CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

A Festa dos Horrores — Assassinatos e Estupros Coletivos

Prólogo

Luciano Pereira, que havia chegado recentemente do Rio de janeiro, estava aniversariando. Aconteceu a FESTA DOS HORRORES e Fernando de França Júnior, conhecido pelo apodo ou alcunha "Papinha", de 22 anos, confirmou que a festa era para comemorar o aniversário do irmão de Eduardo Pereira dos Santos.

Os homens, todos presentes à festa, sabiam que as mulheres seriam violadas. Essa delação espontânea foi confirmada pelo "Papinha" que NÃO NEGOU a participação dele no assalto simulado, mas negou participação no estupro das seis mulheres que foram violentadas.

Disse, ainda, o "Papinha": "... que na casa havia oito mulheres e somente duas: a mulher de Eduardo e a namorada de Luciano, não foram estupradas. Ele revelou que tudo foi planejado, a invasão, a separação dos homens das mulheres em quartos diferentes, as agressões, tudo tinha (SIC) sido combinado...". Complementou: "as meninas seriam o presente de aniversário".

Encerrando a versão dos fatos o criminoso Fernando (Papinha) complementou: "... que a professora Isabela Jussara Frazão Monteiro, de 27 anos, e a recepcionista Michelle Domingues da Silva, de 29 anos, foram mortas porque reconheceram os dois irmãos Eduardo e Luciano. Na hora em que eram estupradas, a venda caiu dos olhos de Michelle e como Isabela ouviu quando ela disse os nomes deles, elas foram mortas para não revelar os estupradores" (SIC).

MINHAS CONSIDERAÇÕES SOBRE ESSA FESTA DOS HORRORES

O estupro coletivo, seguido de dois assassinatos, ocorrido na noite do sábado (11/Fev/2012) e na madrugada do domingo passado (12/Fev/2012) na cidade de Queimadas, distante 18 quilômetros da cidade de Campina Grande/PB, chocou não apenas as cidades circunvizinhas, mas principalmente os habitantes de Queimadas, cujos moradores são gente simples e ordeira.

O bloco das "cabacinhas" não desfilará nesse carnaval porque o prefeito (Carlinhos de Tião) do Município de Queimadas já decidiu que não haverá carnaval. Não há clima depois do ocorrido. O vilipêndio das mulheres como um todo e morte de Isabela Jussara Frazão Monteiro, de 27 anos, e da recepcionista Michelle Domingues da Silva, de 29 anos deixou a cidade triste e de luto justificado.

Pelo que foi apurado pela polícia, tudo foi obra de um minucioso planejamento e os homens presentes na festa sabiam que as mulheres seriam estupradas. "Os estupros de duas mulheres que foram encontradas mortas após uma festa na madrugada do domingo (12/Fev/2012), no município de Queimadas, no Agreste paraibano, foram crimes planejados".

A declaração foi feita pela delegada de Homicídios de Campina Grande, Cassandra Duarte, durante entrevista coletiva às 12h (horário local) dessa segunda-feira (13/Fev/2012).

Ao lado de comandantes de Batalhões da Polícia Militar na região e outros delegados envolvidos na investigação, ela explicou como teriam agido os irmãos suspeitos de premeditar todos os crimes. Eles eram amigos das vítimas e foram presos no domingo à noite, quando acompanhavam o cortejo dos caixões delas para o cemitério.

CONCLUSÃO

Segundo Cassandra (Delegada), o crime foi arquitetado no sábado, quando os dois organizadores da festa convidaram uma das vítimas para o evento e se dirigiram a um mercado para comprar cordas e lacres do tipo ‘enforca-gato’, com o objetivo de amarrar as mulheres e forçar relações sexuais. A Polícia Civil investiga se os estupros teriam sido planejados como presente de aniversário para um dos irmãos.

A delegada ainda explicou que Michele Domingues da Silva, de 29 anos, e Isabela Pajussara Frazão Monteiro, de 27, eram amigas dos irmãos que organizaram a festa. “Michele inicialmente não era o alvo. Na verdade, eles queriam ter relações sexuais com Isabela e a irmã dela. Isabela foi a primeira a chegar na festa e de lá ficou ligando para a irmã e a amiga, Michele, que estavam na igreja”, informou Cassandra.

Ainda segundo a delegada, quando chegaram à casa as amigas foram amordaçadas, tiveram os braços amarrados e os olhos vendados. “Elas foram assassinadas porque, durante o ato sexual, Isabela se debateu muito e conseguiu identificar o ex-cunhado dela como um dos estupradores. Ela pediu por socorro, disse que estava vendo que o agressor era o amigo dela e acabou ‘selando’ sua morte”, declarou a investigadora.

Com base nos depoimentos dos presos, a delegada disse acreditar que todos os homens presentes na festa iriam violentar as mulheres. Nos corpos das mulheres foram encontrados sêmen e resíduos de pele nas unhas. A Polícia Civil vai solicitar a colheita de material genético de todos os presos para exames de DNA. No entanto, a delegada diz ter certeza de que pelo menos três deles chegaram a ter relações sexuais com as vítimas.

