Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
CALDAS NOVAS E RIO QUENTE - QUEM É QUEM


 
Foto 1 - Placa indicativa na cidade de Corumbaíba-GO.
 
Pensava que era somente eu que não entendia muito bem o que vem a ser as cidades de Caldas Novas e  Rio Quente, ambas situadas no estado de Goiás, a 170 km da capital, Goiânia. Sabia que a fama conquistada pelos dois lugares era devida à temperatura da água do rio, em torno de 38 graus Celsius. O tempo foi me dizendo que mais pessoas tinham (e têm) a mesma dúvida e que só conseguiam esclarecê-la quando iam até lá. Pois bem, foi o que aconteceu comigo e agora, em breves palavras, vou tentar explicar o que são. A informação dos custos é referente a maio de 2012.
 
Caldas Novas: O município é bem maior do que Rio Quente, contando com largas avenidas, bons bairros residenciais, bom comércio (os preços de roupas de banho são imbatíveis), trânsito um tanto carregado (ainda sem ser caótico) e muitos hotéis e pousadas para todos os gostos e bolsos, tanto no centro da cidade como em seu entorno. Existem alguns parques aquáticos, sendo o Di Roma o mais famoso deles (que inclui hotel), porém caríssimo e, segundo o que já li na internet, não vale aquilo que cobra. A cidade conta com bons restaurantes, sendo o Nonna Mia um dos mais famosos e que serve uma comida muito boa. O serviço é “à la carte” e vai desde pizza até os grelhados, passando pelas massas, oferecendo bom atendimento. Não deixe de conhecer a fonte de águas quentes, que fica em frente à Igreja Matriz, no centro. A criançada adora o local, pois a água “brota” do chão através de vários jatos. Se quiser sossego e não a agitação e o gigantismo de resorts e parques aquáticos, um local super agradável para se hospedar é a Pousada Cariama (diária somente com café da manhã), que possui apenas 10 apartamentos, equipados com TV, frigobar, ar condicionado, ventilador de teto e internet sem fio. Fica no centro da cidade e tem uma piscina de água quente relaxante, que conta com uma mini cascata. Há outra piscina para crianças, além de um pequeno ofurô. Há muito verde e pássaros em seu interior e, se der sorte, vai dar de cara com um dos micos que ali habitam. Recomendo para os dias de semana, pois nos finais de semana eles costumam alugar o local para grupos e aí não há vagas para simples mortais. O casal proprietário é muito simpático, apesar de não estar sempre presente, pois residem em Goiânia.


        
Foto 2 - Piscina da Pousada Cariama em Caldas Novas.


Em Caldas Novas fica o SESC Goiás, um local muito bonito e com grande área verde, além de um belo lago, local para caminhadas e um bom parque aquático (sem o gigantismo de outros). É possível hospedar-se por lá, mesmo não sendo associado. Eles pedem que a reserva seja feita com, pelo menos, três meses de antecedência. É permitida uma visita de 40 minutos ao complexo. O povo de Caldas Novas (assim como o de Rio Quente) é muito simpático e atencioso, aliás, uma característica do goiano.

 



Foto 3 - Vista do SESC Goiás em Caldas Novas.



 
Foto 4 - Entroncamento das rodovias GO-213 e GO-507, esta
última que leva à cidade de Rio Quente.

 
Rio Quente: A cidade em si não oferece nada de especial e é minúscula. São basicamente três ruas utilizáveis. Existem vários apart hotéis (flats) com excelente nível de acomodação. De qualquer lugar que se hospede em Rio Quente é possível ir caminhando ao Hot Park (veja abaixo) que fica a aproximadamente 500 metros.



Foto 5 - Entrada do Rio Quente Resorts (antiga Pousada do Rio
Quente) que abriga o parque aquático Hot Park. Neste ponto
termina a rodovia GO-507.



O apart-service Águas da Serra, no bairro Esplanada, possui dois blocos e é excelente, dando acesso ao rio Quente, que corre atrás do hotel. Normalmente a diária dá direito a café da manhã e jantar (ótimos), além de estacionamento (algumas vagas cobertas). Pesquise bem, pois não são todos os hotéis e pousadas de lá que dão acesso ao rio.

