Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O que dificulta a percepção da dependência química

O que mais dificulta um tratamento  ou a  busca de ajuda está no tempo de adicção e este tempo esta relacionado a vários fatores:

 O tipo de drogas consumida .
 As características das fazes de uso.
 A estrutura bio-psico-social do usuário.
 A faixa etária do usuário.
 A estrutura psicossocial da família.
 O preconceito social.
 A falta de informação sobre a dependência.

O tipo de drogas consumida.

Cada tipo de droga provoca uma reação no usuário e um grau de dependência, que pode ser mais lenta enquanto outras acontece com maior rapidez para ativa-la . Normalmente se começa com o consumo de álcool por vários fatores, um deles é que embora sabemos que o álcool é uma das drogas mais usadas ela se tornou uma droga social, isto é, alguém fazer seu uso não é estigmatizado como são as ilícitas. Além disto podemos perceber que o álcool é usado como blindagem para esconder o consumo de outras drogas.
Sabemos que o álcool provoca uma dependência mais lenta. Normalmente a maconha vem logo após o consumo de bebida, também uma outra droga lenta para provocar a dependência. Neste sentido retarda muito para que os usuários e a família perceba a instalação da doença.
È importante dizer também que os efeitos bio-social destas drogas demoram para surgirem o que pode levar o usuário a um longo tempo de manipulação.

As características das fazes de uso.
     
Em cada fase de consumo as drogas possuem características diferentes, isto é, dificilmente a família se dá conta de um consumo de drogas ilícitas No primeiro momento os usuários são ótimos artistas, estão vivendo a euforia e totalmente comprometidos emocionalmente com ela. É uma fase onde o usuário atinge seu maior grau de  manipulação. Estas características da fase tanto relacionado a questão social, isto é, a questão da ilegalidade das drogas, do preconceito social como também a dos benefícios emocionais proporcionado pelo uso, e dentro destes benefícios emocionais somando-se aos sociais levam a retardar a descoberta ou  admissão da dependência.

A estrutura bio-psico do usuário.

A instalação e a proporção da dependência está relacionada a estrutura biológica e psíquica e também  a estrutura da predisposição daquele que faz o uso, isto é, enquanto alguns podem torna-se dependentes logo nos primeiros contatos com as drogas, outros podem levar anos. Aqui também podemos ressaltar que quando o usuário tem sérios conflitos emocionais o benefícios pelo consumo torna-se visível o que leva as drogas como estimulador, antecipando a dependência.

A faixa etária do usuário.

Normalmente as pessoas iniciam nas drogas numa faixa etária entre 12, 16 anos, período este que certamente o adolescente está numa fase de descoberta, sendo assim, está em formação bio-psico-social e isto leva as famílias a não se darem conta do problema do uso de drogas. E por outro lado é comum muitos familiares admitirem o uso de drogas pelos seus filhos acreditando ser temporário, isto é, circunstancial inerente a idade, sendo assim minimizam o problema.  Neste sentido cria-se uma omissão. Esta o omissão pode estar relacionado a ns fatores, inclusive social

A estrutura psicossocial da família.

Tudo que é negativo o ser humano tem a tendência de não aceitar, não querer acreditar, rejeitar. Cada pessoa tem uma estrutura bio-psico-social, quando constrói uma família da mesma forma este conjunto de membros agregados também constrói uma estrutura psicossocial e dentro desta estrutura emocional é que ela enfrenta todos os desafios do cotidiano.
É comum nos tempos de hoje a família de uma maneira geral estarem envolvidos em varias atividades profissionais e sociais, diminuindo assim a atenção aos membros familiares. Há famílias que não se encontram, quando um chega o outro sai. Nos finais de semana que seria o momento de estarem juntos e fazerem programações de âmbito familiar cada um tem seus programas individuais, sociais, tudo isto propicia o retardamento da descoberta ou da busca de atenção nos membros familiares para este uso  das drogas, pois não existe contato entre eles

O preconceito social.

Aqui podemos refletir toda as informações que são repassadas a sociedade sobre este assunto, e certamente percebemos que as pessoas usuárias ainda é visto como algo profundamente negativo. Ainda não se consegue desassociar as drogas do usuário; não consegue distinguir que cada pessoa é um, cada caso é um caso pode-se varias os comportamentos de um para o outro, isto é, embora exista empatia entre aqueles que fazem uso de drogas em seus comportamentos isto não significa que o usuário de drogas é mal caráter, não tem personalidade, é um marginal ou outros tantos rótulos a eles qualificados.
Todo este preconceito leva tanto aqueles que fazem uso quanto seus familiares a não aceitarem ou buscarem ajuda. Estes preconceitos bloqueiam  o emocional criando vários tipos de mecanismos de defesa, mecanismos estes muitas vezes inconsciente  que impede ajuda.

A falta de informação sobre a dependência.

  Enfim a falta de informação sobre a dependência esta relacionado a todos os tópicos acima. Acredito que mesmo com a informação, mesmo com a conscientização ou todos os mecanismos que possam ser usados visando a prevenção, ainda assim, não estamos livres de erradicar a dependência química, porque afinal a drogas faz parte do Ser Humano, mas sem duvida quando as famílias, a sociedade e cada um buscar compreender melhor sua vida, trabalhar de forma mais efetiva as emoções, tende a conhecer e buscar alternativas para seus conflitos emocionais ou os benefícios proporcionado pelo uso de drogas poderá se enfrentar a questão das drogas com mais naturalidade.
Infelizmente é o que hoje ainda percebemos que esta realidade está distante. Existe ainda um grande desinteresse por parte da sociedade sobre este tema, isto é constatado pelo grande preconceito social existente e os mitos que ainda são manifestado pela sociedade em relação as drogas.

Finalizando este artigo, aqui podemos observar que ainda há muito que se caminhar e que todas estes tópicos comentados de maneira sintetizada  são grande obstáculos que dificultam a identificação, e a busca de ajuda ou mesmo a interrupção do uso, que para muitos certamente levarão a dependência química .
Ataíde Lemos
Enviado por Ataíde Lemos em 14/07/2005
Reeditado em 14/07/2005
Código do texto: T34081
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Ataíde Lemos
Ouro Fino - Minas Gerais - Brasil, 51 anos
5266 textos (1219133 leituras)
5 e-livros (11756 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:24)
Ataíde Lemos

Site do Escritor