CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

A Atuação do pedagogo na área de treinamento e desenvolvimento das empresas.

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

Diego Rodrigues Silva

diegors57@hotmail.com
















Titulo: A Atuação do pedagogo na área de treinamento e desenvolvimento das empresas.



 São Paulo
                                                            2012 Diego Rodrigues Silva

diegors57@hotmail.com



















Titulo: A Atuação do pedagogo na área de treinamento e desenvolvimento das empresas.



Artigo apresentado ao Programa de Pós-graduação do Centro Universitário Nove de Julho - UNINOVE como requisito para a obtenção do título de Especialista em Recursos Humanos

Orientadora: Prof. Ms. Thaís Ettinger





São Paulo
2012

RESUMO
O Investimento no capital humano e na qualificação profissional dos funcionários é um fator necessário e indispensável para o crescimento de qualquer organização. O pedagogo é um profissional especialista do ensino e em elaborar projetos para crescimento educacional, antes inserido somente no ambiente escolar esse profissional vem ganhando o ambiente empresarial com sua didática diferenciada e planejada. No presente artigo é destacado como o pedagogo pode colaborar com o setor de treinamento e desenvolvimento atuando na sala de aula com propostas diversificadas e dinâmicas que visam melhorar o desempenho do funcionário, sua autoestima e motivação dentro da empresa, também fora da sala de aula no trabalho em projetos de desenvolvimento com o departamento de recursos humanos, com sua experiência contribuir em qualidade a esse setor e ajudar no crescimento dos colaboradores e da organização como um todo.

Palavras-Chave: Pedagogo, Recursos Humanos, Treinamento e Desenvolvimento.


ABSTRACT
Investment in human capital and professional skills of employees is a necessary and indispensable for the growth of any organization. The teacher is a specialist in education and develop projects for educational growth, inserted just before the school environment has been gaining this professional business environment with its planned and differentiated teaching. In this paper we highlighted how the teacher can collaborate with industry training and development working in the classroom with diverse and dynamic proposals to improve employee performance, self-esteem and motivation within the company, also outside the classroom in work on development projects with the human resources department, with his experience to give quality to this sector and help the growth of employees and the organization as a whole.

Keywords: Educator, Human Resources, Training and Development





1. INTRODUÇÃO

Com o avanço da tecnologia e a competitividade entre as empresas, o setor de treinamento e desenvolvimento de recursos humanos passou a ter maior importância, antes visto como uma função rotineira e burocrática dentro da organização, esse com o aumento da globalização passa a ter uma função estratégica no mercado de trabalho, é de extrema importância para a empresa ter em sua equipe de trabalho os melhores, por isso a necessidade de investimento na busca por profissionais que possam exercer essa função usando a sua didática aliada aos recursos tecnológicos que o mundo moderno propicia.
A empresa se caracteriza como um local de aprendizado e desenvolvimento individual e coletivo das pessoas, sempre foi preocupação das organizações o seu crescimento dentro do ramo de atividade que esta se ocupa, bem como o crescimento de seus colaboradores na organização, para se mantiver atualizada e competitiva no mercado de trabalho a organização deve investir em sua mão de obra, possibitando qualificação e condições de crescimento dentro da organização (RIBEIRO, 2010).
O pedagogo pode se assim dizer é o especialista em educação, profissional que em sua formação tem como objetivo principal o desenvolvimento cognitivo de crianças e adultos auxilio no processo de sua formação e moldes de seu comportamento. O perfil da pedagogia sempre foi embasado em estruturar planejamentos teóricos e aplicar na prática, utilizando uma didática voltada para a aquisição do conhecimento por parte dos alunos, a facilidade do pedagogo em realizar projetos educacionais vai de encontro com a necessidade das empresas que sempre se preocuparam com a formação e desenvolvimento de seus colaboradores, assim sendo o pedagogo pode realizar as suas atividades fora do ambiente escolar, entrando no ambiente do trabalho mantendo o seu objetivo do ensino e desenvolvimento de competências por parte das pessoas (HOLTZ 2006).
Segundo Ribeiro (2010), a atuação do pedagogo dentro da empresa é uma atividade nova que vem ganhando força com a necessidade de aperfeiçoar a formação dos funcionários e fortalecer o departamento de recursos humanos da empresa. Dentro desse contexto o pedagogo atua como peça fundamental, sendo ser pensante dentro da organização na busca de estrategias e propostas que modifiquem o cenário em que se encontra a operação, possibilitando com suas ações o retorno do investimento dado pela empresa.
Entendendo a nova função do pedagogo atuando dentro da empresa como um novo profissional do setor de treinamento e desenvolvimento que auxilia o departamento de recursos humanos, esse trabalho visa identificar se existem diferenças no trabalho executado do pedagogo para o instrutor que de treinamento e desenvolvimento, através da metodologia e didática de trabalho executada por ambos e como esse trabalho influencia no crescimento da organização que esses trabalham.