 

Foto 6 - Vista da entrada do apart-service Águas da Serra


 
        
Foto 7 - Trecho do rio Quente que passa atrás do hotel Águas da
Serra. O local mostrado na foto costuma ser disputadíssimo
devido a força da queda d'água, que proporciona uma relaxante
massagem. As cordas servem para os banhistas se segurarem.
                                     



Foto 8 - Vista do rio Quente passando atrás do hotel. Ele é raso
e seguro em toda a extensão que fica dentro dos limites do hotel.


Já o Camping Esplanada, permite que se passe lá o dia inteiro (sem necessidade de acampar), e a compra do ingresso dá direito à entrada do veículo. Dentro do camping corre o rio Quente, a maior atração do local, onde são permitidos banhos. Vale a pena conhecer e cair no rio. Se não tiver comida, não se preocupe. Em frente ao camping há o restaurante Sabor da Roça, que serve uma comida a quilo honestíssima, além de um papo agradável com a proprietária, Dona Sebastiana.



Foto 9 - Vista do Camping Esplanada. Este da foto é o Rio Quente
em seu estado natural, com a temperatura média de 38 graus Célsius.





Foto 10 - Vista do restaurante Sabor da Roça que oferece uma
saborosa comida a quilo. Ao fundo, a entrada do camping.


A maior atração de toda a região, o famoso Hot Park, fica localizado neste município, que dista aproximadamente 27 quilômetros de Caldas Novas, através da GO-213 (que vai até Morrinhos-GO) e da GO-507, que sai da GO-213 e termina na portaria do Hot Park. Ambas estão em bom estado. Na GO-213 há um posto da Polícia Rodoviária e a fiscalização ali é muito rigorosa. O Hot Park é o local mais conhecido, recebendo diariamente uma infinidade de visitantes. Evite finais de semana, pois aquilo ferve. Tudo lá é caro, bem caro mesmo. A entrada simples custa R$ 98,00 e dá direito ao uso de algumas atrações. Porém, a visita ao “Bird Land” (que tem convênio com o IBAMA), onde há grande quantidade de aves e outros animais, custa R$ 32,00 por pessoa, e o estacionamento custa mais R$ 22,00 (o dia inteiro). Além disso, há o almoço ao custo médio de R$ 30,00 por pessoa. Uma lata de cerveja custa R$ 6,00. Como citei logo no início, estes dados são de maio de 2012. Por incrível que pareça, o Hot Park não tem acesso ao rio, a não ser que se pague para realizar o mergulho (de superfície ou de profundidade), acompanhado por um instrutor. Lá dentro as opções são somente nos lugares artificiais, o que não deixa de ser excelente. Há opção de compra de um ingresso diferenciado, onde já está incluído o estacionamento, o almoço, o uso do guarda-volumes, o mergulho no rio, os traslados nos carrinhos que servem ao local e a entrada no Parque das Fontes, que normalmente é exclusivo aos hóspedes do Resort. O ingresso comum não dá direito ao Parque das Fontes, que tem várias piscinas, bares molhados, cascatas para banhos (disputadíssimas) e dois locais que eles dizem ser as nascentes do rio Quente. Só que não é bem assim, pois a nascente do rio fica na serra onde não se tem acesso.



Foto 11 - Cascatas de águas quentes.

Verifique no guichê qual a melhor opção para você. Ao entrar você recebe um crachá para o registro de tudo o que consumir lá dentro. O acerto é feito na saída. O parque funciona de 9:00 às 17:00 horas todos os dias da semana. Acima de 60 anos, paga-se meia entrada. Na opinião de muitos (e na minha também), o lugar mais agradável e diferente do Hot Park é a Praia do Cerrado, um imenso lago onde há a formação de ondas artificiais. No local existe areia de praia e um restaurante com uma comida muito boa. Há ainda os tobogãs (abertos e fechados), escorregadores e passeios de bóia. Os bares molhados sempre são opções agradáveis para saborear-se um aperitivo. É dentro do Hot Park que fica o Rio Quente Resorts (antiga Pousada do Rio Quente), mas não cheguei a verificar o preço das diárias e nem se são completas ou apenas com o café da manhã.