“É uma violência gratuita. Aqui não tem dívida, não tem droga, não tem relação de roubo, nem assalto. Apenas eles queriam elas duas, mas como elas os reconheceram acabaram sendo mortas” (SIC), disse Cassandra Duarte.

Com relação ao assalto que chegou a ser denunciado à Polícia Militar pelos irmãos, as testemunhas do caso declararam em depoimento que não passaram de uma simulação para que as mulheres fossem estupradas.

FORAGIDOS DO RIO DE JANEIRO

O delegado Fernando Zoccola, de Queimadas, apurou também que os irmãos apontados como mentores do crime seriam foragidos da Justiça do Rio de Janeiro. “Eles são criminosos perigosos. Vamos apurar os crimes ocorridos em Queimadas e possivelmente atribuídos à dupla. Eles são filhos de paraibanos, mas nascidos no Rio de Janeiro”, explicou.

Além de responder pelo estupro e morte das duas amigas, eles vão ser investigados por outros crimes. A Polícia Civil viu contradições com relação aos bens que eles declararam possuir, como carros importados e motocicletas de alto valor, o que não condiz com o trabalho dos irmãos em uma vacaria.

“Tanto o patrimônio surpreende, porque eles não têm renda fixa na cidade, quanto as armas e a quantidade de munições que eles dispõem”, disse Cassandra. Foram apreendidas uma pistola, uma arma de brinquedo, uma escopeta e 100 munições calibre .40.

ÚLTIMAS CONSIDERAÇÕES

Segundo a polícia existem 11 (onze) suspeitos de participarem dos crimes. Dependendo da forma como os já presos forem tratados (técnica do interrogatório utilizada) outros envolvidos vão surgir. Os seis adultos que já foram presos podem ser autuados por homicídio qualificado, roubo, sequestro, formação de quadrilha e porte ilegal de armas e munições.

Embora seja irrelevante informo que um dos integrantes do grupo suspeito de praticar o falso assalto é sobrinho do prefeito (Carlinhos de Tião) da cidade. A polícia disse que Diego do Rego "NÃO TEM PARTICIPAÇÃO nos estupros das mulheres". Ora, isso NÃO DEVERIA SER DITO antes do resultado dos exames laboratoriais (laudo técnico).

Eles foram autuados em flagrante e devem ser transferidos para o Complexo do Serrotão até terça-feira (14/Fev)). Claro que há pelo menos três meliantes de menoridade envolvidos (assim acredita a polícia) nessa farra inconsequente e FESTA DOS HORRORES.

Como bem podemos ver NÃO É SÓ nas grandes cidades iguais a São Paulo e Rio de Janeiro que acontecem casos escabrosos de estupros e assassinatos individuais ou coletivos. Com este texto NÃO DESEJO ASSOMBRAR os pais de famílias e a sociedade em geral. Faço uso do livre arbítrio e direito ao uso da palavra (manifestação de expressão) para informar e orientar.

Em virtude da morosidade da justiça, das leis benevolentes e capengas, do descontrole estatal sobre as drogas, da injusta e danosa desídia do poder público quando negligencia a garantia ao bem-estar e a segurança social...

DOU O MEU GRITO DE ALERTA AOS PAIS E RESPONSÁVEIS:

Conversem com seus filhos, filhas, familiares. Tenham a devida cautela com os amigos, pois o inimigo declarado estará sempre a uma distância confortável. Em virtude da banalização da violência, em face do total abandono da sociedade à própria sorte pelo Poder Público e tendo em vista a paz e o sossego tão almejado por todos... Mantenham-se sempre alertas!

Orientem os seus queridos dependentes: Evitem as drogas, os excessos, as madrugadas escuras, frias e chuvosas porque o mal está à solta e a maldade nas mentes dos criminosos, sem empecilhos para extravasarem suas sanhas, excede. João Cabral de Melo Neto, escrevendo sobre [A cana dos outros], disse: "Num cortador de cana o que se vê é a sanha de quem derruba um bosque" (SIC).

Por que posso orientar a todos? Afinal de contas, sem modéstia, tenho excesso de experiência e entendo ser válido o refrão: "Por falta de um grito, às vezes, se perde uma boiada". "Boiada", aqui, poderá ser o bem mais precioso: A Vida!

AOS JOVENS, RAPAZES E MOÇAS, MEU SINCERO E MAIS FORTE GRITO DE ALERTA:

"Em terra de cobra sapo experto também rasteja" ou ""Quem é arruela não faz contrato com parafuso" (Há versões mais obscenas desse refrão) ou "Quem sai na chuva quer se molhar" ou "Em festa onde há homens, mulheres e bebidas a possibilidade das emoções se salientarem é imensurável." (Esse refrão é de minha criação).

Enfim, faço minhas as palavras de CARLOS AUGUSTO AYRES DE FREITAS BRITTO - Ministro do STF - quando disse: "Não tenho metas ou objetivos a alcançar.Tenho princípios e na companhia deles nem me pergunto aonde vou chegar."
Wilson Muniz Pereira
Enviado por Wilson Muniz Pereira em 14/02/2012
Reeditado em 15/02/2012
Código do texto: T3498605
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Wilson Muniz Pereira
Campina Grande - Paraíba - Brasil
398 textos (252413 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/09/14 08:39)