2. DESENVOLVIMENTO TEÓRICO

A importância do pedagogo vem crescendo nos últimos anos, seu trabalho antes realizado somente nas classes de aula ganha espaço nas empresas e em seus mais diversos campos de atuações. Para entender o papel desse profissional nos recursos humanos e como esse colabora com o treinamento e desenvolvimento área estratégica e de extrema importância para instituições, este artigo visa tratar da didática de trabalho usada por esse profissional em sua rotina, as atividades de treinamento que são planejadas, entender como esse profissional se relaciona com o recursos humanos e com suas demais áreas, jogos pedagógicos e como são usados para o desenvolvimento nas empresas, além das ferramentas que são utilizadas para se avaliar nos tempos atuais.

2.1 O Papel do pedagogo no treinamento e desenvolvimento
O Pedagogo tem em sua origem a formação voltada para educação, atuando em espaços escolares na formação da base, ministrando o aprendizado de crianças e jovens que estão iniciando a sua vida escolar. Nesse sentido Holtz (2006) considera o pedagogo especialista da educação, sendo que esta preparado para atuar na empresa por ser um espaço educativo no qual se busca a todo o momento o desenvolvimento das competências exigidas pelos seus cargos e a aprendizagem contínua que é pertinente a todos.
Segundo Ribeiro (2010) o trabalho do pedagogo dentro da empresa deve ser criativo, esse deve se valer da sua experiência de sala de aula, levar propostas que modifiquem o ambiente de aprendizado da organização, estruturar o seu planejamento, estabelecer metas de melhorias continuas além de auxiliar na vida profissional do colaborador, contribuindo com o lado motivacional que o seu trabalho pode fazer. Nesse sentindo o pedagogo atua como peça fundamental no setor de recursos humanos corroborando sua formação educacional e facilidade no relacionamento com as pessoas com as necessidades da empresa em desenvolver os seus colaboradores.
O Trabalho de recursos humanos é desgastante, as pessoas são diferentes, cada uma tem sua metas, objetivos, preocupações e suas limitações, segundo Ribeiro (2010) o pedagogo deve canalizar o que esta se passando em seu grupo e realizar um trabalho voltado para a motivação, suas proposta deve ser positiva e dinâmica, sendo que a todo momento   o  objetivo é sanar as dificuldades que aquele grupo esta enfrentando na sua rotina de trabalho.
O Valor que cada organização tem é o seu capital humano é ele que vai direcionar o crescimento da empresa a longo prazo, é de extrema importância no mundo competitivo e globalizado de hoje investir nesse capital humano, preparar, aperfeiçoar e dar condições para que esse colaborador acompanhe essas mudanças do mercado atual, esteja preparado e atualizado para competir no nível que o mercado exige. Catharino (2002) defende que o trabalhador deve ter a sua disposição ferramentas de capacitação fornecida pela empresa para a sua evolução, é dever da organização estar atenta às tendências que o mercado aponta quanto mais o profissional ter acesso ao conhecimento maior sera o domínio das ferramentas que a empresa disponibilizar. Neste sentido é dever do pedagogo se preparar, pesquisar, investir em sua formação, estar atento ao que acontece no mercado e interagir com os recursos humanos, quanto maior for o investimento em si mais preparado estará para ministrar o treinamento e colaborar com a empresa com os objetivos da organização.
A Prática Pedagógica de treinamento está em constante evolução, ela segue as tendências que o mercado necessita, durante muito tempo pode-se dizer que essa prática consistia na linha da pedagogia tecnicista na qual o treinamento estava voltado apenas para o conteúdo em si, preparar o individuo para o que ele tem que fazer, não existia a preocupação com sua educação e condições para que esse pudesse crescer nesse ambiente de trabalho, Libâneo (1990) completa este raciocínio mostrando que o foco do treinamento e desenvolvimento não era a estratégia para crescimento no mercado competitivo e sim o trabalho voltado para a produção no qual não se podia desperdiçar tempo com projetos.