Foto 12 - Praia do Cerrado com suas ondas artificiais.



Foto 13 - Tobogã recém inaugurado, visto da praia do Cerrado.
Parte dele é aberto e parte totalmente fechado. Quem sofre de claustrofobia não deve se aventurar nesse tipo de brinquedo.



Foto 14 - Passeios de boia, que são gratuitas.



Foto 15 - Bar molhado, sempre uma atração.



 Conclusão: O que fazer e o que conhecer nas duas cidades vai depender muito do seu meio de transporte. De carro próprio fica-se à vontade para locomoção. Para quem vai de avião e desce em Goiânia, os táxis cobram, em média, R$ 250,00 para Caldas Novas ou Rio Quente. Sem carro e se estiver hospedado em Caldas Novas e quiser ir a Rio Quente (ou vice-versa) há a opção dos ônibus intermunicipais da Viação Paraúna (do tipo urbano) que param em frente ao Hot Park. Ou ir de táxi. Se for de excursão, logicamente irá ficar na dependência da programação pré-estabelecida.
 
Hospedar-se em Caldas Novas ou em Rio Quente? Se estiver interessado apenas em conhecer o Hot Park, a hospedagem em Rio Quente é a mais recomendada. Se quiser andar por locais diferentes e com mais opções além das águas termais, então a opção seria Caldas Novas, que tem lugares interessantes para se conhecer, como o Jardim Japonês – onde fica a segunda casa mais antiga de Caldas Novas –, a Serra de Caldas Novas, a fonte de água quente, as feiras gastronômicas e de artesanato, o SESC e o comércio que é bem diversificado. Independentemente de onde você ficar não deixe de dar um mergulho nas águas naturais do rio Quente. Ir até lá e não mergulhar no rio sentindo a temperatura acolhedora de suas águas, a pureza do seu leito de pedras e areia e os pequeninos peixes mordiscando você, é como ir a Roma e não ver o Papa.



Foto 16 - Segunda casa mais antiga de Caldas Novas localizada
dentro do Recanto Japonês e parcialmente encoberta pela
frondosa gameleira.


Optando por uma ou por outra, certamente você sairá de lá com a sensação de “dever cumprido”, pois são locais extremamente simpáticos e que irradiam uma energia sem igual, estando provado cientificamente que suas águas quentes têm mesmo propriedades medicinais. Entre os benefícios comprovados dos banhos em águas termais, segundo médicos, estão o auxílio no tratamento de asma e bronquite crônica, a diminuição da pressão arterial, a melhora da digestão, o aumento da diurese e a dissolução de cálculos renais.
 
Para quem vai de carro, partindo de São Paulo, as estradas estão muito boas. O roteiro é pela Via Anhanguera (SP 330) até a divisa de estados SP-MG, rodovia que tem 10 pedágios a um custo total de R$ 66,30 (paga-se nos dois sentidos). Depois, segue-se pela BR-050 (que é continuação automática da Anhanguera) até Uberlândia-MG onde se entra no anel viário que contorna a cidade (siga sempre no sentido de Brasília), caindo novamente na BR-050 até Araguari-MG (até aqui é tudo em pista dupla). De Araguari em diante a pista é simples através das rodovias MG-223, MG-413 e GO-139, que estão em boas condições. Não há nenhum pedágio nas rodovias mineiras e goianas. De Santos, de onde saí, até o centro de Caldas Novas são 857 quilômetros, cumpridos em dois dias, com uma parada para pernoite em Uberaba-MG, distante 565 quilômetros de Santos.
 
Bom passeio!
 

Fotos de Arnaldo Agria Huss.


 
******
 
Arnaldo Agria Huss
Enviado por Arnaldo Agria Huss em 17/06/2012
Código do texto: T3729686
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Texto de autoria de Arnaldo Agria Huss). Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Arnaldo Agria Huss
Santos - São Paulo - Brasil, 65 anos
397 textos (131789 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/14 20:53)
Arnaldo Agria Huss



Rádio Poética