Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CRITICANDO A TV

LOCAL
Nos jornais de TV que vão ao ar nos horários do meio-dia e à noite, com produção local, temos sido constantemente premiados com pérolas que não podemos deixar de registrar. Numa dessas, assim se pronunciou o entrevistado: "Só empresas de grande  porte  têm suporte para suportar o aporte de recursos. O telespectador achou a entrevista verdadeiramente insuportável....
Não raro, o entrevistador (a) não deixa margem para respostas, perguntando e respondendo ao mesmo tempo, levando o entrevistado a anuir: Sim. Não. Claro. Certo. Com certeza.
É uma lástima!....

REGIONAL
Em alguns programas esportivos e em transmissões de futebol, alguns locutores usam e abusam das mesmas palavras e das mesmas frases o jogo inteiro. Isso nos faz lembrar de quando a TV começou a transmitir futebol, com estilo diferenciado do Rádio. A imagem, por si só, já dá ao telespectador uma visão privilegiada da competição. Cabe ao locutor esclarecer nomes de jogadores e ao comentarista fazer análises técnicas e táticas da partida, dos jogadores e das equipes. Na TV Educativa da Bahia, falta a figura do ombudsman para melhorar o palavreado. Neste ponto a TV Bahia é bem mais cuidadosa.

NACIONAL
Na TV Globo, o narrador Galvão Bueno, cognominado de "papagaio" é um terror para os comentaristas da parte técnica e tática, bem como das arbitragens. Não é à toa que seu apelido é "papagaio". Fala pelos cotovelos e não deixa margem para seus colegas exercitarem o raciocínio. Torna a transmissão desinteressante e  enfadonha porque fala o tempo todo de coisas que nada têm a ver com a partida.
Outro chato de galocha é o Milton Neves, da Record. É uma barbaridade galista. Fala o tempo todo no Atlético Mineiro, no galo, uai...

FEBEAPÁ
"Falar cargas d´água", termo usual em passado recente, vai voltando ao cotidiano da nossa TV, numa fase de fazer corar os registros do FEBEAPÁ, de Sérgio Porto, o "Stanislau Ponte Preta" autor do livro "Festival de Besteiras que assola o país", em voga nos anos 1970. E haja muito saco para suportar tanto besteirol...
Ricardo De Benedictis
Enviado por Ricardo De Benedictis em 14/07/2005
Código do texto: T34026

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo De Benedictis
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil, 77 anos
1214 textos (272436 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 22:13)
Ricardo De Benedictis