O Pedagogo que trabalha na empresa deve interagir com o treinando, uma postura fria, mecânica e sem relacionamento tende a não criar empatia e dificultar o processo de aprendizagem do funcionário. Nesse sentido Freire (2005) destaca que o Pedagogo deve se valer de sua experiência e levar para a empresa exemplos do cotidiano que façam o funcionário refletir sobre o que esta sendo passado, um treinamento meramente com o enfoque informativo não provoca aprendizado no aluno, pelo contrario em muitos casos apenas faz a memorização do conteúdo que esta sendo passado. Essa forma de atuação ideológica defendida por Paulo Freire começou a se disseminar nas escolas através dos pedagogos e vem ganhando espaço nas empresas no qual é preciso ter um funcionário que pense e interaja com o que esta sendo passado, nesse sentindo segundo Freire crianças e adultos se parecem, para ele é preciso vivenciar o aprendizado, sendo assim é dever do pedagogo criar condições para esse ensino, levando em consideração o ambiente que esta é preciso um planejamento adequado para a realização dessas práticas.
De acordo com Almeida (2006) O pedagogo deve manter as suas convicções, seu pensamento e sua autonomia, não burocratizar seu trabalho por decisões ultrapassadas ou fora da realidade, que a empresa venha a adotar, não se pode mudar a forma de atuar por vontade da organização, deve-se manter sua origem e acreditar naquilo que esta fazendo e ter como objetivo o desenvolvimento cognitivo do profissional aluno.
Na organização o pedagogo age como um facilitador, ele usa de uma vasta estratégia adquirida de sua experiência para chegar a um determinado objetivo com o treinando, no entanto por mais que esse profissional tenha a sua formação na escola, não se pode confundir escola com empresa, embora sejam espaços educativos ambos tem objetivos diferentes, o pedagogo na empresa deve usar sim de sua experiência da escola. A função do pedagogo na empresa não cabe só a ensinar e passar conteúdos, mas também observar habilidades e potencialidades que podem ser usadas pela organização, orientando o colaborador no desenvolvimento de suas potencialidades (AMARAL 2005).
O pedagogo que direcionar a sua carreira para a empresa deve sim levar sua prática escolar para o mundo corporativo, porém deve estar preparado para as adversidades que existem no caminho, escola e empresa são ambientes distintos com finalidades diferentes, é preciso estar preparado para possíveis resistências que possam ocorrer. Segundo Almeida, (2006) as empresas ainda estão se adaptando a esse novo profissional nos recursos humanos, por ser uma atividade recente pode ocorrer resistência por parte da equipe de trabalho que considera o pedagogo como formado para agir apenas na escola, isso ocorre também por parte da própria organização que não tem a tradição de ter o pedagogo agindo em sua equipe. A empresa deve preparar o seu ambiente para a realização do trabalho pedagógico, ter o pedagogo em sua equipe sem lhe fornecer respaldo estrutura e possibilidades de atuação tornara o investimento realizado no treinamento um erro e sem possibilidades de avanço.
A atividade dentro de uma organização vai além de aplicar um simples treinamento ou programa de treinamento, o pedagogo dentro de sua experiência com educação pode ajudar o departamento de recursos humanos na estratégia de projetos que busquem avanços no desenvolvimento dos seus colaboradores, sendo assim o trabalho do pedagogo dentro da organização poderá ser feito de forma externa na elaboração de projetos e interna com execução desses projetos nas atividades de treinamento (RIBEIRO, 2006).
2.2 Didática e planejamento do trabalho na empresa
Todo o Trabalho por mais simples que venha a ser exige por parte do profissional planejamento, é preciso preparação adequada para passar o conteúdo que foi escolhido. Segundo Luckesi (1994) através da didática o professor transforma todo o aporte teórico que estudou em ações práticas que levam o educando a obter o conhecimento necessário para o seu desenvolvimento.
