Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TÍTULO DE CIDADANIA


A polêmica não é nova: quem merece e quem não merece receber um título de cidadania ?
Antes distribuídas a mancheias, as entregas de  títulos de cidadania agora foram reduzidas a um número pequeno e pré-estabelecido para cada vereador.
Mas, mesmo assim, não fosse a euforia e o calor humano dos amigos dos homenageados, as cerimônias de entrega de título seriam quase  patéticas, exceto no caso de  grandes empresários, políticos de renome ou , de alguma outra  forma, poderosos, que, no futuro , serão fontes para angariação de fundos e  votos  para os senhores vereadores ou de benesses àqueles que comparecem à cerimônia.
Mesmo sendo presidente do Conselho Deliberativo da ACRECE- Associação dos Cidadãos Ribeirãopretanos e Cidadãos Eméritos,  há muito tempo não tenho mais participado dessas entregas tendo em vista a desvalorização que tem tomado conta desse tipo de homenagem.
Recentemente, mais por conta do respeito que tenho pela AMORC- Antiga e Mística Ordem Rosacruz, e de uma amizade com minha cara sóror , Nilva Mariani, que pela simpatia  ao homenageado , Charles Vega Parucker , Grande Mestre da Ordem Rosacruz para os Países de Língua Portuguesa, estive na Câmara Municipal num desses momentos, e pasmem: só estavam ali dois vereadores:  Darcy Vera ,que propôs a referida entrega, e o presidente.
Quando solicitei à organização do evento que permitissem à sóror Nilva Mariani que tomasse a palavra para saudar  Charles Parucker em nome da ACRECE , tive como primeira resposta que ela teria  dois minutos para fazê-lo, e isso, se o presidente o permitisse, e, em sua magnanimidade, se dignasse a ouvi-la,  pois as entregas estavam sendo mais curtas para não cansarem os convidados.
Informei minha sóror Nilva , que ficou indignada, sobre o tempo que lhe seria, condicionalmente, disponibilizado, e que, posteriormente, foi ampliado pela intercessão da sempre competente e simpática vereadora Darcy Vera, autorizando-a a falar pelo tempo que achasse necessário.
E assim foi: uma cerimônia de meia hora, corridinha , rapidinha, com o presidente emendando sua fala quase antes da  cidadã emérita , Nilva , completar a última frase do seu discurso. Também lamentável que o mesmo presidente da mesa, durante esse discurso, chamasse a atenção do homenageado, entabulando uma conversa, em péssima hora, deixando a excepcional oradora falando ao vento, quando decidiu dirigir-se diretamente ao Grande Mestre.
Enfim, ocorrências  lastimáveis, cada vez mais, dando margem a discussões como a do colunista de um jornal da cidade e um vereador que resolveu homenagear um jornalista que , segundo o colunista, nada fez para Ribeirão Preto.
Ou valorizam os títulos, com a presença de pelo menos 50% dos vereadores durante a cerimônia, e todos com conduta adequada e respeitosa (não só nas palavras, mas nos atos)  ou estarão, os próprios edis, desvalorizando uma comenda tão importante para aqueles que, como eu ,  as receberam.

Tórtoro
Enviado por Tórtoro em 24/09/2005
Código do texto: T53457
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tórtoro
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil, 67 anos
176 textos (27939 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 10:10)
Tórtoro