Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A MULHER CRISTÃ E OS DESAFIOS DA VIDA PÓS MODERNA

A MULHER CRISTÃ E OS DESAFIOS DA VIDA PÓS MODERNA: O desafio da espiritualidade, o desafio da educação cristã no lar, o desafio da pureza no relacionamento conjugal, o desafio na criação dos filhos e o desafio do seu valor como mulher cristã em meio a uma sociedade do culto ao corpo, da erotização e da mercantilização do corpo feminino.

Introdução: A mulher tem sido alvo de constantes e crescentes ataques, esta se encontra sob forte pressão na cultura do culto ao corpo, nas muitas atividades que outrora não faziam parte de sua rotina, como faculdade, trabalho secular e ainda trabalhar em casa e a criação dos filhos. Como manter o padrão de uma mulher virtuosa (Pv 31.10a) diante de uma sociedade secularizada, pragmática e hedonista?

Acredito que o momento é de muita cautela. Existe uma parcela considerável de mulheres cristãs que se encontram frustradas, deprimidas, enclausuradas em casa, que abriram mão de seus sonhos por causa de um casamento, do esposo que precisava estudar e trabalhar para manter a família e se qualificar para o mercado de trabalho. Estas sofrem de um sentimento de culpa, por haver tomado decisões erradas, de terem valorizado mais o outro do que a si mesmas.

Não queria falar sobre esposas de pastores, pois estas são mais cobradas que todas as santas mulheres de Deus. Não queria falar do estigma que elas sofrem por terem que ser “mulheres de oração”, que devem ser exemplo em tudo, no vestir, na modéstia, na simplicidade, no trato, no cuidado com a aparência (não sobre a vaidade fútil), no cuidado com a casa pastoral, no cuidado com o esposo, com os filhos e com as demais irmãs da igreja. Não eu não quero adentrar neste assunto. Porque elas quase sempre vivem solitárias demais. Porque nem sempre elas podem contar a alguém sobre seus temores, sobre suas incertezas. Como são conselheiras estas mulheres!! Como oferecem o ombro amigo para outras chorarem. Mas como são sozinhas... Não pretendo fazer uma apologia as mulheres esposas de pastores, contudo como vivenciar uma espiritualidade sadia, consistente, quando na verdade elas têm que doar-se, tem que cuidar amparar e servir?

Como vivenciar uma espiritualidade cristã? Mulheres que vivem o dilema de ver seus esposos pregarem uma coisa no púlpito e dentro de casa vivenciarem outra muito diferente.

A questão da espiritualidade vai além da experiência do sobrenatural, vai além da oração e da participação as atividades da igreja.  É uma realidade do enfrentamento da vida em um mundo pós-moderno. É saber superar as cobranças no âmbito familiar, saber lidar com as suas deficiências, saber lidar com o esposo e ajudá-lo na liderança do seu lar, saber conduzir os filhos na educação secular e na formação espiritual deles. É trazer Deus para o centro de sua família, buscando a primazia das coisas celeste.

É nos relacionamentos que a espiritualidade se mostra relevante. Ela não é só um fator que acontece na vertical, ela se concretiza justamente na horizontal. Toda espiritualidade que se limita ao culto é tendenciosa, relativa, pouco ou quase improdutiva. Conheço mulheres que são uma “bênção”  na igreja,mas que não são exemplos em casa, que não têm temperança, não tem sabedoria para conduzir as coisas relacionadas ao seu lar. O escritor de Provérbios escreve: “A mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola a derriba com as suas mãos!”. Acredito que isto tem a ver com espiritualidade.