Segundo Maia e Scheibel, (2009) o professor deve em sua prática considerar todos os aspectos que acontecem dentro e fora do ambiente, o ensino não começa e não termina na sala de aula, o professor na elaboração de seu planejamento deve pensar na realidade do profissional e como ele ira absorver o conteúdo que foi preparado, deve criar formas de atrai-lo, facilitando a assimilação daquilo que esta sendo passado.
Holtz (2006) Coloca que o ensino na empresa pode ser ministrado de duas formas, a primeira de forma individual e a segunda de maneira coletiva, sendo que o ensino coletivo poderá acarretar problemas no que diz respeito à assimilação do aluno no conteúdo dado, segundo a autora é imprescindível que durante as atividades práticas o professor se coloque a disposição dos alunos, mostrando interesse pelo colaborador não o deixando se desmotivar por não acompanhar os demais, por isso a postura de um pedagogo na empresa não pode ser fria e distante, o profissional deve ter o conforto de saber que ali tem alguém do seu lado para tirar as suas duvidas.
A didática executada pelo pedagogo na sala de aula deve ser adaptada na empresa, segundo Ribeiro (2010) o pedagogo deve sim usar a sua criatividade na preparação do treinamento, deve se ter o cuidado de não tornar esse treinamento utópico e por vezes fugir do objetivo principal do seu planejamento e necessidade da empresa.
Na execução de Planejamento é preciso observar todas as variáveis que podem prejudicar o desempenho e frear o trabalho, o profissional deve ter claramente estabelecidos os objetivos do projeto, por mais que possa parecer planejar treinamento dentro de uma organização é diferente do planejamento escolar, em primeiro lugar a empresa precisa de resultados geralmente em curto prazo. Ao chegar a uma empresa nova o pedagogo deve ter o cuidado na preparação do seu planejamento, pensar na cultura organizacional daquele lugar e como é a rotina dos colaboradores, é preciso identificar e levantar itens que precisam ser trabalhados com os trabalhadores, entender o clima do local e estabelecer metas a fim de melhorar a empresa, se possível pesquisar o histórico da empresa antes e observar na prática de seu dia a dia como os colaboradores absorvem as mudanças que ocorrem na organização, uma preparação teórica adequada por parte do pedagogo facilitará a execução de seu trabalho, além de ajudar na metodologia que for escolhida para passar ao colaborador no treinamento (RIBEIRO, 2010).
O trabalho pedagógico visa desenvolver no colaborador habilidades dentro e fora do ambiente de trabalho, segundo Markert (2000) as mudanças ocorridas na gestão do conhecimento nos últimos anos nas empresas propiciou ao trabalhador oportunidades de crescimento, o pedagogo deve acompanhar essa tendência e preparar o seu material na busca de desenvolver todas as habilidades do colaborador, as organizações querem ter em sua equipe de trabalho profissionais por completo que saibam valorizar as oportunidades que são colocadas para eles.
2.3 Atividades de Treinamento
O departamento de Treinamento e desenvolvimento é uma área fundamental para as pretensões e objetivos estratégicos de uma empresa, De acordo com Marras (2001) o treinamento dentro de uma organização funciona como ferramenta de atualização e ganho de tempo, a empresa usa de seus recursos para que o colaborador não fique prejudicado ou desatualizado com as mudanças que ocorrem de forma acelerada no mundo globalizado. Nessa mesma linha de raciocínio Robbins (2002) complementa que o treinamento é importante tanto para a empresa que tem o seu funcionário atualizado como para o funcionário que pode se motivar com as ações ocorridas no treinamento a buscar por si próprio maneiras de se desenvolver dentro de sua área de trabalho.
