Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Guerras Inúteis

       
Nossa longa história pela Terra neste peregrinar sofrido de guerras e extermínios vem-nos demonstrar que precisamos cultivar a vontade por uma vida nova para que a existência do homem deixe de ser um inferno, um vale de sofrimentos e lágrimas construído pelo ser humano. Ao olhar para trás sem uma perspectiva futura, alimentados que fomos por negros pensamentos e crenças absurdas, sentimo-nos devorados por nossa história e ignorância. A construção de um novo futuro torna-se inadiável para que possamos escapar desta temporada nas sombras.
Apesar dos reiterados fracassos, não temos sido, como sociedade ou indivíduos, capazes de tirar lições de nossos erros que se repetem e se sucedem no decorrer do tempo; e continuamos com as guerras e desastres, cruzadas suicidas.
A preservação do poder por pessoas, instituições e países justifica  agressões e crimes abomináveis. O homem não começou a pensar; é um temeroso de si, um Caim deserdado capaz de crueldades que os animais não conceberiam.
O ser humano precisa começar a pensar, produzir soluções luminosas para sair do labirinto em que se enredou através das épocas, becos-sem-saída construídos por ele mesmo: crenças, superstições, ignorância. Acreditar que alguém possa pensar por nós é submeter-se a mais cruel de todas as escravidões.
Por isso a guerra é inútil. Para deixar de guerrear consigo e os semelhantes será necessário reconhecer a incapacidade social e individual; o fracasso de nossas teorias e filosofias; o desvio espiritual ao se supor que acreditar possa substituir o saber.
Por detrás dos exércitos, os senhores das guerras refestelam-se na ambição desenfreada enquanto a juventude perece nos campos de batalha. Uma justiça verdadeira deveria levar esses senhores da morte às linhas-de-frente para sucumbir do veneno que eles instilaram nas mentes indefesas dos que morrem por causa nenhuma.
Diante de tanto ódio e matança, não há futuro para o ser humano na Terra. Será necessária uma grande reversão moral, intelectual e espiritual para salvar o pequeno planeta do mau destino. E as únicas armas que poderão salvá-los são a inteligência e sensibilidade, dons maiores herdados de épocas ancestrais e que se encontram hoje eclipsados pelo materialismo cego que tudo consome e destrói.

Nagib Anderáos Neto
www.nagibanderaos.com.br
Nagib Anderáos Neto
Enviado por Nagib Anderáos Neto em 22/07/2005
Reeditado em 17/07/2013
Código do texto: T36660
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autoria de Nagib Anderáos Neto www.nagibanderasos.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nagib Anderáos Neto
São Paulo - São Paulo - Brasil
366 textos (87992 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 08:53)
Nagib Anderáos Neto