Quando a espiritualidade é afetada? Quando esta se torna obsoleta? Há mulheres cristãs em nome de um “puritanismo” exarcebado, abrem mão de cuidarem de sua aparência, não se cuidam não se percebem mais como “belas”, e transferem para o “espiritual” todo a sua identidade, daí em diante o que vale é o que ela produz no púlpito da igreja, o que ela prega, profetiza. Na verdade beleza e espiritualidade não são excludentes. É possível haver um equilíbrio entre ambos. Outras literalmente abandonam os seus lares em nome de “meu ministério”, vivem viajando, pregando e ensinando nas igrejas, enquanto isso a sua família está sendo destruída, os filhos revoltados com a ausência da mãe, e com o descaso dentro de casa. As vezes outra mulher é colocada para secretariar a família e ai mora o perigo.

Qual o valor da mulher cristã em meio a uma sociedade secularizada e hedonista?
Neste aspecto a mulher cristã precisa ter princípios espirituais bem definidos. Ela corre o risco de vivenciar valores que não estão dentro da espiritualidade. Há no consumismo um escape psicológico para as mulheres, muitas acabam comprometendo a renda da família e o salário de seu esposo em nome de “necessidades” que jamais serão satisfeitos. O shopping se torna um lugar para aliviar a tensão e aumentar os problemas financeiros em casa.
Nem sempre o que queremos é na verdade o que precisamos ter.

 Outra coisa que tem martirizado a mulher do século XXI e o sua aparência; isto é, como está o seu corpo. O culto ao corpo trouxe paradigmas que são absolutamente utópicas a uma mulher que tem filhos, que lida diariamente com as atividades domésticas, e que não pode ter uma alimentação equilibrada e/ou um acompanhamento de um nutricionista. Mas isso não deveria ser motivo para desespero, para mulheres acabarem não aceitando a si mesmas.

A mulher cristã e a “paranóia” da beleza pós-moderna.

A mídia insiste em “moldar” a mulher dentro de um estereótipo que a grande maioria das mulheres não pode alcançar por razões diversas. Então isto acaba proporcionando conflitos na mulher pós-moderna em relação a sua imagem, como esta detivesse todo o seu valor. Já a mulher cristã não deve viver uma vida de baixa auto-estima, de rejeição e de lamúria, justamente por não se enquadrar neste padrão hedonista e secularizado.  Ela sabe que a mulher virtuosa que a Bíblia fala sabe que a formosura é passageira que, mas que a mulher teme ao Senhor está será louvada. O que isto quer dizer? Que os valores da mulher cristã devem está pautados em princípios espirituais e no que dia a Palavra de Deus.

A mulher cristã e o perigo das redes sociais.

As redes sociais têm proporcionado uma maior aproximação entre as pessoas (e um maior afastamento do convívio familiar). A mulher cristã sábia, não se deixa enganar pelo apelo das redes sociais, ela não se deixa aprisionar ao mundo virtual de tal forma que acabe negligenciando as suas atividades domésticas, de esposa, de mãe e de serva de Deus. A mulher tem inerente a necessidade de comunicar-se, de expressar o que sente, o que pensa, o que se passa em sua cabeça, como fala um amigo. As redes sociais viabilizam esta oportunidade; às vezes ela passa o dia inteiro sozinha em casa, o esposo no trabalho, os filhos na escola, então aproveita a oportunidade para manter contato com amigas, com parentes, com pessoas que lhe sejam interessantes. É justamente neste campo que é preciso valorizar princípios espirituais, para não desperdiçar o seu tempo precioso, para não permitir pessoas que possam trazer influência negativa, que não seja vulnerável a pessoas inescrupulosas, que usam a internet com motivações esdrúxulas.

Enfim a mulher cristã que vive na pós-modernidade sabe que a Bíblia é o seu manual de prática e fé cristã, ela tem princípios bem definidos, tem base para não se submeter aos valores de mundo que jaz no maligno, ela não se conforma com este mundo, mas tem uma mente transformada, uma mente renovada por Cristo, por isto que ela é uma mulher vencedora.

Luciano Costa. 29 de abril de 2013.
Luciano Costa
Enviado por Luciano Costa em 29/05/2013
Código do texto: T4316112
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luciano Costa
São josé do Seridó - Rio Grande do Norte - Brasil, 39 anos
640 textos (87903 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/17 04:41)
Luciano Costa