Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ex-PARLAMENTARES SE APOSENTAM COM PLANO DE SAÚDE ILIMITADO...

CONGRESSO REEMBOLSA QUALQUER DESPESA DE EX-SENADORES, EX-DEPUTADOS E SEUS DEPENDENTES; GASTOS COM DENTISTA TÊM LIMITE DE R$ 25 MIL POR ANO...


A aposentadoria de mais de R$ 16 mil por mês a que 892 ex-deputados e senadores têm direito é um modesto benefício se comparado ao plano de saúde que os parlamentares herdam depois de assinar a ficha de adesão ao Plano de Seguridade Social dos Congressistas. Enquanto um trabalhador com mais de 59 anos teria que gastar pelo menos R$ 4.000 por mês para ter o melhor que os planos privados oferecem, por R$ 200 parlamentares aposentados têm atendimento médico ilimitado, com reembolso até mesmo de consultas e tratamentos fora do país. Apenas os tratamentos odontológicos e psicológicos são limitados a R$ 25 mil por ano. E sabe quem paga por tudo isso? Você.

Diferentemente dos servidores que têm plano de saúde reduzido a alguns procedimentos médicos, os parlamentares e seus dependentes podem fazer qualquer cirurgia e qualquer tratamento por conta da Câmara e Senado, para sempre. Os mais de 1.800 dependentes de deputados e senadores - mulher e filhos até 24 anos - ajudam a onerar as despesas do Congresso com saúde.

Só este ano já foram pagos R$ 48,5 milhões em assistência médica e odontológica na Câmara e R$ 27,2 milhões no Senado, de acordo com levantamento feito pelo gabinete do deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) no Siafi (Sistema Financeiro Integrado, que permite acompanhar os gastos públicos) a pedido do R7. A previsão de gastos para o ano nas duas Casas é de R$ 116 milhões. Em aposentadorias, revela a pesquisa no Siafi, Câmara e Senado gastam R$ 90,3 milhões.

A generosidade da Câmara e do Senado com os parentes dos ex-parlamentares não é aplicada aos servidores. O presidente da Fundação de Estudos sobre Seguridade Social, Floriano José Martins, explica que os funcionários públicos não podem ultrapassar R$ 65 per capita com gastos de saúde.

- Em tese, a previdência dos deputados seria um regime geral, mas o plano de saúde deles é ilimitado. Para os servidores existem regras rígidas de utilização.

Apesar das benesses recebidas, os parlamentares aposentados ainda acham pouco. O presidente da ACB (Associação dos Congressistas do Brasil), entidade que representa mais de 1.500 ex-deputados, senadores, viúvas e pensionistas, Haroldo Sanford, reclama que as aposentadorias estão defasadas e que as viúvas, filhos de até 24 anos e ex-parlamentares têm dificuldade para sobreviver com a pensão de R$ 16 mil por mês.
- Desde que a verba indenizatória foi criada em 2001 os subsídios estão defasados.Toda a vida os deputados ganharam igual aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Além de Sanford, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP) e o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) fazem parte da diretoria da Associação dos Congressistas. O presidente da entidade, que também já foi deputado federal, reclama da aposentadoria, mas é só elogios para o plano de saúde.

- O plano de saúde da Câmara é de excelência.

De acordo com o presidente da ACB, os R$ 16 mil e o plano de saúde são os únicos benefícios. Ele explica que as viúvas também têm direito a metade do 13º salário, como abono de natal. Sanford, assim como a maioria dos parlamentares da antiga, lamenta o fim do IPC (Instituto de Previdência dos Congressistas). O instituto, extinto em 1999, era uma espécie de previdência diferenciada que pagava aposentadorias integrais a deputados e senadores com apenas oito anos de trabalho. Agora, eles precisam comprovar 35 anos de contribuição.

É permitido somar outras atividades como vereador, deputado estadual, mas é preciso pagar o período retroativo à Câmara. Ainda hoje, alguns parlamentares mais antigos recebem benefícios do IPC. Se não contribuírem os 35 anos, os parlamentares recebem benefício proporcional que varia de R$ 3.000 a R$ 16 mil. De acordo com a assessoria da Câmara, para o próximo ano estão previstos R$ 71 milhões do Orçamento só para a chamada "Previdência Especial".

O setor de Coordenação de Registro e Seguridade Parlamentar informou ao R7 que atualmente existem 582 deputados aposentados. Nos dois últimos anos, informou a responsável pelo setor, morreram muitos parlamentares, mas os dependentes continuam recebendo os benefícios. No Senado são 310 aposentados.

Fonte: R7 Notícias.

Nota do autor: Depois dessa publicação extraída do site R7 Notícias, despeço-me indignado momentaneamente...até dezembro...como dizia o "leão da montanha"..."saída pela direita" (Os de mais idade vão me entender!!!!)
EXTRAÍDO DO SITE R7 NOTÍCIAS
Enviado por AUTISTA em 29/09/2013
Código do texto: T4503140
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
AUTISTA
Fortaleza - Ceará - Brasil, 44 anos
230 textos (27251 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/14 19:09)
AUTISTA



Rádio Poética