O Treinamento na era da tecnologia se tornou um fator indispensável para qualquer organização, à competitividade do mercado de hoje esta muito acirrada e uma empresa consegue estar à frente de sua concorrente por detalhes, a organização que tiver dentro de sua área de recursos humanos estrutura de treinamento e desenvolvimento, mão de obra qualificada e material tecnológico possibilitará para o seu colaborador condições de crescimento e domínio daquilo que foi planejado (ROBBINS, 2001).
Assim como na educação de base treinamento nas empresas também é investimento, aplicar programas de treinamento na empresa seja ele de curto ou médio prazo exige preparo e disciplina, é preciso estar pronto e saber o que vai ser passado, além de responder as variáveis de duvidas e questionamentos que possam surgir. Ribeiro (2010) assinala que o pedagogo deve usar da tecnologia que existe em sua prática pedagógica, mas que isso seja mais um recurso e não o único material de apoio é importante manter o contato humano com os funcionários, o pedagogo age como ouvinte dentro da atividade de treinamento, é a porta voz da empresa e mensageiro das ações que os colaboradores trazem durante a rotina do trabalho.
A execução do treinamento pelo pedagogo acarreta maior pesquisa em relação à organização, é dever desse planejar o material que vai passar e pensar estrategicamente cada passo que vai utilizar para aperfeiçoar o seu trabalho, segundo Libâneo (2006) o pedagogo possui habilidades para desenvolver os seus afazeres dentro da organização, este possui técnicas de elaborar o planejamento, de avaliar o comportamento do grupo, identificar as necessidades individuais e coletivas e de alterar quando necessário a metologia que esta sendo utilizada.
2.4 Jogos Pedagógicos e sua importância no treinamento
  A função de treinamento dentro de uma empresa serve para preparar o funcionário e capacita-lo para novas realidades que estão acontecendo no mercado de trabalho, um valioso recurso didático e pratico que o pedagogo tem é a aplicação dos jogos empresarias. Lacruz (2004) define que os jogos são uma importante troca de experiência na relação entre o professor e o aluno, sendo que permite o aluno praticar e vivenciar situações de seu dia a dia na prática.
A capacitação e desenvolvimento de um colaborador na empresa é fator de extrema importância para todos, o pedagogo deve utilizar todas as suas ferramentas para buscar o melhor de cada funcionário, sendo assim o uso de jogos como estratégia didática se faz necessário, nesse sentido Riscarroli e Rodrigues (2001) defendem que os jogos ajudam ao treinando desenvolver características que eles possuem e que não foram trabalhadas ao longo do caminho.
A pedagogia sempre esteve presente nas empresas e a aplicação dos jogos históricamente mostra como a empresa ganha, a pedagogia é uma ciência da educação pragmática e centrada em cumprir os seus objetivos, ao escolher um determinado jogo o profissional estará trabalhando a parte pedagógica com o seu grupo buscando atingir os objetivos estabelecidos (RISCARROLI E RODRIGUES 2001).
As pessoas dentro de uma organização pensam cada uma de seu jeito, criam com suas experiências ambientes de relacionamento diferentes e estabelece sua cultura na organização, a escolha de um jogo aleatório que não pense no seu grupo e não atenda aos objetivos que foram estabelecidos pode ser uma armadilha, segundo Riscarroli e Rodrigues (2001) o jogo em muitos casos tem como objetivo identificar líderes e mostrar situações práticas de aprendizagem, sendo assim é dever do pedagogo olhar o seu grupo e escolher o jogo apropriado para esse, respeitando as diferenças e mostrando na sua dinâmica de trabalho como aquele jogo pode ajuda-lo em sua prática profissional.
2.5 Avaliação de Treinamento
A função de treinamento dentro de uma organização sempre foi vista na organização como uma obrigação, apenas preparar o colaborador para o seu cargo e deixa-lo a para das funções que este deve executar, sendo que não se investia no profissional, no seu desenvolvimento como um todo. Amaral (2005) mostra que as empresas passaram a dar valor para o seu capital humano, investir na formação a longo prazo, possibilitando dentro da organização preparação adequada para se desenvolver e retribuir o investimento em sua função.
