CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

COMO TRABALHAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL?

                                              FRANCISCO DE PAULA MELO AGUIAR

                      Todo e qualquer profissional da área educacional, que chamamos de professor, tem que ter formação adequada, especifica e auto-acompanhamento critico e  diário para exercer suas atividades pedagógicas, além de submeter-se a avaliações dos demais profissionais que constituem a equipe multidisciplinar da escola (pública ou privada) em todos os níveis: Educação Infantil, Educação Básica e Educação Superior (graduação e pós-graduação). Assim sendo, enfocamos a temática central deste artigo: COMO TRABALHAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL? Visando tirar o conceito popular que se tem de creches e maternais enquanto escolas oferecidas pela rede pública municipal ou estadual, como sendo depósito de crianças, ou coisas semelhantes, o que já é um preconceito da chamada desigualdade social de quem precisa e necessita para educar, ensinar e deixar seus filhos menores de seis anos de idade enquanto trabalha no mercado formal e informal, todos os dias do ano. Assim sendo, é de sua importância que os nobres professores ou “cuidadores” de crianças na Educação Infantil, parassem, refletissem e respondessem as seguintes indagações: 1º) Como e o que trabalhar com alunos da Educação Infantil ( de zero a três anos; e de três a seis anos)? 2º) Como construir na realidade a práxis de um ambiente (físico e emocional) adequado e acolhedor nessa modalidade de ensino? Os professores ao responderem tais indagações, juntamente com a equipe multidisciplinar da creche/escola, poderão também responderem outras questões surgidas durante suas pesquisas e anseios para dar explicações claras e objetivas, tudo objetivando justamente mostrar de que a aprendizagem escolar na Educação Infantil pode e deve ocorrer de maneira mais eficaz e com qualidade e não rotular a creche escolar como sendo mero depósito de criança, como as denuncias diárias nos meios educacionais e de comunicação assim afirmam e nenhum gestor federal, estadual e municipal aparece para rebater tais denuncias, o que nos faz deduzir que contra fato real não se tem argumento de defesa pública ou privada de qualquer espécie. E isso é uma discriminação social e declaração pública da existência de cidadãos de segundo classe também em termos educacionais, enquanto que a creche/escola é financiada por toda a comunidade com os impostos diretos e indiretos pagos todos os dias em um país como o Brasil que tem os maiores impostos do mundo.
                      Todos os teóricos mundiais sabem que a Educação Infantil é uma fase fundamental e primitiva para o desenvolvimento global da criança nos aspectos socioafetivo, cognitivo, psicomotor e psicológico da criança, não importando se criança rica, pobre, branca, negra, indígena. Trata-se de criança e nada mais, precisa de atenção e cuidados especiais logo no inicio de sua vida pessoal e acadêmica. É justamente na Educação Infantil que a criança é preparada para a aprendizagem da leitura e da escrita.
Finalmente, sabemos que é possível realizar um trabalho de Educação Infantil nas creches, enquanto escolas públicas, que o são, com crianças de 0 (zero) a 6 (seis) anos, obtendo resultados produtivos e positivos, desde que o trabalho pedagógico diário seja desenvolvido de maneira organizada, prazerosa e com professores ou cuidadores, que tenham formação e material adequado, o que vale dizer, em um ambiente adequado e harmonioso, onde a Educação deva ocorrer de maneira eficaz e a instrução, enquanto ensino seja na realidade uma trabalho de qualidade, envolvendo a criação de um ambiente adequado e acolhedor, que surjam outros ambientes educativos no âmbito (dentro) da escola/creche, que seja realizado na verdade o chamado período de adaptação do aluno à creche/escola, que a organização do currículo (culto e oculto) e a formação para um mundo globalizado e plural, seja uma constante da equipe pedagógica. A informática seja utilizada na Educação Infantil como uma tecnologia de ponta para os professores e para os alunos. Que os sentidos enquanto órgãos do corpo humano sejam trabalhados com as crianças. Em síntese, o ensino da língua escrita e a importância direta em termos de contato da criança na Educação Infantil com os livros didáticos e outros materiais, para que desapareça a ideia popular de que creche é lugar de depósito de crianças e não de Educação Infantil!
FRANCISCO DE PAULA MELO AGUIAR
Enviado por FRANCISCO DE PAULA MELO AGUIAR em 17/02/2013
Código do texto: T4144931
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Sobre o autor
FRANCISCO DE PAULA MELO AGUIAR
Santa Rita - Paraíba - Brasil, 62 anos
341 textos (15309 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/07/14 08:29)