciar o sitio a Jerusalém, veio uma praga e dizimou com os 180 mil soldados de Senaquerib, e suas barracas foram invadidas pelos leprosos, seja como for, se ouve ou não essa maldição historicamente não se sabe, o que se sabe é que os assírios não tomaram Judá, e o rei Senaquerib foi assassinado por seus filhos anos depois.
       Como se sabe nenhum império dura para sempre e depois da morte do rei assírio Assurbanipal em 627 a.C. rei responsável por conquistar o Egito e construir a biblioteca de Nínive, o império Assírio decaiu e perdeu seu esplendor e viu nascer, ou melhor, renascer outro império, o segundo império Babilônico, também chamado de Caldéia.
       Israel até então manteve boas relações com a Babilônia, relações que se iniciaram ainda no reinado de Ezequias, porém em Israel a adoração ao deus Baal, estava muito intensa, quando o neto de Ezequias, e filho do impiedoso rei Manasses ascendeu ao trono de Judá, seu nome era Josias, e como disse, ele assumiu o trono com apenas 8 anos de idade e governou por mais 31 anos, no governo de Josias, os livros sagrados do povo judeu que haviam sido perdidos a séculos, foram encontrados e lidos revelando todo o pecado do povo, com isso Josias realizou uma limpa em toda Judá, destruindo todos os altares de Baal que encontrou e os profanando queimando ossos humanos neles, em seu reinado Israel respirou mais aliviada em relação a uma invasão estrangeira, porém o Egito se levantou para guerrear contra Judá, e Josias foi morto pelas tropas do faraó Neco durante a batalha no vale do Megido.
       Seu filho Jeoaquim assumiu o trono e fez o que Deus reprovava, diferente de seu pai, ele se rebaixou ao Egito, firmando assim uma aliança em caso de uma intervenção militar da Babilônia, por essa época surgiu o profeta Jeremias e seu escriba Baruc, profetizando a queda de Israel para o império Babilônico, Jeremias chegou a ser preso diversas vezes, porém no ano de 597 a.C. a Babilônia governada então por Nabucodonosor II, subjugou o reino de Judá obrigando-o a cobrança de impostos anuais, destituiu o filho de Jeoaquim do trono e colocou Zedequias, irmão de Jeoaquim, porém Zedequias se voltou contra a Babilônia não pagando assim os devidos impostos, e no ano de 586 a. C. o reino de Judá caiu para Nabucodonosor e Jerusalém foi totalmente destruída sobrando apenas um amontoado de pedras, ha indícios de que o profeta Jeremias, junto com seus ajudantes, tenha retirado a Arca da Aliança do templo e escondido, para que esta não fosse um troféu de guerra para os caldeus.
       O rei Zedequias e seus filhos fugiram e foram capturados nas campinas de Jericó e então levados para a Babilônia, seus filhos foram mortos na sua frente por Nabucodonosor e ele teve os olhos perfurados, e então foi levado como escravo, junto com todo o povo de Israel.


AINDA TERÃO MAIS PUBLICAÇÕES, ESTEJAM ATENTOS
Enã Rezende
Enviado por Enã Rezende em 22/12/2011
Reeditado em 28/05/2013
Código do texto: T3401968
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Enã Rezende
Rondonópolis - Mato Grosso - Brasil, 22 anos
113 textos (134770 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/14 16:47)
Enã Rezende



Rádio Poética