O conhecimento se tornou fator preponderante no mundo corporativo de hoje, o treinamento e desenvolvimento passou a ganhar maior destaque, essa importância gerada deve ser trabalhada dentro de uma organização como um todo, Amaral (2005) assinala que a avaliação de um treinamento não envolve somente o pedagogo e sim a todos que fazem parte do processo, todos devem ser avaliados, o pedagogo avalia o trabalhador, ele avalia o pedagogo em sua prática se o conteúdo foi correspondente com a proposta, além da avaliação dos superiores que observam se as ações que foram investidas foram desenvolvidas no dia a dia de trabalho.
O recurso que a organização usa para o seu crescimento não pode ser considerado gasto, segundo Shinyashiki, lau et al. (2003) o investimento que uma organização faz em busca de resultados a longo prazo fará com que a empresa tenha vantagens em relação a suas concorrentes, o conhecimento é algo que não tem como tirar do homem, é fundamental e estratégico para a organização investir no seu capital humano, segundo os autores quanto mais oportunidades a organização disponibilizar para os colaboradores maior será o retorno dado por estes em seus setores.
O trabalho de avaliação pedagógica dentro de uma empresa vai além de um simples treinamento é dever sempre motivar o colaborador, pensar em estrategias dentro de seu planejamento que mudem resultados que não estão sendo satisfatórios, dentro de sua experiência o pedagogo deve fazer a analise e tomada de decisão nos momentos crucias não ser negligente e virar as costas para uma situação de aprendizagem que não esta acontecendo. Ribeiro (2003) acrescenta que é função do pedagogo sempre avaliar o seu trabalho e a sua equipe e se essa equipe esta agindo como uma equipe de fato ou apenas um grupo de pessoas que não estão interagindo com as propostas.
Avaliar um trabalho que foi minuciosamente planejado é extremamente fundamental dentro de um processo administrativo, o processo de avaliação vai além de um simples procedimento que foi passado para o treinando, Segundo Amaral (2005) o pedagogo não deve confiar se teve êxito em seu trabalho na resposta de simples formulários, esses dão grandes margens a erros e não são confiáveis no cenário atual.
Segundo Ribeiro (2010) o Processo de avaliação dentro da organização se da por etapas, a primeira se refere à reação, como o colaborador reage ao término do treinamento e como ele avalia o treinamento no seu todo, essa pode ser considerada uma análise em escala menor pôs pode ocorre de ser carregada para a análise sentimentos pessoais que atrapalhem a visão do funcionário, outra ferramenta de avaliação se da por testes a famosa “Prova” essa pode ter o problema de não revelar se o treinando aprendeu de fato o que foi passado, problemas pessoais e desinteresse naquele determinado momento podem influenciar o resultado, ela é uma ferramenta valida mas não pode ser a única forma de avaliar o colaborador, a próxima ferramenta se da pela prática pós treinamento, terminado o treinamento é feito a analise na prática, observando se o colaborador desenvolveu aquilo  que lhe foi passado, essa ferramenta possibilitará ao  gestor observar como esta sendo o retorno do investimento no treinamento e para o pedagogo olhar o que pode ser revisto e melhorado em sua prática de ministrar o treinamento, Posteriormente a esse trabalho é feito a analise de resultados junto com o departamento de recursos humanos no qual é visto se o treinamento obteve o retorno necessário, as ações mostram como o processo de avaliação de treinamento dentro de uma organização é uma atividade continua e que sempre carece de aprofundamento e aperfeiçoamento do pedagogo e dos gestores de recursos humanos  na busca de melhorias para os colaboradores.

3. METODOLOGIA

O presente trabalho trata-se de uma pesquisa bibliográfica, na qual o propósito da pesquisa é analisar o papel do pedagogo no treinamento e desenvolvimento das empresas e sua contribuição no trabalho com o recursos humanos.
As organizações buscam em suas empresas a todos os momentos atingir as suas metas, estar de acordo com o que o mercado aponta e se manter competitiva, nesse cenário o que ela tem de mais valioso é o seu capital humano, os colaboradores devem estar preparados para essas mudanças e ter suporte para melhor desenvolver o seu trabalho na prática. Em virtude dessa necessidade essa pesquisa mostra como o pedagogo pode contribuir com a sua formação acadêmica na área de treinamento e desenvolvimento das empresas, auxiliando no crescimento dos colaboradores, no aporte técnico de procedimentos que a empresa disponibiliza a seus funcionários, nas novas tendências que o mercado aponta e, além disso, como o pedagogo utiliza de suas experiências e didática pedagógica para além de ensinar o conteúdo motivar o funcionário em seu trabalho e em seus objetivos profissionais.
O departamento de Recursos Humanos dentro de uma organização precisa estar sempre operando em seu mais alto nível, ele que faz a interação da empresa com os seus funcionários. Diante disso a pesquisa mostra como o trabalho do pedagogo pode acrescentar na área de recursos humanos da empresa, de que forma essa visão vinda de um profissional com formação educacional ajuda o recursos humanos no desenvolvimento de suas ações alcançarem os objetivos de crescimento da organização.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A História vencedora de uma empresa é feita pelos seus colaboradores, eles são o coração, o que move e direciona a organização para os melhores resultados, para que isso aconteça deve sempre estar em seu melhor nível, os ganhos de qualquer organização em qualquer ramo de atividade passa por planejamento adequado e estrutura planejada para que os seus funcionários possam dar o retorno, em função disso esse estudo buscou mostrar a atuação do pedagogo nesse ambiente e de que forma ele contribui com os interesses de      crescimento da organização.
O investimento em educação por parte da empresa passa a ter maior importância com o acirramento da economia e a busca de destaque no mercado, o trabalho do pedagogo no desenvolvimento do treinamento vai de encontro a essa necessidade, sua especialização em educação e experiência em ministrar aulas ajuda na evolução dos funcionários, o trabalho sistematizado e planejado do pedagogo na organização acrescenta qualidade ao departamento de recursos humanos da empresa, é característica do pedagogo o olhar humano para os funcionários e a busca de estrategias para superar as limitações que  possui.
A entrada do pedagogo na organização é relativamente nova e como toda a novidade vinda de outro setor exige cuidados, considerando que o pedagogo pode ajudar na pretensão da empresa em crescer e dar qualidade e conteúdo a seus funcionários deve-se investir no pedagogo lhe oferecendo condições de desenvolver seu trabalho, ser parceira acreditar que o investimento que esta sendo feito trará resultados, por parte do pedagogo  poderá mostrar que sua qualidade exercida no ambiente escolar poderá ser útil no desenvolvimento do capital humano da empresa.
Diante disso essa pesquisa procurou mostrar que o pedagogo com a sua formação qualifica o trabalho de treinamento e desenvolvimento da empresa como uma opção a mais de investimento na busca por crescimento, além de qualificar o departamento de recursos humanos com sua visão vinda de fora poderá adicionar sua experiência trabalhando juntamente com o RH no desenvolvimento de projetos mirando o crescimento para a organização e seus colaboradores.


5. REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Marcus Garcia de. Pedagogia empresarial: saberes, práticas e referências. Rio de Janeiro: Brasport, 2006.

AMARAL, Adriane Boureri. Treinamento Educacional é um Fator decisivo no Crescimento Profissional do Individuo. 2005. 42 f. Monografia (Pós Graduação em Pedagogia Empresarial) - Universidade Candido Mendes, 2004. <Disponível em: http://www.avm.edu.br/monopdf/25/ADRIANE%20BOUERI%20AMARAL.pdf> Acesso em 20/04/2012.

CATHARINO. Sheila das NEVES. Treinamento do capital humano das empresas e o seu reflexo no processo de mudanças tecnológicas, econômicas e sociais. Uma avaliação do papel de educador do Profissional de Treinamento no âmbito das empresas nos últimos cinco anos. Dissertação (Mestrado em Administração) – Fundação Getúlio Vargas. São Paulo, 2002. <Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/4089> Acesso em: 15/04/2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 47. ed. Rio Janeiro: Paz e Terra, 2005.

HOLTZ, Maria Luiza Marins... Lições de pedagogia empresarial.. MH Assessoria Empresarial Ltda., Sorocaba SP, 2006. Disponível em <http://www.mh.etc.br/documentos/ licoes_de_pedagogia_empresarial.pdf>. Acesso em: 10/09/2011.

LACRUZ, Adonai. José. Jogos de empresas: considerações teóricas. In: Revista de Gestão da USP: Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 11, n. 4, p. 93-109, out./dez. 2004.

LIBÂNEO, José. Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1990.

__________________________. Pedagogia e pedagogos, para quê?  6. ed. São Paulo: Cortez,2002.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Filosofia da Educação. São Paulo: Cortez, 1994.

MARKERT, Werner Novos paradigmas do conhecimento e modernos conceitos de produção – Implicações para uma nova didática na formação profissional.  Educação & Sociedade, Campinas: CEDES, Agosto 2000, nº 72. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v21n72/4199.pdf Acesso em: 20 de Abril de 2010.

MARRAS, Jean Pierre. Administração de recursos humanos: do operacional ao estratégico. São Paulo: Futura, 2001.

RIBEIRO, Amélia Escotto do Amaral. Temas atuais em Pedagogia Empresarial: Aprender para ser competitivo. Rio de Janeiro: Wak, 2006.

__________________________.  Pedagogia Empresarial: Atuação do Pedagogo na
Empresa.  6ª ed. Rio de Janeiro: Wak, 2010.

RISCAROLLI, Valéria; RODRIGUES, Leonel Cezar. O Valor Pedagógico de Jogos de Empresas. In: Encontro da Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ENANGRAD), 2001, São Paulo. XII ENANGRAD, 2001. Disponível em: < http://www.ead.fea.usp.br/eadonline/grupodepesquisa/publica%C3%A7%C3%B5es/valeria/1.pdf>. Acesso em: 20/04/2012.

ROBBINS, STEPHEN PAUL. – Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo: Saraiva 2001.

SHINYASHIKI, lau et al. Sobre a criação e a gestão do conhecimento organizacional. Rev Latino-am Enfermagem 2003 julho-agosto; 11 (4): 499-506. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rlae/v11n4/v11n4a13.pdf> Acesso em: 21/09/2011



diegors
Enviado por diegors em 21/08/2012
Código do texto: T3841293
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença.

Comentários

Sobre o autor
diegors
São Paulo - São Paulo - Brasil, 27 anos
14 textos (5327 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/09/14 20:20)